Páginas

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

ESTAÇÃO DAS PERDAS


Há horas em nossa vida que somos tomados por uma enorme sensação de inutilidade, de vazio...
Questionamos o porquê de nossa existência e nada parece fazer sentido.
Concentramos nossa atenção no lado mais cruel da vida, aquele que é implacável e a todos afeta indistintamente: as perdas do ser humano.
Ao nascer, perdemos o aconchego, a segurança e a proteção do útero.
Estamos, a partir de então, por nossa conta. Sozinhos.
Começamos a vida em perda e nela continuamos.
Paradoxalmente, no momento em que perdemos algo, outras possibilidades nos surgem.
Ao perdermos o aconchego do útero, ganhamos os braços do mundo.
Ele nos acolhe: nos encanta e nos assusta, nos eleva e nos destrói...
E continuamos a perder... e seguimos a ganhar.
Perdemos primeiro a inocência da infância.
A confiança absoluta na mão que segura nossa mão, a coragem de andar na bicicleta sem rodinhas porque alguém ao nosso lado nos assegura que não nos deixará cair...
E ao perdê-la, adquirimos a capacidade de questionar. Por quê? Perguntamos a todos e de tudo...
Abrimos portas para um novo mundo e fechamos janelas, irremediavelmente deixadas para trás...
Estamos crescendo.
Nascer, crescer, adolescer, amadurecer, envelhecer, morrer, renascer (?)...
Vamos perdendo aos poucos alguns direitos e conquistando outros.
Perdemos o direito de poder chorar bem alto, aos gritos mesmo, quando algo nos é tomado contra a vontade.
Perdemos o direito de dizer absolutamente tudo que nos passa pela cabeça sem medo de causar melindres.
Assim, se nossa tia às vezes nos parece gorda tememos dizer-lhe isso.
Receamos dar risadas escandalosamente, da bermuda ridícula do vizinho ou puxar as pelanquinhas do braço da vó (o que deveria ser feito com a maior naturalidade do mundo e ainda falar bem alto sobre o assunto).
Estamos crescidos e nos ensinam que não devemos ser tão sinceros.
E aprendemos... E vamos adolescendo... ganhamos peso, ganhamos pêlos, ganhamos altura... ganhamos o mundo.
Neste ponto, vivemos em grande conflito.
Sonhamos acordados, sonhamos o tempo todo.
Aí de repente, caímos na real!
Estamos amadurecendo... todos nos admiram.
Tornamo-nos equilibrados, contidos, ponderados.
Perdemos a espontaneidade.
Passamos a utilizar o raciocínio, a razão acima de tudo.
Mas não é justamente essa a condição que nos coloca acima (?) dos outros animais?
A racionalidade, a capacidade de organizar nossas ações de modo lógico e racionalmente planejado? (???)
E continuamos amadurecendo.... ganhamos um carro novo, um(a) companheiro(a), ganhamos um diploma.
E desgraçadamente perdemos o direito de gargalhar, de andar descalço, tomar banho de chuva, lamber os dedos.
Já não pulamos mais no pescoço de quem amamos e tascamos-lhe aquele beijo estalado...
Mas apertamos as mãos de todos, ganhamos novos amigos, ganhamos um bom salário, ganhamos reconhecimento, honrarias, títulos, honorários e a chave da cidade...
E assim, vamos ganhando tempo.... enquanto envelhecemos.
De repente percebemos que ganhamos algumas rugas, algumas dores nas costas (ou nas pernas), ganhamos celulite, estrias, ganhamos peso... e perdemos cabelos.
Nos damos conta que perdemos também o brilho no olhar, esquecemos os nossos sonhos, deixamos de sorrir... perdemos a esperança.
Estamos envelhecendo.
Não podemos deixar pra fazer algo quando estivermos morrendo... afinal, quem nos garante que haverá mesmo um renascer, exceto aquele que se faz em vida, pelo perdão a si próprio, pelo compreender que as perdas fazem parte, mas que apesar delas, o sol continua brilhando e felizmente chove de vez em quando, que a primavera sempre chega após o inverno, que necessita do outono que o antecede...
Que a gente cresça e não envelheça simplesmente...
Que tenhamos dores nas costas e alguém que as massageie...
Que tenhamos rugas e boas lembranças...
Que tenhamos juízo mas mantenhamos o bom humor e um pouco de ousadia...
Que sejamos racionais, mas lutemos por nossos sonhos...
E, principalmente, que não digamos apenas eu te amo, mas ajamos de modo que aqueles a quem amamos, sintam-se amados mais do que saibam...
"CORAGEM NÃO É DEIXAR DE ARRISCAR... MAS É ARRISCAR MESMO COM MEDO”

Enviado por Roy Lacerda do blog MomentoBrasil (
http://momentobrasilcom.blogspot.com/)

18 comentários:

Poeta del Cielo disse...

En a sinceridade... o amor verdadeiro... o luta real... por realizar nossos sonhos ... en cultivar os coracoes cheio de amor pra ofrecer, dar y receber...saber que somos feitos de amor y por amor debemos viver sempre nele na vida.... ser verdadeiros sempre ....

lindo amiga... parabems

saludos
linda semana

abracos de coracao

Lú Silva disse...

OIe Maria... tem dias que realmente precisamos mais ainda da presença de Jesus, nõa é?

Vim dar-lhe um abraço forte
oate


Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Maria, belo texto...Espectacular....
Cumprimentos

Nana disse...

E assim, vamos ganhando tempo.... enquanto envelhecemos.
De repente percebemos que ganhamos algumas rugas, algumas dores nas costas (ou nas pernas), ganhamos celulite, estrias, ganhamos peso... e perdemos cabelos."

E assim vamos, o tempo vai passando.

abçs

alegria de viver disse...

Olá querida

Acho que é muito bom entrar nessa estação, caso contrario não estaríamos vivos. Depois as perdas são compensadas pelos muitos ganhos, a experiência é o que todos perguntam quando procuramos emprego,rs...rs...rs.

Com muito carinho BJS.

Kelly disse...

Em momentos de crise existencial a vontade que dá é exatmente essa : se esconder. É preciso coragem para viver.
beijos

Pelos caminhos da vida. disse...

Hoje é niver do meu filho, fiz uma homenagem pra ele lá no blog, vc quer comaprtilhar comigo?

beijooo.

Carla disse...

Belíssima postagem.
Na vida estamos a cada hora aprendendo e crescendo, desfazendo laços e criando outros, crescendo na vida e com a vida.Passsando por todas as fases que ela nos leva a seguir em frente.
bjssssss

Silvia disse...

Oi, Maria José
é muito comum não querermos aceitar que envelhecemos pois esquecemos de valorizar toda a nossa vivência que nos enriquece e nos dá o aprendizado.
Boa semana.

Elizabeth disse...

Boa noite amiga,
Muito lindo, como tudo aqui.
Beijo.

" ESSÊNCIA ESTELAR MAYA " disse...

Olá Maria José, que maravilhosa mensagem. A vida é tudo isso mesmo, mas, não vamos apenas assisti-lá como telespectadores, vamos participar atuando em cada cena, como grandes atores que sentem e se emocionam com cada capítulo de sua Vida.
Um grandíssimo abraço!
Lú.

Professora Carla Fernanda disse...

Boa noite Maria José! Linda reflexão!! Devemos aprender cada vez mais a pensar com o coração, que é o verdadeiro centro de nós cristãos.
Carla Fernanda

José Gonçalves disse...

Olá Maria José Rezende,

Ontem foi de facto um daqueles dias... onde a "inutilidade" prolduziu seus efeitos e me deixou, quieto!

Há dias assim!

É um belíssimo texto. Eu diria, é muito mais que um mero texto!

É uma Lição de Vida, mais uma, daquelas que aqui e ali podemos e devemos apreender.

E é bem Verdade Amiga Maria José, quanto mais crescemos mais perdemos do que ganhamos, e nem disso nos apercebemos!

Ganhamos o direito de, a qualificação de, o estatuto de, a obrigação de, e perdemos toda a inocência de agir mediante a franqueza dos nossos sentimentos.

Perdemos o direito de nos sentirmos livres porque temos a obrigação de ser um exemplo de.

E aqui talvez funcione a tal Mentira, que ainda à pouco aqui debateste, ao nos abstermos de sermos simplesmente nós mesmos, porque devemos ser aquilo que esperam que nós sejamos, mesmo que não o sejamos!

Dá para pensar, quem dera, para não esquecer!

Um abraço e até sempre,

José Gonçalves
(Guimarães)

Ives disse...

Ganhar rugas é uma benção né abraços

ValeriaC disse...

Querida texto bastante reflexivo...
E assim é a vida...se por um lado "perdemos", por outro podemos conquistar...as aparentes perdas, são para nosso crescimento, amadurecimento e para nos auxiliar...
Que nos fique a esperança de que algo bom sempre pode surgir, que em muito podemos enriquecer nossa vivência, apesar de tudo.
Doce dia amiga...beijos...
Valéria

Mari disse...

Lindo, lind, lindo o seu post!
Obrigada por compartilhar!
Amei esta frase: ""CORAGEM NÃO É DEIXAR DE ARRISCAR... MAS É ARRISCAR MESMO COM MEDO”
Um beijo querida

Jorge disse...

A vida é a nosso aprendizado, o nosso amadurecimento. Questionar os porquês é bom desde que se busque as respostas. Afinal somos dinâmicos e a passividade gera mais ignorância. Para quê vivermos num círculo vicioso se podemos criar um círculo virtuoso. Basta viver a própria vida curtindo cada momento, já que as coisas ocorrem na vida nos momentos certos, prontos para serem vividas.

Anjo, beijo!!!

Maria Adeladia disse...

Olá, Maria José!

Realmente, é importante lutarmos sempre!
Pois se deixarmos de lutar, morremos!

Abraços à vc!