Páginas

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

O NAUFRÁGIO DE MUITOS INTERNAUTAS



Alice estava desnorteada, e encontrando um gato sentado sobre o galho de uma árvore, perguntou-lhe:
O senhor poderia me dizer, por favor, qual caminho tomar para sair daqui?
Isso depende muito de onde você quer ir... - respondeu o gato com um sorriso enigmático de orelha a orelha.
Não me importa muito para onde... - afirmou Alice.
O felino sentenciou: - Então não importa o caminho que você escolher. Para quem não sabe para onde ir, qualquer caminho serve.
Nestes tempos de informações abundantes, de possibilidades infinitas, de tecnologia surpreendente, fazem-se necessários alguns cuidados.
Cada dia fala-se mais e mais, sobre a triunfal entrada da Humanidade na era do conhecimento.
Exalta-se a capacidade humana de estar vivendo, a partir deste momento, um período no qual o conhecimento será a primeira riqueza.
Tudo é fonte para o conhecimento, e a principal delas é a internet.
É neste ponto que precisamos ir devagar com as coisas.
Não se deve confundir informação com conhecimento.
A internet, dentre as mídias contemporâneas, é a mais fantástica e estupenda ferramenta para acesso à informação.
No entanto, transformar informação em conhecimento exige, antes de tudo, critérios de escolha e seleção, dado que o conhecimento - ao contrário da informação - não é cumulativo, mas seletivo.
Seria como alguém que entra numa dessas grandes livrarias, sem saber muito bem o que deseja.
Corre o risco de entrar em pânico, tendo a sensação de débito intelectual, sem ter clareza de por onde começar e imaginando que precisa ler tudo aquilo.
Faz-se fundamental o critério, isto é, saber o que se procura, para poder escolher, em função da finalidade que se tenha.
Os computadores e a internet têm um caráter ferramental que não pode ser esquecido.
Ferramenta não tem objetivo em si mesmo. É instrumento para outra coisa, para outro fim.
O critério, o equilíbrio, nos permitirão, assim, poder utilizar desse ferramental com sabedoria, na dosagem certa, no momento adequado.
Sem critérios seletivos, muitos ficam sufocados por uma ânsia precária de ler tudo, acessar tudo, ouvir tudo, assistir tudo.
Esquecem-se de se perguntar: Eu quero isso para mim? Eu preciso disso? Para que serve? Aonde desejo ir?
Nos tempos de hoje, se não formos muito cuidadosos, corremos o risco de navegar na internet, e naufragar.
Sêneca, sabiamente, já havia dito, que nenhum vento é a favor, para quem não sabe para onde ir.
David Hume, afirmava: "Por conhecimento, entendo a certeza que nasce da comparação de idéias".
Para que nasça o conhecimento é necessário pensar, comparar, conectar idéias.
Nenhuma informação poderá ser tomada por verdade, por conhecimento, antes de amadurecer dentro da alma humana.
Sabedoria não se transmite. É preciso que nós mesmos a descubramos depois de uma caminhada que ninguém pode fazer em nosso lugar.
Redação do Momento Espírita com base no texto O naufrágio de muitos internautas, do livro Não nascemos prontos - provocações filosóficas, de Mario Sergio Cortella, ed Vozes.
Enviado por Roy Lacerda do blog
MomentoBrasil e foi aqui postado, por ser pertinente à proposta do Arca.

5 comentários:

Duendes disse...

Ola ,
aqui estou a visitar minha querida amiga....espero tenhas passado bem as festas e que este inicio seja de muita saude e energia para vivenciar todo este ano que temos pela frente!!beijocas mil e otimo final de semana.

Orvalho do Céu disse...

Olá, querida
Esse processo de auto descoberta nos ensina muito... nos faz crescer em todos os níveis do nosso viver...
Bjm festivo de paz

Cris Tarcia disse...

Maria José, um abençoado Ano Novo, com muita saúde e paz!!

Beijos

AugustoCrowley disse...

Muito interessante seu texto, temos que ser seletivos realmente, afinal, a internet pode ser uma boa cilada para quem não sabe o que busca.

Sandra Portugal disse...

Querida
Hoje tem retrospectiva lá no ProjetandoPessoas, aguardo sua visitinha!
bjs Sandra
http://projetandopessoas.blogspot.com//