Páginas

quarta-feira, 18 de julho de 2012

AQUELE AMOR


Ela pertence à espécie de mulheres que possuem um só amor em toda a sua vida. Ou amam de verdade apenas uma vez. Seria espécie de mulheres ou a maioria assim o é, mesmo sem o saber?
Também há homens de eterno amor, embora o machismo e as deformações de sua cultura e comportamento nem sempre os convença de tal. Ou não convença a maioria. Ou será que o fato de serem colocadores de semente por determinismo biológico os leva a não prestar a devida atenção à sua destinação para o amor?
No meio da conversa ela diz, de repente, que só gostou de verdade de um homem e eis que vai buscar lá entre papéis amassados, daqueles que esturricam o couro das carteiras, não um, mas três retratos dele, que espalha, qual cartas de baralho, sobre a mesa do restaurante. E fala dele com a mistura de ternura e tristeza que assaltam as mulheres que não lograram viver com o seu amor, casar-se com ele, ter seus filhos, viver em função dele e dela, unidos, pois esta é a verdadeira vontade e destinação da mulher: viver ao lado do verdadeiro amor.
Sim, elas vivem de modo proibido se necessário, casam-se com outro, têm filhos, os amam fundamente, mas a verdade de seu ser é a do amor verdadeiro, até porque mulher vive para amar e por amor, o resto se ajeita. Podem até deixar seu amor dormitar por anos e parecer serenado. Volta, porém a qualquer apelo ou menção do nome dele, encontro fortuito na rua com um conhecido dos tempos do namoro ou da relação.
Como são comoventes e lindas na sua integralidade bíblica as mulheres quando expressam para os demais ou para si mesmas, o amor de suas vidas ou quando consultam, escondido, os retratos guardados, recortes, flores secas, a memória úmida das restantes lembranças em momentos de silêncio e solidão!
Abençoados sejam, porque são, os homens e as mulheres que na passagem por esta vida receberam um dia de alguém, ou deram, um amor único, original e definitivo. Abençoados sejam e para todo o sempre. Como o amor que existe apesar de todas as ternas e dolorosas circunstâncias que não impedem a sua verdade, mas em muitos casos esmagam a sua plena realização.

5 comentários:

Maria Teresa Fheliz Benedito disse...

Maria José esse texto é bárbaro e muito reflexivo.
Adoramos...beijinhos do nosso coração no seu coração.

josenaide coelho disse...

Bom dia!
vc posta como
sempre perfeito
textos eu te seguindo
por aí,como se nas
esquinas de nossas
vidas.Sempre tem
algo de novo pra
nos presentear.
Sempre será..
Beijossss...

josenaide coelho disse...

Xerinhos do fundo do
meu coração e bem
especial pra ti.
Te cuida.sempre vai
ao pai,pk ele te cuidará
melhor que ninguém..

josenaide coelho disse...

Eu sempre,sempre,
vou está aqui...

Liz - Como as Cerejas da Minha Janela... disse...

Eu creio em uma vida repleta de amor... a gente não ama só uma vez... não amamos uma só pessoa... e isso é tão bom... na jornada da vida, ter sempre o reflexo sereno do amor... e quando casamos, esse amor se sublima, e se transforma em sagrado...

E todas as pessoas que amei, continuo trazendo em meu coração, porque um dia, foram parte de mim...

Beijos, amiga querida!!