Páginas

domingo, 30 de agosto de 2015

PEGUE AS RÉDEAS DA SUA VIDA!



Nada mais inquietante do que não saber onde ir. Quando olhamos as estradas e caminhos que se apresentam diante de nós e nos faltam as forças para seguir por esse ou aquele, falta coragem, motivação e nossa maior vontade é nos abandonar.
Pior, muito pior, é conhecer as respostas e, ainda assim, sentir o desânimo da caminhada nessa estrada que parece nunca ter fim. O conhecimento, todas as teorias que vamos acumulando em nós, não nos servirão de nada se não os colocarmos em prática.
É como ter livros de receitas guardados em gavetas. Tudo parece delicioso, mas se nos faltam os ingredientes e a coragem para juntá-los, continuarão fechados.
Prático, muito prático é ter alguém que faça por nós. Mas a vida, os amigos e a família não são cadeiras de rodas, não são meios de locomoção, eles são nossa força e nossa alegria. Porém, precisamos aprender a andar por nós.
É necessário pegar as rédeas da própria vida, ter o controle, a direção. Há coisas que ninguém pode fazer por nós e viver está entre elas. E viver no sentido real, sentir na pele e na alma os acontecimentos que movimentam o mundo, os doloridos e os que nos encantam.
Fechados em casa, sem espaço, limitados pelas paredes e pelos sofrimentos, vamos nos afundando num poço sem fundo, do qual será muito difícil nos levantar. É preciso reunir a coragem e a força, misturar a alegria de viver com o sonho de se chegar a algum lugar, dar passos e abrir os braços à vida.
Aprendemos com os outros, mas não podemos contar que farão as coisas por nós. Suas vidas nos servem de exemplo, mas não nos fazem viver suas experiências. Estas são, com tudo o que elas trazem ou podam, nossa quota.
Se a vida tiver que te transformar, que seja então em alguém melhor.
Não há melhor momento que o de agora para se pegar as rédeas da vida e dirigi-la. O ontem passou e o amanhã está adiante... ame-se o bastante para construir seu abrigo. Creia, muitos são os que precisam da sua sombra e bem-aventurado é o homem que, assinando sua obra dá de si, a si e aos outros.
E do Alto Deus vê e agradece, sorrindo pra você.

sábado, 29 de agosto de 2015

PEDRAS PRECIOSAS



Não, nossa vida não tem preço. Percebemos isso mais claramente quando a saúde nos abandona. E se não chegamos a esse extremo, é possível que nossos olhos continuem vendados à essa grande preciosidade que nos faz passar de um dia para o outro.
Há pessoas que admiramos pela força, inteligência, pela maneira como conduzem a vida e alcançam vitórias.
Essas pessoas que deveriam servir de exemplo podem, ao contrário, fazer com que nos sintamos diminuídos. Gostaríamos de ser assim, ter essa garra ou esse dom e levar a vida no lugar de nos deixar levar por ela.
Porém, somos todos únicos. O que diferencia uma pessoa da outra é a maneira como ela se vê e tenta fazer alguma coisa daquilo que enxerga. Não possuímos o valor que nos dão, somos o que somos e se o que vemos não nos agrada, podemos fazer algo diferente e melhor.
As pedras preciosas nascem brutas e, mesmo se preciosas, têm uma aparência normal, quando não até feias. Mas, lapidadas, são maravilhas aos olhos. Refletem o sol e a beleza.
A princípio ninguém é melhor que ninguém. Um rei e um mendigo são gerados da mesma forma e morrem da mesma forma. Mas as oportunidades que aproveitamos ou jogamos fora nos tornam pessoas diferentes, comuns ou especiais.
Jesus não teria morrido na cruz por nós se Ele achasse que não valeríamos a pena.
Aos olhos de Deus, somos todos pedras preciosas. E se a vida nos lapida, a outra parte cabe a nós de arredondar, colocar formas, dar brilho e fazer diferença no mundo.

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

PARA SER FELIZ



O que você precisa para ser feliz? Responda... pegue papel, caneta e faça uma lista, olhando bem dentro do seu coração.
O sentimento de felicidade e, creia, de infelicidade, é coisa individual. O que faz uma pessoa feliz pode não fazer  uma outra.
O grande problema de todo mundo é que quanto mais temos, mais nos tornamos exigentes. Só que não sabemos isso com antecedência. Nos dizemos: se eu tivesse isso, seria feliz. Mas depois de satisfeitos, outro vazio se abre, então queremos mais e assim por diante. Nos sentimos felizes no momento e depois da euforia passada, tudo parece banal.
O amor faz feliz. Mas o amor sem dinheiro pode não ser o bastante. Então queremos os dois. Depois pedimos saúde, casa, filhos, um bom trabalho... e assim por diante. Como um pedreiro, vamos construindo nosso ideal de felicidade tijolinho por tijolinho, sem portanto jamais terminar de construir, como se a vida fosse uma obra inacabada.
Quando tudo parece completo, reclamamos do tempo que passou e nos arrependemos do que não fizemos ou nos dizemos que poderíamos ter feito mais.
Digo tudo isso para dizer que o ser humano parece sempre insatisfeito.
Penso que a verdadeira felicidade devemos aprender é com as crianças: beber dessa água e desses instantes e não pensar em mais nada! Ser feliz, simplesmente, não colocando a felicidade como objetivo para o próximo passo, sem portanto, deixar de caminhar.
O mundo anda, andamos com ele.
Não podemos usufruir da felicidade presente pensando sempre na outra que virá, porque é isso que causa insatisfação nas pessoas. Se sempre esperamos que será melhor amanhã parece o hoje parece insignificante.
Portanto, quanto proveito perdemos do presente porque não sabemos apreciar e dar o justo valor daquele momento. Temos, hoje, o que Deus permite que tenhamos e que nos sustenta. Ansiar por mais, sempre mais nos torna seres infelizes.
Quero abraçar o hoje com o que ele me oferece e amanhã será um outro dia onde poderei também extrair meu pedaço de felicidade. Porque felicidade é isso: pedaços aqui e acolá que vão enchendo nosso coração.
Deus cuida de nós como cuida dos pássaros e das crianças. Os pássaros cantam em todas as ocasiões e as crianças riem do nada. Eles sabem, da maneira deles, aproveitar do momento presente e extrair de cada instante a felicidade.  São felizes com a simplicidade que Deus pede ao nosso coração.
Para ser feliz, viva seu agora. Torne-se criança no coração e na alma. Cante como os pássaros e seu rosto terá aos olhos de todos a beleza dos lírios dos campos.

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

OS TALENTOS



Talento é a habilidade para desenvolver os dons com os quais Deus nos presenteia.
Ninguém foi feito grande e ao nascermos o Senhor nos oferece, como presente, um dom. Segundo as oportunidades que recebemos no início e depois, com nossa própria capacidade para trabalhar com isso, desenvolvemos ou não esse dom.
Quantas vezes as pessoas olham para outras que se saem muito bem no que fazem e se dizem: "- eu queria ter esse dom!" E eu pergunto: "Por quê? Onde está enterrado aquele que o Senhor te ofertou?"
Toda ferramenta não utilizada acaba enferrujando e perdendo o uso. Ela nunca vai deixar de ser uma ferramenta, mas poderá ser útil ou inútil. É como o próprio corpo que se não exercitado pode diminuir suas funções.
Deus nos deu a cada um uma medida para a nossa contribuição aqui na terra, para o enriquecimento daqueles que passam por nós e para que, em nós, sejamos completos. Uns enterram essa medida, outros a dobram e os mais sábios a multiplicam.
É importante, muito importante, colocar todo o nosso coração naquilo que fazemos e o resultado virá por si só.
Seu dom é cantar? Cante como ninguém! É escrever? Coloque sua alma em palavras! É ser hospedeiro? Abra seus braços e acolha com todo amor. Quem sabe não seja seu dom o de ouvir as pessoas? Ouça, então, com o coração aberto!
Há no universo tanta variedade de dons quanto há de flores e pássaros! Se o mundo ainda não descobriu o que você tem de melhor dentro de si para oferecer, desenterre seu presente, limpe-o, trabalhe até que sua contribuição na terra seja revelada!
Não existem dons grandes e dons pequenos, pois Deus nos confiou aquilo que Ele pensava nos fazer felizes. As mãos não são mais importantes que os pés e os olhos não são melhores que a boca. Cada qual, com sua participação, enriquece nosso corpo, dá vida, dá utilidade.
Ter talento é ter habilidade. É sim. Habilidade de render a Deus a graça com a qual Ele nos ofertou.