Páginas

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

TRANSFORMAÇÕES




"Disse a flor para o pequeno príncipe: é preciso que eu suporte duas ou três larvas se quiser conhecer as borboletas." (Saint Exupery em o Pequeno Príncipe)
Não se angustie se o dia de hoje
não lhe trouxe tudo o que você sonhou,
se precisou ficar até mais tarde no trabalho,
se vai ter que estudar até de madrugada para uma prova,
se te roubarem uma hora de sono na visita ao doente,
se a pessoa que você tanto ama ainda não te reconheceu,
se a promoção esperada não aconteceu,
se escolheram outro e você perdeu,
as vezes precisamos suportar algumas dores,
provas do caminho que parecem maiores do que nós mesmos,
para alcançarmos os nossos sonhos.
Mas é nessa prova, nessa luta diária que reside o prazer,
a certeza da vitória é a arma do vencedor,
é no dia a dia, no "suportar das larvas" que nos incomodam,
que deve crescer a certeza de que logo mais elas serão borboletas,
que serão belas e enfeitarão a vida que desejamos levar.
Todos precisam ter objetivos claros, definidos,
enxergar lá na frente o que hoje é apenas um projeto,
ver realizado logo ali o sonho que alimentamos,
e se não tivermos sonhos, de que valerá essa vida?
Se as tuas "larvas" estão te incomodando demais,
é porque a sua visão se estreitou,
você só está enxergando o problema,
nem percebe que seu sonho está próximo,
perdeu a beleza do voo das borboletas,
perdeu a magia da transformação.
Acredite, tudo se transforma,
em tudo existe a magia da vida,
fonte eterna do amor e de luz,
e para toda angústia, o apoio
do braço amigo de Jesus.
Eu acredito em você.
Autoria de Paulo Roberto Gaefke
www.meuanjo.com.br

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

O TEMPO PERDOA TUDO




Se alguém mata uma pessoa e consegue escapar da polícia, mantendo-se fora do alcance da lei por um longo período,o crime prescreve. Vinte anos depois do delito cometido, fica extinguida a punibilidade do criminoso por o estado não tê-lo julgado e condenado em tempo hábil.Agora pense bem: se até a Justiça admite que depois de os ânimos serenarem ninguém precisa mais de castigo,talvez a gente também devesse suspender a pena daqueles que cometeram crimes contra o nosso coração.
Mágoas entre pais e filhos, por exemplo.Não tem nada mais complicado do que família,você sabe.Amor à parte,os desentendimentos são generalizados,e as vezes uma frustração infantil segue perturbando a gente até a idade adulta.Seu pai nunca lhe deu um abraço?É um crime fazer isso com a criança,mas é preciso prescrevê-lo.Vinte anos depois,não dá para continuar usando essa justificativa para explicar por que você usa drogas ou por que não consegue ser afetuoso com os outros.Cresça e perdoe.
Você jurou que nunca mais iria falar com aquele seu amigo que lhe dedurou no colégio? Eu também acho que duderagem é falta de caráter,e você teve toda a razão de ficar danado da vida. Mas quanto tempo faz isso? O cara agora está jogando futebol no seu time,tem sido um companheirão, e você segue não baixando a guarda por causa daquela molecagem do passado. Releve e chame o ex inimigo para tomar uma cerveja, por conta dos novos tempos.
Dureza, agora: ele foi o amor da sua vida. Chegaram a noivar. Você já estava comprando o enxoval quando o cara terminou tudo. Por telefone. Não deu explicação: rompeu e desligou. Na semana seguinte foi visto enrabichado numa bisca. Você deseja ardentemente que ambos caiam numa piscina lotado de piranhas famintas. Apoiado. Mas faz quanto tempo isso? Você já casou, ele já casou, aquela bisca não durou nem duas semanas. Por que ainda fingir que não o vê quando o encontra num restaurante? É bandeira demais ficar tanto tempo magoada. E a tal superioridade, onde anda? Dê um abaninho pra ele.
Se quem estrangula e degola recebe o perdão da sociedade depois de duas décadas, os pequenos criminosos do cotidiano também merecem que a passagem do tempo atenue seus delitos. Não cultive rancor. Se não quiser mais conviver com aquele que lhe fez mal, não conviva, mas não fique até hoje armando estratégias de vingança. Perdoe. Vinte anos depois, bem entendido.
Texto do livro NON-STOP, dezembro de 1999

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

DAS DECEPÇÕES...




E decepções... que causamos aos outros e a nós mesmos!
Perder uma vez ou outra é inevitável. Mas é, sobretudo, inaceitável. Mas, por que, se sabemos que as marés vão e voltam, se a felicidade não é uma constante e a infelicidade também não?
Quando precisamos admitir que falhamos na nossa vida, que seja sentimental, profissional ou em qualquer outra área, é difícil. Mas é mais difícil pra quem? Pra nós? Ou para os outros?!
O que mais faz mal, muitas vezes, em admitir uma decepção, uma falha, é que nos preocupamos com o que os outros vão pensar, o que vão dizer. Embora as pessoas, a vizinhança, o grupo de amigos e mesmo a família, não paguem nossa água e nossa eletricidade, nos preocupamos sempre com o que vão pensar caso não sejamos as pessoas "perfeitas" que deveríamos ser. Nos dizemos que é o que esperam de nós.
E por causa dessa expectativa que achamos que criamos nas pessoas ou na sociedade, preferimos viver numa farsa, uma comédia, onde representamos um papel, nem sempre de protagonista, mas um papel. Fingimos ser felizes, que tudo vai bem, que temos um grande amor, um casamento perfeito, amizades perfeitas, um trabalho ideal. Mas no nosso interior choramos.
Choramos as oportunidades que não nos damos. Choramos as escolhas que fizemos erradas e a dificuldade em admitir nosso erro. Choramos o tempo que passa e que não perdoa. Ocultamos de nós mesmos o pensar no dia de amanhã, porque isso nos amedronta. Nos enganamos dizendo que felicidade não é tão importante se temos uma aparente estabilidade. Afinal, "temos tudo". O que desejar mais da vida? Aos sonhadores os sonhos, aos idealistas os ideais!
Nossas decepções ficam bem guardadinhas em um canto qualquer da nossa vida. Somos espectros, sombras da nossa própria existência. 
A verdade dói? Dói sim. Mas dói bem mais em nós que nos outros, disso tenho certeza. Os outros, por mais que se importem, acabam se acostumando. 
Quando o um time perde um jogo, a tristeza maior não é a da perda em si. Mas da decepção que vai causar em seus milhares de torcedores cheios de expectativas. Mas os torcedores, mesmo decepcionados, se esquecem alguns dias depois. 
Assim é na nossa vida. Se admitimos publicamente nossas falhas e desilusões, as pessoas, talvez e mesmo provavelmente, vão falar, vão comentar. Seremos por um momentos loucos ou perdidos. Mas nossa felicidade importa bem pouco para elas, que vão pensar em outra coisa alguns dias depois. Afinal, talvez nos julguemos bem mais importantes para os outros do que somos. E nossa vida não lhes pertence, ela nos pertence. 
Só há mesmo um Alguém que se importa e que não se esquece. Alguém que nos conhece profundamente e que escuta nossos soluços noturnos. Alguém que sabe que uma decepção é apenas uma etapa na nossa vida e que não é isso que vai nos impedir de continuar. Alguém que nos ama mesmo se nos sentimos desolados e incapazes. Mesmo se não elevamos nosso pensamento a cada dia em oração. Alguém que conhece mesmo nossa sombra, ou a sombra do que somos e, apesar disso, nos ama.
E, cabeça erguida, decepções atrás de nós, vamos continuar. Perdemos hoje e ganhamos amanhã. As ondas vêm e voltam e as águas que correm sempre desembocam em algum lugar. As paradas acabam morrendo em si mesmas...

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

REINVENTE-SE




Reinvente-se!
Se o mundo te assusta, assuma uma atitude,
não deixe a situação te levar ao desânimo,
seja na sua casa, o pilar da paz que tanto deseja,
seja na sua rua, o que planta uma árvore,
no seu local de trabalho, o que sempre sorri,
na sua sala de aula, o que presta atenção e respeita,
no ônibus, o que cede o lugar,
no trânsito o que espera e segue,
na vida, exemplo do bem e de dignidade.
Não adianta esperar pelos governantes,
não adianta sonhar com um mundo melhor,
não adianta se revoltar e apenas falar,
nem adianta criar leis para vingança,
o que constrói é o amor, a solidariedade,
a certeza de que o respeito que você quer,
é o mesmo que o próximo espera.
Reinvente-se!
Comece de novo, respire fundo e pense,
nas POSSIBILIDADES que esse dia apresenta,
no que você pode fazer por uma criança,
que pode ser o seu filho ou do vizinho,
que queira ou não, é nessa grande família
que forma o Universo, o seu irmão.
Reinvente-se!
A esperança do mundo é você,
é a criação que você vai dar aos seus filhos,
é o amor que você vai passar aos amigos,
é a lição que você vai deixar no caminho.
Porque de tudo o que você construir,
só vai restar uma coisa: o seu exemplo.
Seja melhor à cada dia, reinvente-se!
Eu acredito em você.
Autoria de Paulo Roberto Gaefke
www.meuanjo.com.br