Páginas

domingo, 1 de setembro de 2013

MISTÉRIO DOS IPÊS


A cada florada, o ipê revela parte dos misteriosos segredos da vida, cifrados na sua cor amarela:
O tempo vivido, a promessa não cumprida, a carta não escrita, o perdão não pedido, a bênção não dada.
Mas, revelam também os ipês, o fulgor das paixões, as eternas juras de amor, embora nem sempre cumpridas, que se desfolharam e se espalharam pelo chão.
Sedutores amantes, ipês acariciam a pele morena de cada solo, ora sobre a grama verde, ora sobre a terra nua, ora sobre a tez negra do asfalto.
Aos olhos da criança, o tapete amarelo ouro revela suave lembrança que o vir-a-ser é um tesouro.
Inebriados na fantasia bonita, jovens se entregam sem medo.
Em setembro, misteriosamente, surgem ipês desabrochando versos, em azul, branco, roxo, rosa, amarelo, eternizam suas mensagens de amor em cada ninfa semente.

4 comentários:

Zélia Cunha disse...

Tão lindos e efêmeros, mas que não me canso de admirar.Todos os anos espero ansiosa pela florada dos ipês. Lindos, delicados e misteriosos.
Um lindo início de setembro pra você!
Beijos.

Rô... disse...

oi minha amiga,

aqui pertinho de casa tem um roxo tão lindo,
que parece pintura,
muitas vezes fico olhando durante muito tempo,
parece que não é real...
Deus é perfeito!!!

beijinhos

Orvalho do Céu disse...

Olá, querida
Do amarelo e rosa tenho visto pilhas em SP, em MS e em MG...
Bjm de paz e bem

Duendes disse...

Linda poesia amiga....passei pra matar as saudades.beijocas mil.