Páginas

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

IMPERMANÊNCIA


A vida é como um piquenique em uma tarde de domingo... ela não dura muito tempo. Só olhar o sol, sentir o perfume das flores ou respirar o ar puro já é uma alegria. Mas se tudo o que fazemos é ficar discutindo onde pôr a toalha, quem vai sentar em que canto, quem vai ficar com o peito ou a coxa do frango..., que desperdício! Mais cedo ou mais tarde o tempo fecha, a tarde cai e o piquenique acaba. E tudo o que fizemos foi ficar discutindo e implicando uns com os outros.
Pense em tudo que se perdeu.
Você pode estar se perguntando: se tudo é impermanente, se nada dura, como pode alguém viver feliz?
É verdade que não podemos, de fato, agarrar ou nos segurar às coisas, mas podemos usar esse conhecimento para olhar a vida de modo diferente, como uma oportunidade muito breve e rara.
Se trouxermos à nossa vida a maturidade de saber que tudo é impermanente, vamos ver que nossas experiências serão mais ricas, nossos relacionamentos mais sinceros, e teremos maior apreciação por tudo aquilo que já desfrutamos. Também seremos mais pacientes. Vamos compreender que, por pior que as coisas possam parecer no momento, as circunstâncias infelizes não podem durar. Teremos a sensação de que seremos capazes de suportá-las até que passem. E com maior paciência seremos mais delicados com as pessoas a nossa volta.
Não é tão difícil manifestar um gesto amoroso quando nos damos conta de que talvez nunca mais estaremos com a nossa tia-avó. Por que não deixá-la feliz? Por que não dispor de tempo para ouvir todas aquelas histórias antigas?
Chegar à compreensão da impermanência e ao desejo autêntico de fazer os outros felizes nesta breve oportunidade que temos juntos, constitui o começo da verdadeira prática espiritual.
É esse tipo de sinceridade que efetivamente catalisa a transformação em nossa mente e em nosso ser.
Não precisamos raspar a cabeça, nem usar vestes especiais. Não precisamos sair de casa nem dormir em uma cama de pedras. A prática espiritual não requer condições austeras.... apenas, um bom coração e a maturidade de compreender a impermanência. Isso nos fará progredir.
Retirado do blog Momento blog MomentoBrasil de Roy Lacerda.

5 comentários:

Pedro Luis López Pérez (PL.LP) disse...

La Vida es esa oportunidad de estar juntos y de poder compartir el mismo momento, el mismo Solo...La misma Luna. Vivamos con intensidad solidaria y llena de Paz interior.
Un abrazo.

Orvalho do Céu disse...

Olá, querida Maria José
Passo, com calma, bem antes da data, para desejar-lhe, com carinho fraterno, que vc tenha Boas Festas neste fim de ano!!!
"A felicidade é com a gota de orvalho numa pétala de flor, brilha tranquila, depois que leve oscila e cai como a lágrima de amor".
Que vc seja muito abençoada e feliz!!!
Bjs de Boas festas
P.S. Quanto aos seu post, na Espiritualidade, chamamos também de relatividade... que difere do "tanto faz" descompromissado... Muito bom refletir com vc sobre o tema...

Dilmar Gomes disse...

Amiga Maria, belo texto do Roy para se refletir.
Um abraço. Tenhas uma boa noite.

AugustoCrowley disse...

Lindo!

Ives disse...

Engraçado que meu ultimo texto fala da mesma impermanência, mas com outro formato, apenas! abraços