Páginas

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

MEDO



Eu tinha medo do escuro até descobrir que ele fazia parte de minha ignorância.
Eu tinha medo de falar em público até descobrir que isso acontecia porque me preocupava muito com o que os outros iriam achar do meu conteúdo.
Eu tinha medo de altura. Não conseguia ficar firme em local alto. Isso até descobrir que eu me achava pequeno frente aos meus problemas. Altura é superação.
Eu tinha medo de filmes de terror até descobrir que eles se confundiam com a realidade de minhas palavras. Gostava muito de amedrontar as pessoas. Parei e este tipo de medo sumiu.
Eu tinha medo, mais que insegurança, de enfrentar situações que desconhecia. Mais tarde descobri que isso me foi colocado na mente por algumas pessoas e credos teológicos.
Eu tinha medo de ter medo. Descobri finalmente que ele nada mais é do que a manifestação da minha profunda insegurança. Aquela que todos temos, mas que insistimos em negar a sua existência.
Assim consegui combater o mal que o medo cria em nossa vida quando comecei a olhar para dentro de mim e fazer uma análise das causas e efeitos que ele acaba criando na nossa existência. O Medo aborta muitas coisas que podem nos deixar felizes antes mesmo de tentarmos.
O medo é o "cupim" de nossa alma. O lodo de nossa base. A goteira de nosso teto e o odor de nossa pele.
Para nós podermos identificar as causas e origens de nossos medos, precisa analisar de maneira atenta e sem "dogmas" quatro coisas:
1. As verdades de nossos familiares. - Você, eu, qualquer um de nós escolheu a família em que vive, portanto, as dificuldades fazem parte do aprendizado. Saber superar tudo isso é um ato de grandeza. A forma como somos educados, com mais, menos ou isenção de medo depende de nossos educadores.
2. As verdades de nossos amigos/professores. - Elas acabam fazendo parte de nossos valores quando as apreciamos. Portanto, temos que admitir que somos um pouco (muito) parecidos com o meio em que vivemos.
3. As verdades da empresa em que trabalhamos. - Por conforto, necessidade ou MEDO de desafiar normas e condutas ultrapassadas, nós nos adaptamos às muitas coisas que precisamos combater, alterar e mudar.
4. As verdades de nossa religião. Elas podem estar equivocadas para nós e temos que ter a coragem de experimentar o novo. A religião e a teologia nela inserida, com seus medos e dogmas, querem o controle de sua mente. A vida, para ser prazerosa, tem que ser aceita e entendida. Muito mais do que isso, desfrutada como um grande aprendizado.
Em outras palavras e falando francamente, precisamos DESTRUIR para CONSTRUIR. Temos que desafiar a mesmice de nossas vidas para podermos criar uma nova ação e fazer que esta atitude nos traga mais conhecimento...
Assim, como já afirmei nos dois textos anteriores sobre o mesmo assunto, o Medo nunca vem por um acaso. Ele, de alguma forma, foi instalado por alguém em nossos valores... E, uma vez feito isso, ele, o medo, começa a fazer parte de nossa vida. Ele é quem nos destrói a iniciativa, nos faz estacionar e nos coloca em decréscimo de colheitas.
Nada é tão nefasto para nossas futuras colheitas do que o sentimento de medo. Mas, fiquemos atentos, ele nunca é instalado por nós, mas sempre é Livre-Arbítrio deixar ele morando entre nossos valores internos, ou o descartando definitivamente de nossa vida. Em outras palavras: ele é consequência do despreparo de nossos educadores, mas não são eles que conseguem eliminá-lo da nossa vida. Como as nossas doenças têm origem em nossas emoções, é verdadeiro afirmar que o medo é o começo de todas elas.
Quando conseguimos parar o relógio de nossas atitudes sem analisarmos causa e efeito, e buscarmos entender o mal do medo em nossas vidas, começamos efetivamente a alterar o processo de felicidade em nossas vidas.
Ter medo de tomar atitudes significa estagnar o aprendizado de uma encarnação.
Pior que tudo isso é ter medo de eliminar o medo em nossas atitudes...

2 comentários:

Débora Teixeira. disse...

Belíssimo texto.
Realmente,temos que perder o medo,as vezes deixo de fazer algo por medo.
Medo de não consegui o que mais desejo.
Adorei conhecer seu blog.
Parabéns pelo lindo trabalho.
Beijos.

Bell disse...

O medo é algo que aprisiona, geralmente temos medo do desconhecido.

bjokas =)