Páginas

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

IRRETOCÁVEL


Tenho cabelos claros, pintados, para esconder os fios brancos. Não me recordo exatamente em que ano eles começaram a branquear...
Tenho algumas rugas em volta dos olhos, mas também não me recordo quando elas começaram a aparecer. Tento disfarçá-las, são tantas novidades no campo da dermatologia, achei por bem aproveitá-las.
Do corpo, quase não cuido, só recentemente entrei para uma academia por ordem médica. Ele me disse que na minha idade preciso de exercícios. Mas falto mais do que vou, não gosto de fazer ginástica.
Das minhas unhas cuido semanalmente, penso que elas são um cartão de visita. Unhas maltratadas causam uma péssima impressão!
De uns dez anos pra cá descobri os cremes e aí compro um aqui, outro ali e no final não uso nenhum, mas compro, só de olhá-los na prateleira já percebo que as rugas se retraem.
Sou assim, vaidosa, mas não em excesso, penso que sou na medida certa, na medida correta para uma mulher.
Enfim, os anos passam e as marcas que eles deixam em nós, não temos como conter. Nem pretendo isso! Acredito que cada marca, que meu corpo carrega, tem uma linda história.
Às vezes na frente do espelho ao descobrir uma nova ruguinha fico pensando o que a causou. Depois reencontro com outra que já está vincada há anos e me recordo quando ela apareceu.
Poderia enumerar também a história de cada fio de cabelo branco. Foram filhos, amores, marido, amigos que colocaram eles ali.
Não quero me desfazer de nenhuma dessas marcas, apenas amenizá-las, acho que mereço isso. A vida me deve isso.
Atualmente a parte que merece mais a minha atenção, é a cabeça.
Tento, todos os dias, colocá-la no lugar, equilibrá-la, alimentá-la com sonhos e alegrias.
Corpo e mente caminham juntos. Se um estiver em estado lastimável, o outro provavelmente vai se deteriorar.
Não escondo minha idade. Não adiantaria falar que tenho trinta e cinco e apresentar um filho de trinta. Portanto eu confesso: tenho sessenta e um anos. Metade deles bem vividos, a outra metade muito sofrida.
Mas é exatamente aí que está o encanto da minha idade.
Conheci de tudo um pouco, das lágrimas aos sorrisos e ambos me fizeram ser essa pessoa que sou hoje.
Ficaram as rugas no rosto e na alma, mas também ficaram sorrisos em ambos.
Minhas rugas mais bonitas são aquelas marcas de expressão que eu adquiri por tanto sorrir, muitas vezes, quando o coração chorava.

6 comentários:

Helena disse...

Um texto irretocável, como a alma que o ditou.
Essa, não envelhece...
Amei cada letra do que disse aqui, tomo pra mim cada pensamento, leio de novo e assino embaixo...
Um beijo e meu carinho!

JFS disse...

Estás contando que vivestes a vida. As marcas que a vida deixou, são as medalhas de teres percorrido esse caminho longo e curto. Tudo que contas me diz que seu coração ficou intacto, sem rugas sem brancos, a brilhar cada dia mais. Que bom! Bjo.

Simone Anjos disse...

Maria José,

Devemos sim, manter esse equilibrio entre corpo, mente e alma.
Beijos na sua alma iluminada,

Maria Izabel Viégas disse...

Zezé do meu coração

Como são profundos teus textos. Sejam pinçados de um autor, a escolha é sempre movida pela tua alma bela.
E os que escreves são assim: LUZES!
Amada, assim como vc não me importo com a idade. Nem cabelos brancos( tintur neles ou , ás vezes, um branquinho básico rss. nem rugas.
Não sei se são marcs de sofrimento...devem ser, ou efeitos da lei da gravidade mesmo. rsss
Vou nascer na lua na próxima encarnação.
Mas...quando amadurecemos , creio, sinto que nossos olhos da alma se abrem mais.
E tua alma é brilho cintilante!
É bom ter um passado... e um futuro.
E viver este presente que é a Vida.
beijos querida de minh'alma!

Ando muito devagar,posto quando posso, estou olhando o mundo lá fora, viu? E lutando a bela mas difícil luta do cotidiano, testes para saber se temos a fé praticada.

Julimar Murat disse...

Nós mulheres trazemos um pouquinho desta história. Tantos felizes, outros tristes, mas todos vividos.
Um grande beijo e muita luz

Julimar

Mariz disse...

Querida Maria José

Vim aqui de fugida. Visita de médico. Prometi a mim mesma depois do que ouvi no meu interior que não passeava mais pela blogosfera, para não perder tanto tempo a escrever aqui e ali.Foi por isso que fechei os meus comentários, para que as pessoas não ficassem tristes e de alguma forma se sentissem ofendidas pela minha descortesia ou falta de educação - mas não é disso que se trata.
Porém ouvi cá dentro que o que fazia aqui deveria ser considerado como um "serviço" e devia limitar-me a passar a mensagem".
Não posso por isso estar em constante dispersão, acalentando situações virtuais que podem conduzir a um falso alimento - embora eu goste muito de ti e penso que o saibas ou aliás o sintas, - igualmente com outras pessoas.
Mas se queres saber? Pouco tempo depois, não mais me apeteceu vir para a blogosfera!Estranho, não?

Quanto a este post, também tenho 60 anos nunca escondi a mina idade, logo que se deu o meu "despertar", não mais comprei montes de maquillagem,ou cremes para dia ou noite ou ....
uso e quando me lembro, 1 para o dia todo; não arranjo as unhas, senão cortá-las rentinhas, e não as pinto.; também não escondo os cabelos brancos nem com nuances douradas com sempre usei e ando sempre de cara lavada,sem qualquer artifício.
E gosto de mim...assim.

Deixo a minha benção e um ramo de lilases, com umas pernadas de alfazema que colhi no meu mini jardim.
Gosto muito de ti.

Sempre..
MAriz