Páginas

sábado, 28 de novembro de 2009

RESPONSABILIDADE


Eu sou responsável pelo meu próximo à medida que o amo, mas a felicidade ou infelicidade dele não depende de mim.
O que quero dizer é que somos indivíduos, como tal, somos sempre os responsáveis pelas nossas próprias escolhas.
Costumamos culpar outros quando nos sentimos infelizes ou quando fracassamos em algo.
Li algo que me fez refletir:
“Quando formos culpar os outros pelos nossos fracassos, devemos tentar também dar a eles o mérito das nossas vitórias.”
Muitas vezes dizemos que as pessoas nos decepcionam e elas não estão nem aí. E sabem por quê? Porque elas não tinham a mínima idéia do que esperávamos delas. Nesse caso, elas não nos decepcionaram, fomos nós que nos decepcionamos, o que é bem diferente.
Talvez mudando essa visão das coisas e da vida, mudaremos também o número de pessoas que vivem nos decepcionando.
Isso deve abrir nossos olhos para que nos vejamos e para que vejamos o outro de uma outra maneira.
A nossa responsabilidade em relação às pessoas que amamos vai até o limite de dar a elas o melhor de nós mesmos, dentro do nosso possível. A maneira como elas recebem o que oferecemos já não é nossa responsabilidade. Se as deixamos plenas ou vazias, vai depender da maneira em como estão prontas para receber. E isso é muito individual.
E foi isso que aprendi hoje: sou responsável por mim mesma, pela minha felicidade e pela minha infelicidade. Escolho, eu mesma, meus caminhos. Meu próximo é uma parte desse caminho, mas depende de mim em como interpretar aquilo que recebo dele.

13 comentários:

Adelia Ester disse...

Maria José, goto muito dos textos da Letícia. Sempre muito reflexivos em relação a tudo que é pertinente ao Viver e as suas maneiras diversas de sentir, pensar, agir.Nos libertamos e libertamos o Outro, na medida em que tomamos consciência da Natureza de cada um de nós. Somos responsáveis pela própria vida. Assim, oferecermos a nós e aos demais, o que há de melhor. Quanto ao que será feito com o que nos é ofertado, dependerá exclusivamente de cada um. Aprender a caminhar só, apesar de ter família, gente amada, amigos, etc. Somos seres únicos e individuais e por melhor que nos cuidem, somos nós que devemos sempre nos cuidar em todos os sentidos. Não delegar a rersponsabilidade a ninguém, nos aprimora e expande a alma. Ótimo domingo! Beijos.

Fabiano Mayrink disse...

Esta mensgem mexeu comigo, estes dias estou tao triste, e este texto complementou o que meu pai falou...

aqui em minha cidade e tao quente, e aqui em casa parece um forno, estou com a cabeça quente, queria sair, divertir, namorar mais mesmo o amor esta em cidade proxima mais um pouco longe... e o bendito dinheiro que nao sobra... despeças com a faculdade cursinho de ingles, escola de minha irma e outra coisas, nao sobra dinheiro pra nada, tem vezes que passo por uma semana de tristeza, nao gosto de ficar assim, minha tristeza depende de mim, desculpa meu desabafo, se quiser pode apagar, bjs!

Jeanne disse...

Querida, é como sempre digo, só se desilude quem se iludiu antes. Precisamos abandonar as ilusões para com os outros, só assim nossas relações serão mais harmônicas...
Beijos

Pelos caminhos da vida. disse...

Aprendi mais um pouco com seu texto amiga.

Bom domingo.

beijooo.

Rejane disse...

Maria José você é uma pessoa muito genti.
Visitei o BlOG que vc recomendou e gostei muito(estou o seguindo).Um bom domingo para você.
Te gosto muito!!

Bjos

angela disse...

Um texto bom e bastante reflexivo.
beijos

Sônia Silvino disse...

Olá, Maria José!
Voltando pra aprender mais!
É muito gostoso te visitar!
Também acho que a felicidade da gente somos nós que fazemos. Só se pode ser feliz com alguém, se soubermos ser felizes com a gente mesmo.
Bjkas e ótimo domingo com saúde e paz!

Maysha disse...

Ola amiga Maria Jose.
Aprendi muito com o teu texto, aprendo sempre algo quando te visito.

Acerca do meu post, ainda não tinha tido tempo de te avisar, quando quiseres traz o lirio, a declaração de afceto como sabes é sincera.

Agradeço a visita, bom domimgo, beijo de luz
Isa

ღ SOL ღ disse...

Maria Jose,
Este post mexeu comigo, me fez refletir. Realmente nós e que nos decepcionamos, conosco mesmo. Lembrei até de uma frase que me foi dita. Nos decepcionamos, porque colocamos a pessoa, num degrau acima, de que não está. Ela continua ali, no seu degrau, nós somos culpados de mudar o degrau dela. Ela não decepcionou, pois o erro foi meu.
Estou fazendo um outro convite, para participar
do aniversário de minha amiga Leila.
O post é Niver do Coisas da Bruxinha. Parabéns Leila
São regras bem simples. Passe no meu cantinho,
para conferir como faz para participar.
Se quiser participar, visite o blog de Leila e,
confira o presente, que a participante sorteada, vai ganhar. Beijos

Silvana Nunes .'. disse...

BOM DIA!
Antes de mais nada estou aqui para agradecer a visita e seu comentário tão significativo para mim. Eu ando um pouco ausente, minha conexão anda péssima, lentíssima. Como já havia dito, eu moro dentro de um pedacinho da mata Atlãntica e o sinal aqui é muito dificultoso. Além do mais, com toda essa chuva que tem caído tenho mantido o meu computador desligado por conta dos raios, já queimei uma televisão por causa disso, aqui não tem pára-raios ( agora vê, acostumada com cidade grande, achei que no mato poderia existir um pára-raio - só eu mesma). Espero que compreenda as diversas limitações de quem escolheu viver no mato.
Hoje eu trago uma história bem legal, por um acaso sabe onde fica a tal casa-da-mãe-joana? Então vá até lá conferir.
A medida do possível vou colocando as histórias, com a lentidão de sempre.
FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... agradece mais uma vez a sua visita esperando que volte sempre.
BOM DOMINGO.
Saudações Florestais !
http://www.silnunesprof.blogspot.com

Unknown man disse...

Maria José.
Muito bom este texto da letícia.
Creio que temos ciência do que a Letícia nos disse, mas ainda nõa temos, a consciência. Nós sabemos, mas não fazemos.
Para pensar mesmo, não é?

Meu anjo, um doce abraço e uma semana de muita luz
Uman

Fernando disse...

Hola Maria Jose,
Me encantó tu texto.
Pienso que para poder hacer feliz, primero hay que serlo uno mismo.
Es muy comun culpar a los demas de nuestros males, no asi de nuestros aciertos.
Besos.
Fer.

alegria de viver disse...

Olá querida amiga
Somos responsáveis pela nossa vida, e também por vivermos numa sociedade por um todo, mas só nós temos a responsabilidade pelo sucesso ou não da nossa felicidade.
Vou passar no blog sei que vou gostar.
Obrigada pela indicação e pelo carinho que sempre me dedica BJS.