Páginas

quinta-feira, 1 de maio de 2014




Viver em sociedade é um desafio porque às vezes ficamos presos a determinadas normas que nos obrigam a seguir regras limitadoras do nosso ser ou do nosso não ser...
Quero dizer com isso que nós temos, no mínimo, duas personalidades: a objetiva, que todos ao nosso redor conhece; e a subjetiva... Em alguns momentos, esta se mostra tão misteriosa que se perguntarmos - Quem somos? Não saberemos dizer ao certo!!!
Agora de uma coisa eu tenho certeza: sempre devemos ser autênticos, as pessoas precisam nos aceitar pelo que somos e não pelo que parecemos ser... Aqui reside o eterno conflito da aparência x essência. E você... O que pensa disso?
Que desafio, hein?
Nunca sofra por não ser uma coisa ou por sê-la.

3 comentários:

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

É aquela antiga dualidade do ter e do ser...Há pessoas, que valorizam muito o que possuem, levando uma vida de ostentação, enquanto outras dão valor ao seu interior e apresentam-se como são, desprovidas de vaidades materiais.Somos o que somos, não o que temos...
Um beijo, Maria José.

MOMENTOBRASILCOM.COM disse...

MARIA JOSÉ,

"sempre devemos ser autênticos, as pessoas precisam nos aceitar pelo que somos e não pelo que parecemos ser... Aqui reside o eterno conflito da aparência x essência.
Nunca sofra por não ser uma coisa ou por sê-la."
TEMOS A OBRIGAÇÃO DE SERMOS sempre AUTENTICOS. COM NOSSO NEGATIVO E POSITIVO sempre presentes em qq situação. Bjs. Roy Lacerda.

Jorge disse...

Pois...subscrevo palavra a palavra só que a autenticidade tem um preço, por vezes demasiado alto. Sei do que falo, porque já tenho sentido na pele. Mas vale a pena.