Páginas

sábado, 28 de novembro de 2009

O SAL


O velho Mestre pediu a um jovem triste que colocasse uma mão cheia de sal em um copo d'água e bebesse.
— Qual é o gosto? — perguntou o Mestre.
— Ruim – disse o aprendiz.
O Mestre sorriu e pediu ao jovem que pegasse outra mão cheia de sal e levasse a um lago.
Os dois caminharam em silêncio e o jovem jogou o sal no lago.
Então o velho disse:
— Beba um pouco dessa água.
Enquanto a água escorria do queixo do jovem o Mestre perguntou:
— Qual é o gosto?
— Bom! disse o rapaz.
—Você sente o gosto do sal? perguntou o Mestre.
— Não, disse o jovem.
O Mestre então, sentou ao lado do jovem, pegou em suas mãos e disse:
— A dor na vida de uma pessoa não muda. Mas o sabor da dor depende de onde a colocamos. Quando você sentir dor, a única coisa que você deve fazer é aumentar o sentido de tudo o que está à sua volta.
É dar mais valor ao que você tem do que ao que você perdeu.
Em outras palavras: é deixar de ser copo para tornar-se um lago.

3 comentários:

Genna disse...

Um beijinho de Luz Maria José.
Que bem que sabe passear por aqui.

ღ SOL ღ disse...

Maria José,
Incrível, como as coisas são...como você chega até ela, ou ela que chega até voce...não importa...apenas que cada coisa vem no momento propício...e esse post que li agora foi bem propício , para o meu momento agora... Obrigada. Beijos

Maria José disse...

Sol. Que bom que encontrou algo aqui para direcioná-la, aliviá-la, estimulá-la ou simplesmente agradá-la. Fico feliz com isto. Espero que tudo esteja bem com você, amiga. Beijos.