Páginas

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

SETENTA VEZES SETE


Há pessoas que levam muito a sério as palavras de Jesus quando disse que devemos perdoar até setenta vezes sete; umas porque sentem-se mártires e acham que tudo deve ser aceito e outras porque, do outro lado, beneficiam-se do assunto. Só que Jesus disse também à mulher: "nem Eu te condeno. Vá e não peques mais. Ele poderia simplesmente tê-la deixado partir, mas pediu que não repetisse o erro.

Não há nenhuma idéia contrária no tema. O perdão, devemos carregar em nós até porque ora precisamos, ora oferecemos. Os que nos amam perdoam nossas falhas e nós passamos uma borracha por cima de muito dos que nos magoam os que amamos. Segue assim a vida.

E, portanto, há situações que tornam-se repetitivas no "eu erro e você me perdoa." Aquele que erra com o tempo acostuma-se com a situação, pois até o sentimento de culpa acaba por encontrar um lugar e ficar quietinho. E o que perdoa sempre e sempre as mesmas coisas perde com o tempo o respeito por si mesmo.

Aceitar situações que aniquilam nossa dignidade humana não nos torna mais humildes, melhores, simples e cristãos. Perdoar setenta vezes sete é possuir em si o dom de perdoar e não de sustentar o erro do outro. Se Deus nos fez conforme Sua imagem e semelhança, devemos ver em nós mesmos seres capazes de caminhar com a cabeça erguida, com respeito e auto-estima.
Direito ao erro todo mundo tem. Direito ao perdão e a uma nova chance todo mundo tem. E todo mundo tem também o direito de dizer não às situações que levam para baixo, às pessoas que, em nome até do amor, tiram sua dignidade.

Temos o direito de errar ao longo da nossa vida. Guiados pelo coração ou emoções que controlam o que nosso juízo deveria controlar, vamos de tropeço em tropeço. Não estamos condenados eternamente porque somos humanos.

O que não podemos, portanto, é repetir vezes e vezes os mesmos erros e achar a cada vez que tudo pode ser justificado. Errar? Pecar? Faz parte, infelizmente, do caminho, da quota de cada um.

Quando cometemos nossos deslizes e que a vida nos dá uma nova oportunidade de recomeçar, é loucura pensar que o perdão nos é devido indefinidamente e querer, de forma absurda, atingir o setenta vezes sete.

Cada pessoa e cada coisa tem seu limite. Repetir erros e enganos contra os que nos amam simplesmente porque sabemos que um coração que ama sabe perdoar, é abusar da confiança que depositam em nós, é desrespeitar o outro como pessoa.

Suportar e suportar erros em nome do amor pode parecer heróico. O perdão é algo que exige de nós uma força quase inumana e sabemos bem que para realmente perdoar precisamos abandonar o nosso eu que pede justiça.

Mas não temos o direito de brincar com os sentimentos dos outros e nem permitir que brinquem com os nossos. Deslizar e cair uma vez, duas, pode acontecer, mas a partir do momento que isso se torna um hábito é que algo está muito errado.

Devemos aprender a dizer "não" quando isso significa reivindicar o respeito próprio.

Cada um tem o direito de viver com dignidade e não podemos ser nada para o mundo se já não somos capazes de nos olhar no espelho e sustentar nosso próprio olhar.

Ame o mundo e ame ao outro. E ame-se também, assim como amou e ama Aquele que te criou.

Perdoe e perdoe-se! E não pare no caminho, nem olhe para trás. Há diante de nós um Éden que nos espera e devemos viver de maneira a sermos dignos de passar por essa porta.

13 comentários:

Angélica Lins disse...

Você acaba de abrir uma porta por aqui.

Obrigada, beijos...

Eliane Gonçalves disse...

Perdoar e não se amar são coisas diferentes...belo texto minha amiga...bjo

MOMENTOBRASILCOM.blogspot.com disse...

MARIA JOSÉ:"O perdão é algo que exige de nós uma força quase inumana e sabemos bem que para realmente perdoar precisamos abandonar o nosso eu que pede justiça."
Ninguem carrega 'CRUZ" mais pesada do que pode caregar. O "cobertor é dado, conforme a intensidade do frio. O Mestre dos Mestres (JESUS), tb dissse: "Deixa a tua oferenda aos pes do altar, e reconcilia-te com teu irmão, enquanto estás no caminho". Só assim a tua oferenda será levada pelos anjos aos pés do ALTÍSSIMO". Portanto, meu amaor, perdoar, compete a nós. E a DEUS nos amar permitindo que nossa própria CONSCIENCIA encarregue-se de fazer a devida JUSTIÇA. Bjs. Roy Lacerda.

Mari disse...

Perfeito Maria José!

É exatamente assim que eu penso, sinto e ajo...
Seu post é rico, muito rico mesmo!

Um beijo querida

(בן ברוך) Ben Baruch disse...

“sabemos bem que para realmente perdoar precisamos abandonar o nosso eu que pede justiça.”
Querida Maria José!
Respeito profundamente os pensamentos da Letícia Thompson, mas sou forçado a fazer algumas ponderações em relação ao texto.
Ao citar a passagem bíblica ela esquece de anotar que o texto original nos ensina a perdoar setenta vezes sete vezes não apenas o mesmo erro,mas no mesmo dia.
Todos devemos nos amar, mas o fato de perdoarmos inúmeras vezes o mesmo erro cometido pela mesma pessoa não fará com que abandonemos nosso “senso de justiça”. Aliás se Deus fosse nos perdoar segundo o nosso senso de justiça, fatalmente estaríamos perdidos.
Quem sabe quantas vezes já erramos em nossa caminhada? Quantas vezes permanecemos duros e recalcitrantes em relação a situações que decidimos fazer diferente na presente existência?
Quando perdoamos, não nos esvaziamos, mas crescemos.
Quando perdoamos, não nos anulamos, mas colaboramos na edificação de um mundo melhor.
Se dizemos que somos seguidores do Cristo, devemos buscar viver seus ensinamentos e todos eles nos levam à essência da vida que é o amor.
Perdoar setenta vezes sete não é perder a identidade, mas mostrar que se está no caminho proposto pelo Mestre. E sabemos que nunca tivemos a necessidade de perdoar tantas vezes o nosso semelhante.
Muita paz e que o Senhor continue te abençoando grandemente.
Ben

Entrevidas disse...

Como sempre voce diz nuitas verdades em seu texto. Beijos

Mariana disse...

tu sempre nos brinda com reflexões valiosas.
Q ao passar por aqui, eu e tds possamos tirar o melhor proveito para a nossa vida.
As vezes dá vontade d carregar as tuas postagens "literalmente".

Ursula disse...

Olá, passei aqui e gostei muito do blog.
Sobre o post, acho que perdoar não é aceitar o erro. Acredito que perdoar é vc deixar sentimentos que te prendem àquela situação e seguir em frente. Não devemos aceitar tudo, vc tem razão. Mas perdoar significa se libertar daquilo, as vezes inclusive da pessoa "culpada".
Beijos
ursulaferraricoach.wordpress.com

manuel marques disse...

Errar é humano; perdoar, divino .

Beijo.

ONG ALERTA disse...

Perdoar é saber viver...beijo Lisette.

Anônimo disse...

Chiste, diz:

O perdão 70 x 7 é linearmente para cada ofensa até ela cair no esquecimento (sair do coração): enquanto voce dizer eu perdoei tal coisa podes crer que ainda tem algum resquício para ser deletado dentro de voce

Anônimo disse...

Offerings frauds very sought for cash advances together with payday loans. Consumers can quickly fight to stay in that pastimes on the loan creditors pay for earnings and additionally primary. All of these tiny borrowing products is simply not a good solid part of each of our contemporary society in reality, they've been near for several years in a single shape and also one other. I can keep hit intended for stronger ordinances as well as think limitations you can find bit impact. In order to restrict this consumer into a bike regarding personal debt, they are really a bit short-term borrowings, gives relief to be able to generally working hard many areas
pożyczka na dowód
kredyt chwilówka na dowód warszawa
http://pozyczkanadowodteraz.net.pl
pożyczki prywatne
szybki kredyt przez internet na spłatę komornika

Anônimo disse...

Muito bom