Páginas

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

AO HOMEM PERTENCEM OS PLANOS DO CORAÇÃO


Existe certamente uma diferença entre a teimosia e a persistência.
Aquele que persiste tem um objetivo do qual não larga, não abandona facilmente até que o último suspiro seja dado, ou a vida decida de outra maneira. O persistente é forte nos seus objetivos.
O teimoso, por outro lado, é um persistente exagerado, que vai em frente sem querer saber o que encontra no caminho, cego a quaisquer outras idéias que a sua.
O persistente, com o tempo alcança alguma coisa. O teimoso caminha, caminha e acaba se esbarrando em dificuldades que com o tempo o farão desistir.
Muitos e muitos dos projetos que fazemos vão por água abaixo. Outros, iremos até a linha de chegada e carregaremos no rosto o sorriso de satisfação.
E entre as coisas que conseguimos e as que perdemos, ganharíamos um tempo enorme se pudéssemos ter a honestidade de identificar os sinais e seguir por eles.
As coisas que não dão certo não chegam a esse fim de um dia para o outro. Os sinais aparecem, mas preferimos ignorá-los, achamos desculpas pra eles e até (que ironia!) dizemos que estão lá apenas para nos testar.
É quando insistimos nesses caminhos que sabemos que não levam a lugar nenhum que choramos nossas mais grossas lágrimas.
O coração não engana ninguém. Ele dá os sinais e fica de lado para deixar a cada pessoa seu livre arbítrio, direito de cada um de errar e de acertar.
E nós vamos plantando e colhendo os frutos das nossas decisões.
Todos os nossos projetos chegam ao trono de Deus. E Ele, carinhosamente e até com jeito, inúmeras vezes nos diz que eles não são bons, porque nos ama e quer evitar nossas lágrimas e decepções.
E, como os que pensam que tudo sabem, apresentamos nossos projetos, mas ficamos surdos à resposta Divina, aos apelos do coração que se enganam com menos freqüência do que pensamos.
É isso que nos dá o nó no estômago e a consciência que nos diz “eu sabia”, mas que chega, infelizmente, sempre tarde demais.
Portanto, é assim que vamos aprendendo a vida e que nosso coração adquire a certeza que o Senhor responde a todas as nossas perguntas, mesmo se às vezes são coisas que não queremos ouvir.
E aprendemos também que confiar no Senhor é dar um passo à frente, é evitar certas estradas, os tropeços, os choros e abrir os olhos aos horizontes serenos aos quais Deus nos destina.

15 comentários:

São disse...

Sim tem razão: há vários graus de teimosia m convicções e persistência.
Que saibamos ser convictos, mas ter a humildade de reconhecer os nossos erros.
Um abraço.

Bloguinho da Zizi disse...

Confiar...
por que ainda tanta resistência?

José Gonçalves disse...

Olá Maria José Rezende,

Depois de tanto escrever.... não ficou nada!!!

Vamos recomeçar.

O trabalho não é da tua autoria,

As reflexões a que leva, são pertinentes e presentes,

A mensagem, muito assertiva e objectiva.

Contudo...

Contudo tem um pequeno "mas".

Logo no início do texto:

"O teimoso, por outro lado, é um persistente exagerado..."

Discordo em absoluto desta comparação entre duas personalidades tão distintas.

O "teimoso", é alguém que não tem um objectivo, não tem um rumo, não tem um caminho, não tem nada!

Anda ao acaso, vai teimando por convicção.

Por vezes, até que pode acertar em algo.

Mas na maioria das vezes acaba mudando de rumo para teimar noutro local!

É a sua personalidade. Nada a obstar!

O "persistente", não!

O "persistente", antes de tudo, tem um projecto, tem um objectivo, tem um caminho, um alvo a alcançar.

Poderá eventualmente ter que proceder a acertos de estratégia, optar por outros caminhos até, mas o alvo, o objectivo, mantém-se inalterado.

E normalmente, alcança-o!

Dizer que este é o primeiro exagerado, não me parece correcto!

São duas personalidades completamente distintas.

Esta, e a minha leitura. Nada mais do que isso!

Estou certo que também partilhas este meu pensamento, como muitas das pessoas, senão a maioria.

É apenas uma critica, construtiva.

É a minha análise, de um desentendido na matéria.

Não leves a mal.

Um abraço e até sempre,

José Gonçalves
(Guimarães)

Jorge Nectan disse...

O teimoso busca superar pelo orgulho e o persistente pela confiança.
Creio que quanto mais orgulhoso é uma pessoa mais distante de ser persistente.
Mas achei muito interessante a comparação. Porque a diferença entre ambos está na sua condição moral e não se justificar que um é assim e outro não. Cada um busca o caminho que quer...assim, as consequências são responsabilidades de cada um.

Minha amiga,

Beijo, de coração!!!

Juci Barros disse...

Penso que há méritos também nos teimosos e/ou persistentes. Porém, é o equilíbrio que deve prevalecer sempre, uma pequena dose de confiança não seria ruim.
Beijos.

Rodrigo Passos disse...

como seu texto me preencheu!!!!

Maysa disse...

lindo ......profundo para pensar
abraço
elisa

manuel marques disse...

Gabamo-nos de ter defeitos opostos àqueles que temos: quando somos fracos, gabamo-nos de ser teimosos ...

Beijinho minha querida.

ⓣⓔⓡⓔⓢⓐ ⓒⓡⓘⓢⓣⓘⓝⓐ disse...

Oiee Maria José...linda relexão.Somos sempre frutos das nossas próprias escolhas, e que ótimo quando sabemos acertar em cada uma delas.
bjss♥

Carmem L Vilanova disse...

Querida amiga,
Estive aproveitando uns dias de ferias de minha filhota e deixei o meu blog meio no piloto automatico e somente hoje estou podendo agradecer tuas visitas tao queridas.
Pouco a pouco estou colocando a leitura em dia, afinal sao duas semanas de atrasos (risos).
Beijos, flores e muitos sorrisos!

Kelly disse...

Oi querida, fé e confiança é o que nos resta. Beijos

Diogo Didier disse...

Que texto profundo! Estou a refletir sobre ele...

Mãe 24hs disse...

Muitas pessoas são corajosas em tomar determinadas decisões. Porém, são covardes em não admitirem que certas decisões foram erradas.Bjos, ótimo post!

Eliane Gonçalves disse...

Excelente texto!
Que Deus no auxilie a ser persistente sempre que necessário! Persistentes na nossa fé, mesmo quando as coisas não andarem como gostaríamos, persistentes no amor e na luz.

Um beijo grande,

Eli.

ValériaC disse...

Ótimo texto querida...que saibamos ouvir o discernimento de nossos corações e diferenciemos a persistência do que seja teimosia.
Doce final de semana amiga...beijinhos...
Valéria