Páginas

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

REFLEXIVO




O que não escrevi, calou-me.
O que não fiz, partiu-me.
O que não senti, doeu-se.
O que não vivi, morreu-se.
O que adiei, adeu-se.

3 comentários:

Maria Teresa Valente disse...

E, assim, foi-se!
Abraços carinhosos
Maria Teresa

Guaraciaba Perides disse...

Oi, maria José...quem sabe ficou guardado no fundo do peito esperando a ocasião propícia...
um abraço

Denise disse...

Estamos sempre deixando para depois. Reflitamos. Muita paz!