Páginas

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

COM O CORAÇÃO



"Nunca se verá bem sem o coração; o essencial é invisível para os olhos".
Esta frase, imortalizada por Antoine de Saint-Exupéry, é na verdade um grande ensinamento bíblico.
Ver com o coração é ver mais que ver com os olhos físicos; é ver com os olhos da alma. É olhar fundo, bem além da aparência. 
Com frequência julgamos pessoas pelo que vemos de imediato: bonita, feia, simpática ou não, vestida ou malvestida. Julgamos povos e julgamos costumes. Tudo isso através do que os nossos olhos veem, nunca através do que nosso coração nos mostra. 
Muitas vezes quando encontrarmos casais que pensamos desencontrados (quem nunca pensou encontrar?!), estamos pré-julgando, até mesmo sem má intenção. Na verdade, o que liga pessoas assim é que elas veem cada um no outro o que outras pessoas não veem. Elas vêm o interior. É por isso que para o amor não existe justificativa, pois esse não conhece outros olhos além dos do coração.
Antes de julgar que conhecemos alguém, que conhecemos um certo de tipo de povo, deveríamos fechar nossos olhos físicos e abrir os da alma. É bem provável que tivéssemos muitas surpresas. Provavelmente encontraríamos muito mais pessoas bonitas no nosso caminho do que podemos supor.
Porque no fundo, não existe cor, idade, raça ou sexo. Cada coração é capaz de se emocionar, de amar, de sentir. Todas as pessoas possuem necessidades e muitas vezes carências. Tanto o sorriso quanto as lágrimas são linguagens comuns à qualquer povo, de qualquer cor, raça ou classe social. São os únicos meios de comunicação universal. Viajando em qualquer país, em qualquer continente, um sorriso vai ser sempre um sorriso, uma lágrima nunca vai deixar de ser uma lágrima.
Deveríamos fazer mais confiança ao nosso coração que aos nossos olhos. Deveríamos dar uma oportunidade a mais a cada pessoa que cruza nosso caminho antes de etiquetá-la. Aliás, nem deveríamos etiquetar ninguém, pois o que eu não vejo, talvez um outro verá. E todo mundo merece uma segunda chance, todo mundo merece ser "visto" antes de ser olhado.

2 comentários:

Bell disse...

Com a mesma medida que medimos seremos medidos.
Difícil não julgar, mas temos que aprender isso tb.

bjokas =)

Coisas que me tocam disse...

Nem mais. Cada um vale o que vale independentemente da cor, da raça, do género. É preciso treino, uma vez que todos nós temos tão enraizado este péssimo habito de julgar as pessoas sem conhecê-las, mas se tivermos vontade tudo será mais fácil-
Beijos