Páginas

quarta-feira, 30 de maio de 2012

O AMOR NÃO MORRE




O amor não morre. Ele se cansa muitas vezes. Ele se refugia em algum recanto da alma tentando se esconder do tédio que mata os relacionamentos.
Não é preciso confundir fadiga com desamor. O amor ama. Quem ama, ama sempre. O que desaparece é a musicalidade do sentimento.
A causa? O cotidiano, o fazer as mesmas coisas, o fato de não haver mais mistérios, de não haver mais como surpreender o outro. São as mesmices: mesmos carinhos, mesmas palavras, mesmas horas... o outro já sabe!
Falta magia. Falta o inesperado. O fato de não se ter mais nada a conquistar mostra o fim do caminho. Nada mais a fazer.
Muitas pessoas se acomodam e tentam se concentrar em outras coisas, atividades que muitas vezes não têm nada a ver com relacionamentos. Outras procuram aventuras. Elas querem, a todo custo, se redescobrir vivas; querem reencontrar o que julgam perdido: o prazer da paixão, o susto do coração batendo apressado diante de alguém, o sono perdido em sonhos intermináveis e desejos infindos.
Não é possível uma vida sem amor. Ou com amor adormecido. Se você ama alguém, desperte o amor que dorme!
Vez ou outra, faça algo extraordinário. Faça loucuras, compre flores, ofereça um jantar, ponha um novo perfume.
Não permita que o amor durma enquanto você está acordado sem saber o que fazer da vida. Reconquiste!
Acredite: reconquistar é uma tarefa muito mais árdua do que conquistar, pois vai exigir um esforço muito maior. Mas... sabe de uma coisa? Vale a pena! Vale muito a pena!

7 comentários:

Luís Coelho disse...

O amor na verdade não morre porque muitos dos que amamos nesta vida já partiram e nós continuamos a amá-los como se estivessem por perto.

Existem dias em que o amor parece ter ido de férias. Andamos distraídos e nem damos conta que o deixámos arrefecer.

sonia disse...

Maria José,

Bem vindo o seu texto hoje, sabe eu persisti muito no amor, foi um vem e volta por várias vezes, e agora foi e não voltou.

Mas eu tenho esperança, que ele volte novamente, é preciso superar as decepções e as desventuras que vieram de fóra, e pôs tudo a perder.

Seu texto me deu coragem de não desistir do amor.]]

beijos sonia.

Gilmara Wolkartt disse...

Linda essa mensagem, é o amor que sempre desperta o que temos de melhor!
Gd beijo

Dilmar Gomes disse...

Com certeza amiga Maria, a arte da reconquista exige um esforço bem maior.
Um abraço. Tenhas uma boa noite.

Sérgio Santos disse...

O amor sempre vale a pena, Maria. Pena que às vezes temos medo de expressá-lo com medo de sermos rejeitados. Parabéns pelo blog. bjs

Cynthia (Astroterapia Junguiana) disse...

Bom Dia Maria, realmente o verdadeiro amor é espera, ele tem paciência, ele sabe compreender. Bjs Cynthia

ValeriaC disse...

Surpreender vez ou outra é sempre muito legal...
Beijos,
Valéria