Páginas

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

LÁGRIMAS DE DEPRESSÃO


Por ser uma doença tão incompreendida é que muitos evitam falar. Quem não experimentou, não sabe o que significa não ter forças emocionais para abrir a janela para ver o sol.
O depressivo busca refúgio no isolamento, ele não se sente abandonado, abandona-se, desiste de si, de uma certa forma.
Há pessoas que choram seu destino, mas ao depressivo isso não acontece, pois se chora é porque não consegue ver destino, nem bom, nem ruim, apenas um vazio instalado a alguns metros dos seus olhos.
Falta vontade pra levantar, pra andar, pra sair, pra viver... a única vontade que sobra é a de dormir, pois esta não pede esforço, não exige ajuda e não obriga ninguém a enfrentar o dia.
Na depressão só as lágrimas são companheiras, pois vêem sozinhas e ficam juntas sem tentar consolar e sem fazer perguntas ou exigências. Elas ficam, simplesmente, presentes.

Que a vida é bela eu sei! Ela é bela para quem ri e para quem chora, para quem espera e para quem desespera. Ela é bela quando é noite, quando é dia, quando a chuva canta na janela e os ventos assobiam estranhas canções.
Mas a beleza da vida não é atrativo bastante para encher uma alma de querer, para injetar nela a vida e novas perspectivas. É preciso mais, muito mais que a luz do dia ou a suavidade de uma flor para dar a uma pessoa o desejo de se levantar e recomeçar o caminho.
É difícil buscar forças quando já utilizamos todas as reservas possíveis, mas é exatamente esse o momento de dirigir-nos a Deus, pois se nossas forças físicas parecem mortas, nosso pensamento está bem vivo.
E é quando abandonamos completamente nosso desejo ao desejo de Deus, que nos tornamos mais fortes.
Que o depressivo não pense que chegou ao fim do caminho, ele apenas fez uma parada. Há ainda muita estrada pela frente, novas perspectivas e novos horizontes.
Quando Deus toma a direção das nossas vidas é que as janelas começam a se abrir, que nosso coração bate um pouco mais apressado e começamos a encontrar as soluções para o que antes parecia perdido.
Podemos atravessar a dolorosa estrada da depressão, mas chegaremos ao fim dela, pois se sozinhos nos sentimos, sós já não estamos.
A vida continua linda, continua bela. E se já não sabemos mais olhar, Deus nos ensina como abrir os olhos.

21 comentários:

Maria José disse...

Passei por esta experiência, quando há 3 anos e meio, perdi minha única filha, Marcela, com 22 anos e 10 meses. Não dá para explicar em palavras o tamanho deste sofrimento. A depressão se instala em sua vida, acompanhada de lágrimas, falta de vontade de tudo e um grande vazio no peito. O futuro deixa de existir. A esperança e o sonho perdem espaço, para dar lugar ao desânimo, à total entrega de si mesmo.
Quem estiver lendo este post e este comentário, e está passando por estado similar, posso garantir que com esforço e fé em Deus, conseguimos passar por esta fase. A dor continua. É inevitável. Mas conseguimos prosseguir nossa jornada, e assumirmos o que nos foi destinado fazer. A vida continua até quando Deus decidir.

Pelos caminhos da vida. disse...

Lágrimas de Depressão, sei bem o que é isso amiga.
Se não é Deus nunca mais achamos nosso caminho.

Depois que li seu comentário vi que não existe tamanho pra dor, ela chega se instala, depois vem a depressão e se não pegarmos nas mãos de Deus, tudo perde sentido,a vida continua mas nunca volta a ser como era antes.
Perdi dois irmãos,um à 15 anos, o outro à 4 anos,a dor da ausência, da saudade,não tem cura, apenas amenizou.

Um gde abraço amiga.

beijooo.

Arcanum disse...

Cara Maria

Vc é um exemplo de superação, apesar de sua dor contínua. Também tenho uma amiga que trabalhou comigo no Estado que perdeu o único filho dela com apenas 20 anos de idade num acidente de carro, e como vc também abraçou a fé para abrandar sua dor, e prosseguir com sua missão.

A VIDA CONTINUA porque nós todos temos, cada um, uma missão a cumprir.

São poucas as pessoas que se deparam com a depressão e ainda encontram forças para continuar a viver e ainda acreditar em Deus. Exercitar a fé num momento como esse eu digo que é muito difícil, tendemos a vacilar as vezes, mas o certo é ir no peito e na luta, apesar da dor que abranda vagarosamente.

Fica na paz.

MOMENTOBRASILCOM.COM disse...

Ma. JOSÉ, sabes taõ bem qto eu, q/ a depressão tem outro o nome e outra causa. Abrçs. Roy Lacerda.

Beth Cerquinho disse...

Maria José,agradeço sua visita e que óootimo que vc gostou. Sou excessivamente sincera.
Ser mãe realmente foi a coisa mais perfeita que consegui fazer nessa vida e curto minha obra prima com olhos de paixão...é uma sensação única minha amiga.
Seja bem vinda e vamos artesanando a vida como dá...rsss
Bjka e uma mega semana.

angela disse...

Maria José
O texto é muito bom e de certa forma diferencia a tristeza da depressão. Imagino sua dor sei que esta ai todo tempo e é isso que magnifico no ser humano, poder viver mais de um sentimento ao mesmo tempo e as vezes sentimentos antagonicos.
beijos

Reino da Fantasia disse...

Exatamente assim! bjs e paz.

alegria de viver disse...

Olá querida amiga
Também sei o que é sofrer de depressão, e a minha veio acompanhada de pânico, foram tres anos dificeis, sem entender o que acontecia, só entende quem passa por isso, graças a Deus passou, muita fé, terapia e muitos florais. Alguns são escolhidos.
Com muito carinho BJS.

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Só a fé no amor, e a companhia da amizade podem nos ajudar nestes instantes.

Não há palvras para descrever o que se sente nestas horas.

Perfeita a reflexão.

Esta semana publiquei no blog
www.sonhosdeumprofessor.blogspot.com
um texto que gosto muito, e para mim uma celebração a nós que ensinamos.

No outro blog
www.semvoceeunaoseria.blogspot.com
há um texto de agradecimento a quem nos torna melhor pela força do amor.

Espero novamente a sua visita.

Semana de sonhos para ti.

Chris... ჱܓ disse...

Olá!
Perfeito o teu post...
A depressão é algo terrível... Toda doença que vem do emocional é muito difícil de curar... Necessita de muita força de vontade e motivação...
Mas com Deus, nada é impossível... E quem crer Nele vencerá.
Muito interessante o teu blog...
Adoro ler teus posts.
Parabéns!
Bjos!

Rejane disse...

Maria José , que barra minha querida!não, ninguém que não tenha passado por uma perda dessa , consegue medir o tamanho da tua dor.Eu tive depressão após um divórcio de um casamento que durou 23 anos e foi terrível!! e mesmo tendo sido terrível, com certeza nem se compara a uma perda de um filho.Só Deus mesmo para dar forças para continuar a labuta.Um grande beijo no teu coração .Te desejo muita paz!! Fica com Deus!!

Sônia Silvino disse...

Maria José!
Sinto muito pela sua perda! Soube ao ler o seu comentário acima. Não há palavras! Já passei pelo processo da depressão. Não é nada fácil. E pior ainda é a falta de compreensão de algumas pessoas e o preconceito de outras. Mas a gente supera e continua vivendo!
Beijos, minha amiga!
Boa semana!!!

Jorge disse...

Maria José,
Esta doença é dolorosa e realmente só quem passa, sabe dizer o tamanho dela.
E aquele que confia firmemente em Deus, tem a capacidade de superar, vamos assim dizer, com mais firmeza.
Precisamos trabalhar a nossa religiosidade pois é através dela que encaramos a vida de frente, sem receios pois confiamos!
Você passou por isto num momento muito doloroso. Mas superou, o que mostra a tua força na fé.

Busquemos envolver aqueles que passam por essa situação e envolvamo-las com amor pois este sentimento fortalece qualquer dificuldade.

Um beijo, minha doce amiga,]
Jorge

SONIA MENEZES disse...

Maria José,
Antes de mais nada lamento profundamente a perda física de sua filha. Não sei dizer também como seria essa dor, mas como tenho uma filha de 14 anos posso imaginar o quão dolorido deve ser.
Eu tenho depressão há pelo menos 3 anos. A perda do emprego foi o fator desencadeante, mas não foi o único. "N" motivos foram acumulados nos decorrer de 44 anos e determinado momento, eu surtei.
Hoje vou ao psiquiatra e tomo antidepressivos. Preciso retomar a psicoterapia que é parte importantíssima no tratamento.
Tenho a compreensão de algumas pessoas e incompreensão de muitas outras.
Eu não tenho vergonha em dizer a quem quer que seja que tenho Depressão e vou ao Psiquiatra. Este tema tem que deixar de ser tabu. As pessoas evitam confidenciar por medo de serem tachadas de "loucas" ou "fracas e preguiçosas".
O que muito me ajuda é minhna fé em Deus e em seus desígnios. Sei que há uma razão maior para que eu esteja passando por isso e sei também que é exatamente atravessando esse período, que me tornarei mais forte frente aos desafios da vida.
Uma forma que encontrei para extravazar sentimentos tão contraditórios de um dia querer viver e, noutro, querer desaparecer... foi escrever. Escrever é minha forma de catarse.

Um beijo em sua alma, amiga.

Zininha disse...

Esta doença, é o flagelo da alma...
Muita fé em Deus... e carinho dos parentes,amigos ajuda muito...
e claro ajuda médica...

Que possamos sempre uma palavra amiga...a quem sofre de depressão...

Beijos...

*Teresa Cristina* disse...

Oie Maria Jose´, a depressão de fato é tudo isto mesmo, só sabe quem passa, mas são textos assim de reflexão , fé em Deus e carinho e compreensão dos familiares e amigos pra superar esta etapa dificil.

Muita paz
bjss♥

Padma Shanti disse...

Oi Maria José, seus post é esclarecedor e também os comentários dos amigos. Passei momentos difíceis quando da morte de minha mãe em acidente, no ano passado.
Desiquilibrei-me, perdi o chão e passei por um deserto onde muito aprendi sobre mim e sobre a vida. Deus é maravilhoso e prova seus filhos mais queridos, com certeza sua fé é verdadeira e lhe deu amparo para aceitar e seguir adiante. Acredito que às vezes precisamos nos perder para nos reencontar...
beijos, paz e luz!

KG disse...

Olá!
Obrigado por compartilhar sua dor e, da mesma forma, compartilho minha admiração por sua superação! Concordo; há sim propósito Divino em tudo o que fazemos e, ainda que muito doloroso todo o processo, sempre haverá um final feliz a ser sinalizado no momento oportuno!
Força e grande Amor, minha Querida!

Maria José disse...

Obrigada a todos vocês pela força, pela amizade, pelo carinho. Hoje posso dizer-lhes que consegui superar a ausência física de minha filha, apesar da imensa saudade que sinto dela. Sei que existe relação entre o passado e o presente, uma encarnação e outra. Sei que devemos resgatar o mal que fizemos nas nossas vidas anteriores. Sei que tudo é conseqüência do passado. Mas acho que tudo depende de nós para uma vida mais feliz.
Devemos construir nossas vidas no amor, na compreensão, sempre com equilíbrio. Nada é impossível, se acreditamos em nós, no poder divino da luz em nossos corações.
Podemos e temos capacidade de mudar a vida que estamos vivendo. Nunca devemos desistir de nós mesmos. Uma forma que nos ajuda no reequilíbrio é viver a vida fazendo o bem, auxiliando o próximo, doando parte de nosso tempo em trabalho voluntário, porque não há quem não tenha o que dar, assim como não há quem não tenha o que receber. Esta troca é salutar, transforma as pessoas e, consequentemente, suas vidas. Mais uma vez, muitíssimo obrigada pela força. Beijos e fiquem com Deus.

Antonio Carlos disse...

Querida Maria José!
Sei que Deus tem olhado por você a todo instante e sei exatamente pelo que você passou e está passando, pois minha esposa tem passado pelo mesmo problema.
Em janeiro de 2007, sua mãe foi vitima de um visinho que era dependente químico, ligado a grupos neo-nazistas, que num acesso de fúria e sob efeito das drogas de que era dependente, simplesmente matou seus tios, o cachorro da família e não contente atravessou a rua, entrou na casa de minha sogra e desferiu-lhe 2 tiros, sem nenhum motivo.
Esse acontecimento foi noticiado em vários meios de comunicação: TV, rádio, internet.
Foi um trauma muito grande.
Passado dois meses seu pai também faleceu dormindo, vitimado por um ataque cardiaco fulminante.
Até hoje ela não se recuperou, apesar da ajuda técnica e espiritual.
Mas o Senhor é quem nos consola e ampara em todos os momentos e por esse motivo nos alegramos, mesmo que em meio às lutas, pois sabemos que Ele tem sempre o melhor para cada um de nós.
Sempre juntos em Jesus.
Antonio Carlos

Valerie disse...

A tua dor, a da Lisette e de tantas outras mãezinhas que perdem seus filhos, de filhos que perdem seus pais, de pessoas que se perdem dos seus amores... quando convertidas em trabalho no Bem, não são mais dores.

Passam a ser instrumentos do Amor, trazendo conforto e entendimento aos corações aflitos que vagam pela Terra.

Agradecemos , bom anjo, por estares dividindo conosco tua história e por estares transformando o teu sofrimento em consolação, prá ti e todos que te lêem.