Páginas

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

POR QUE OS AMORES SE PERDEM


O mais difícil de entender quando os amores acabam são os porquês.
Por que duas pessoas que se encontraram e se encantaram, viveram um amor que parecia indestrutível, se separaram?
Por que o amor geralmente acaba de um lado só e é o outro que fica chorando, querendo entender as razões?
Amores deveriam ser eternos, mas nem sempre são.
Costumo comparar casais a chave e fechadura. Nem toda chave abre todas as portas e é necessário encontrar aquela exata que vai se encaixar perfeitamente e tudo será possível.
Mas a gente acredita que cada vez que alguém toca nosso coração e entra, que é definitivo.
Um casal que se apaixona de início, sem que um tenha tido o tempo de desnudar o outro nas suas verdades, acredita nessa chama e até briga por ela muitas vezes.
E cria-se sonhos, planeja-se o futuro... enquanto isso os dias vão passando, torna-se menos cuidado em manter a magia e a parte dos dois que é mais sonhadora começa a sentir-se incomodada.
Dá medo. Medo de ter que olhar bem nos olhos da realidade e dizer: acabou! Medo de ter que confessar a si próprio que ainda não foi aquela vez! Medo da solidão, de ter que recomeçar...
Não sou as decepções que matam o amor. Se assim fosse, não existiriam perdões e reconciliações.
O que mata o amor é simplesmente a tomada de consciência de que o outro não é o ser sonhado.
É como acordar depois de um longo sono e lindos sonhos. O outro está ali, é a mesma pessoa, mas aquela neblina que dava a impressão de irrealidade já não existe.
E isso não acontece da noite para o dia, como se costuma pensar. É algo que vem com os dias, os hábitos, as monotonias. Um percebe, o outro, não. Um começa a se sentir angustiado e o outro continua acreditando ou finge que acredita.
E quando a gota que faz transbordar o vaso chega é o mundo todo que desmorona. Porém, tudo não fica definitivamente perdido.
Sobra de um lado a dor e os porquês, um resto de amor que teima em ficar no fundo como o vinho envelhecido na garrafa, e do outro o coração dividido por não poder reparar erros cometidos e a vontade de continuar em busca de outros horizontes.
Sobra para os dois a ternura e a lembrança dos momentos passados juntos. Porque corta-se relacionamentos, mas não se apaga momentos, mesmo que a gente queira. Vivido é vivido, feliz ou infelizmente.
Inútil é querer resgatar um amor que resolveu partir pra outras direções. Quanto mais apega-se, mais ele se afasta. E quanto mais se afasta, mais dói no outro a incompreensão. É uma roda da qual é difícil sair. E é uma pena, pois os corações não merecem isso.
Quando a questão é amor, não existe justo ou injusto. Existe o que ama e o que não ama mais.
Precisamos aceitar que o outro não tenha os mesmos sentimentos, mesmo se isso nos faz mal, por que se o amor não for livre para se instalar onde realmente deseja, ele perde toda a razão de ser.

5 comentários:

Maria José disse...

“Um relacionamento requer muito trabalho e amor: superação de si, dos próprios desejos. Sobretudo curiosidade e nenhum cinismo.” (Nastassja Kinski, atriz)

Jacke disse...

Toda relação começa diferente uma da outra, mas termina inevitavelmente igual; um ja não quer mais. Um sai inteiro em busca de um novo amor; o outro fica tentando juntar os pedaços de si e se refazer; e dooooooooooooiiiiii!!!!
Mas felizmente existem também os que conseguem passar pela tormenta e sobrevevir.
Abraço

Eu que agradeço a honra da sua visita e tê-la junto a mim.

Meri disse...

Perdem-se por questão de valores, quem ama permanece quem ainda não ama, anda na busca quando dois se separam é pq não havia amor. Amiga mto obrigado de coração pelo selo, honra-me este presente, mas sou meio atrapalhado na informática, não sei levar meu selo pra casa, veja se pode, mas ainda sou mto jovemzinho talvez tenha tempo de aprender estas coisas, adoro escrever, blog é uma coisa nova pra mim, estou amando, apaixonando-me, com o tempo aprendo a transportar os selos q recebo, ficam como crédito, ótimo texto o seu, beleza pura, um momento para pensar, parabéns, bjos, bjos, bjoss

Angelus disse...

Achei muito verdadeiro os dizeres do seu post
Eu estou te seguindo a partir de hj, e sera um prazer enorme, em vim e ler os seus post
Esta de parabéns,pelo seu blog

Elizabeth disse...

Olá Maria José,

Lindo texto! Mas o que é verdadeiro nunca se perde.
O que se perdeu é porque nunca foi.
Um abraço.