Páginas

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

DOR BENDITA



Bendita é a dor que nos faz atravessar a ponte da indiferença; aquela que nos torna próximos uns dos outros.
Vivemos tão para nós mesmos, nosso mundo, nossos interesses, que nos esquecemos com frequência dos que estão ao nosso redor, pelo menos do que eles vivem. É quando surgem as dificuldades que muitas vezes acordamos, abrimos nossos olhos.
Nunca estamos tão próximos da nossa família que quando aparecem problemas, ou quando há uma maladia. Nunca abraçamos tanto e com tanta frequência, nunca seguramos tanto as mãos, nunca olhamos tanto nos olhos, nunca sentimos tanto que quando derramamos lágrimas juntos, esperamos juntos, oramos juntos...
Pode-se esquecer risos compartilhados, mas nunca se esquece lágrimas compartilhadas; estas ficarão gravadas para sempre na nossa alma, no nosso coração.
Muitas vezes quando nos sentimos distantes, algo acontece de trágico. Então voltamos, nos encontramos, falamos, até revivemos coisas que estavam bem esquecidas num cantinho empoeirado do nosso ser.
Pode parecer estranho, mas uma perda é muitas vezes um ganho. Ganhamos em humanidade, em fraternidade. Como se fosse sempre necessário um sacrifício para uma libertação. A dor nos torna humildes, nos vemos pequenos e indefesos, nos reconhecemos impotentes diante de forças que não podemos controlar. Geralmente nesses momentos a família ora em uníssono.
Seríamos nós, cristãos unidos, se não estivéssemos ligados à cruz  e sofrimento de Cristo?
Morre a semente e nasce a planta; a planta se dá e nasce a flor; a flor se dá para que uma outra possa ver o dia... e assim sucessivamente.
Às vezes é necessário ver a perda de um ser querido para que possamos nos reencontrar no nosso meio, entre os nossos. 
Bendita é essa dor pela qual atravessamos... e bendita é a pessoa que, padecendo, indo às vezes, nos faz reencontrar nosso elo perdido.

2 comentários:

Coisas que me tocam disse...


Tão verdade, Maria José!É nos e com os piores momentos que realmente somos e crescemos um pouco mais.É nos momentos mais difíceis que paramos para reflectir, para nos encontrarmos. Sem eles a vida era morna e distante!
Um fim-de-semana muito feliz para si :)!

Rô... disse...

oi minha amiga,

nos momentos de dor é que criamos coragem para sair da nossa zona de conforto,
e procurar afetos...

beijinhos