Páginas

terça-feira, 7 de julho de 2015

O DOM DE DAR



Quando você der alguma coisa, faça isso de coração, nunca porque você espera que amanhã vai receber algo em troca. Disso a vida se encarrega.
Quando amar, ame intensamente; quando der uma esmola, faça e se esqueça; quando perdoar, perdoe.
Os gestos que não são acompanhados por um sincero sentimento no coração são vazios e inúteis: Deus não os recebe.
Os pequenos gestos, mas que são tudo o que você pode dar, acompanhados da alegria de ofertar, são recebidos com grandes festas pelos anjos.
Ninguém compra felicidade, ninguém compra bênçãos; essas coisas são simples retornos dos nossos atos. Da mesma maneira como regamos as flores que enfeitam nosso jardim ou nossa casa, Deus rega nossas vidas quando enfeitamos a vida de alguém.
Bens materiais a gente gasta e deixam de existir. O bem que fazemos pra alma dura eternamente. 
Quando investimos na felicidade dos outros, sem saber estamos investindo na nossa própria felicidade.
A bondade é uma dádiva que todos recebem. Só que uns descobrem e outros não; uns utilizam e outros não. Isso faz uma grande diferença entre as pessoas. 
Se você acha que é pobre demais para oferecer algo ao próximo é porque ainda não percebeu que tempo é realmente dinheiro, a riqueza que é seu sorriso, o valor que tem sua oração e o calor que pode emanar do seu corpo num abraço amigo e sincero. 

Um comentário:

Nidja Andrade disse...

Como diz o sábio e antigo ditado: é dando que se recebe...
Devemos ser solidários, praticar a irmandade a dádiva do receber e oferecer.
Excelente texto!...
AbraçO