Páginas

domingo, 17 de março de 2013

ACOLHENDO NOSSA SOLIDÃO



Não existe vazio maior do que sentir-se isolado. Podemos nos sentir apartados das pessoas, ainda que misturados a um bando de consumidores ou a uma barafunda de operários matutinos.
Podemos nos sentir sozinhos em uma casa cheia de gente querida ou entre amigos numa festa.
O isolamento é um sentimento que às vezes advém de uma maledicência, de uma rejeição ou seja lá por qualquer motivo.
Com frequência nos pega quando estamos fracos, juntando-se à nossa má disposição, levando-nos a nos sentir distantes e diferentes da raça humana.
O enfrentamento da solidão ajuda a alcançar quietude e estabelecer elos espirituais.
Acolhamos nossa solidão, preenchendo este espaço solitário com meditação e reflexão, não com mais pessoas ou coisas.
Criemos esse santuário interior de paz, harmonia e contentamento, onde e quando depararmos com a quietude.
Acolhendo nossa solidão, já não ansiamos por ninguém. É na solidão que encontramos paz e serenidade.
O enfrentamento da solidão ajuda a alcançar quietude e a estabelecer elos espirituais.

5 comentários:

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Maria Jose
Quando conseguimos a paz interior, não sentimos os efeitos da solidão.
Bjux

The time: me and the time / By: Leandro Ruiz disse...

Ao encontrar a paz interior, o exterior é irrelevante... porque conseguimos contornar tudo o que tenta nos derrubar ou nos rebaixar...

Abraços!

Leandro Ruiz

www.thetimemeandthetime.blogspot.com

Rô... disse...

oi minha amiga,

procuro sempre estar em paz,
mas ficar só,não me agrada não...

beijinhos

La Gata Coqueta disse...



He estado ausente unos cuantos días y el motivo es visible en los blogs…

El paso de los días se van sucediendo y las heridas abiertas van al encuentro de los medios para ser cicatrizadas, más nunca olvidadas.

Intento que todo vuelva a la normalidad, pero no puedo ocultar que dentro de mí algo se ha roto dejando un enorme vacío.

Pero como soy por instinto optimista reanudo las visitas a este tu maravilloso espacio de luz, donde me has tendido las manos continuamente, brindándome el cariño y la mesura de las palabras, que yo siempre he valorado y apreciado, más allá del tiempo y los sentimientos…

¡¡Y ante todo, te doy las gracias en gran medida por ayudarme a continuar el camino!!

Un beso con dulzura

Y un abrazo con ternura.

Atte.
María Del Carmen


Malu Silva disse...

Escrevi sobre a solidão também...
Creio que ela seja necessária e benéfica para nossa evolução. Quando sadia, equilibrada...
Quanto nos faz falta momentos de silêncios para nos fortalecer...
Um grande abraço, minha amiga!!!