Páginas

terça-feira, 15 de abril de 2014

MEU AMOR




Eu queria ser para você uma mulher perfeita. Não sem imperfeições, mas aquela que se encaixa em tudo o que você precisa e deseja para se sentir completo.
Um amor para ser grande não precisa ser extraordinário, mas deve ser único. E único quer dizer sem igual, próprio, sem comparação.
A gente percebe que está amando uma pessoa quando se dá conta que pensa nela o tempo todo. E depois que esse amor vai envolvendo toda a superfície do nosso coração, vemos que os defeitos do outro não nos decepciona, mas faz-nos vê-lo como é e o amamos apesar de tudo. Um amor de verdade sabe se fazer compensar.
O tempo tem tendência a desgastar tudo. As folhas amarelecem e caem, as flores murcham e as pétalas se separam. Mesmo as lembranças tornam-se embaçadas na nossa memória.
Só o amor verdadeiro perdura, permanece intacto.
Com esse o tempo passa e não desgasta o que sentimos, mas dá solidez e nos faz sentir seguros.
É o amor que gera amor, que produz amor, sem medos. Amor que dá certeza quando tudo o mais é incerteza. Amor que sabe que vai sem saber como e nem onde, mas não duvida... amor que persiste em ser, sem se perder. Amor que deseja e não se perde nesse desejo, mas se alimenta dele para ficar ainda mais intenso.
Assim é esse amor, essa brasa que queima e nunca se consome dentro do meu corpo. Uma fase além da paixão que um dia chegou e tomou conta de tudo. E quanto mais me aproximo, mais vejo nitidamente. E quanto mais vejo, mais amo. Amo amar e amo o amor.
Você é o amor do meu amor; é a razão que dá razão à minha vida. E tudo o que eu mais quero é ser eu pra você, sempre, no centro do seu coração e da sua vida. E me dar pra te fazer feliz e me dividir para te completar.

segunda-feira, 14 de abril de 2014

DESISTIR




Desistir... eu já pensei seriamente nisso, mas nunca me levei realmente a sério; é que tem mais chão nos meus olhos do que o cansaço nas minhas pernas, mais esperança nos meus passos, do que tristeza nos meus ombros, mais estrada no meu coração do que medo na minha cabeça.

domingo, 13 de abril de 2014

DOR




Tem dor que vira companhia. Olhando de perto, faz tempo que deixou de doer, só tem fama, mas a gente não solta. Quem sabe, pelo receio de não saber o que fazer com o espaço, às vezes grande, que ficará desocupado se ela sair de cena. Vazio é também terreno fértil para novos florescimentos, mas costuma causar um medo inacreditável.
Quando, finalmente, criou coragem e deixou de dar casa, comida e roupa lavada para a tal dor, ela desapareceu.

sábado, 12 de abril de 2014

EU ADMIRO




Eu admiro as pessoas que… acordam de manhã com alegria no coração… têm a coragem de levantar depois das quedas… não precisam de elogios nem de aplausos… sabem falar por favor e pedir desculpas… não se envergonham de dizer eu te amo.
Eu admiro as pessoas que… têm coragem de persistir mesmo depois de receber um não… são sensíveis e se emocionam com a dor do próximo… sabem que um abraço vale mais do que mil palavras… compreendem que um exemplo vale mais do que mil conselhos… sabem sorrir para as crianças.
Eu admiro você que… tem a humildade para estudar e aprender… procura as respostas mesmo quando elas estão escondidas… sempre quer fazer o melhor… não desiste de lutar, apesar dos desafios… reconhece que não sabe tudo.
Eu admiro sua busca por fazer o que a sua alma pede. Eu admiro você que, com humildade e dedicação, faz a vida acontecer. Você é meu herói de verdade! Faça por merecer!

sexta-feira, 11 de abril de 2014

OM MANI PADME HUM




Um dos mantras mais famosos do Budismo, leva  a uma reflexão que qualquer ser humano pode e deve fazer.
Om fecha a porta do sofrimento que vem do orgulho, orgulho que tem cegado os homens de todas as religiões.
Ma fecha as portas do sofrimento que é gerado pela inveja. A inveja é a cegueira do espírito tolo, infantil.
Pad fecha a porta dos sofrimentos humanos, das doenças, da velhice, que nascem dos "desejos". Pessoas controladas por desejos fazem loucuras.
Me fecha a porta do sentimento da ganância. O próprio planeta sofre com esse sentimento que destrói, que coloca o lucro acima da vida.
Hum fecha a porta do sofrimento do inferno, que é o sentimento da raiva e do ódio. O homem coloca o inferno dentro de si mesmo quando odeia o seu próximo. Quando a cólera, a raiva toma conta das suas ações, só desgraças serão atraídas.
Om mani padme hum.
Para libertar o seu espírito dos desejos mundanos, da raiva, da ganância, do orgulho, dos desejos desenfreados da vida comercial que a sociedade tenta impor. Para a sociedade o recado é só um: consuma, consuma e seja consumido.
Para Deus, é liberte-se, despoje-se, siga-me e viva a eternidade da paz, das bênçãos, da água que sacia para sempre, da leveza de se ter a "alma leve", livre dos conceitos humanos de felicidade.
Para os conceitos humanos de felicidade, quanto mais você tem, mais é feliz, o que sabemos que não é verdade. O acúmulo de bens materiais é um fardo que por vezes é tão pesado como o próprio mundo.
Para os conceitos divinos, o acúmulo de bens "espirituais" é o maior tesouro que um homem pode ter. Caridade, despojamento, amor sem medidas, humildade, serenidade, esses sim, são tesouros que o tempo não corroem, não passam, são eternos, como você.
Om Mani Padme Hum.
Para que você reflita nas futilidades da vida, deixe de preocupar tanto com o que nada vai acrescentar na sua vida, e preocupe-se um pouco mais com o que é verdadeiramente importante.
Eu acredito em você.
PS: Om Mani Pade Hum é o mantra do bodhisattva da compaixão: Avalokiteshvara Kwan Yin.
Os tibetamos entoam-no como: OM MANI PEME HUNG.
Recitar o Mantra Om Mani Padme Hum traz:
OM – Dissolve o orgulho
MA – Liberta do ciúme e da luxuria.
NI – Consome a paixão e os desejos
PAD – Elimina a estupidez e danos.
ME – Liberta da pobreza e possessividade.
HUM – Consome a agressão e o ódio
Autoria de Paulo Roberto Gaefke
www.meuanjo.com.br