Páginas

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

NOVOS OLHARES



Afinal, nossos olhos dirigem os nossos passos. Nesta perspectiva, quatro formas diferentes de olhar a vida podem fazer uma profunda transformação em nossa existência.
Existe uma relação muito significativa entre a qualidade de vida de uma pessoa e a maneira através da qual ela contempla o mundo ao seu redor. Não foi por acaso que Jesus Cristo afirmou:
A candeia do corpo são os olhos; de sorte que, se os teus olhos forem bons, todo teu corpo terá luz; se, porém, os teus olhos forem maus, o teu corpo será tenebroso. Se, portanto, a luz que em ti há são trevas, quão grandes são tais trevas! (M t6:22-23)
Primeiro: Olhar para trás, com gratidão. Muitas pessoas têm uma péssima imagem do seu passado; fazem um esforço enorme para negá-lo ou esquecê-lo. Todavia, nenhum passado foi de todo ruim. Muita coisa boa pode ser resgatada do nosso passado, quando aprendemos a olhar para trás com uma atitude de gratidão.
Quantas bênçãos Deus nos concedeu. Quantas pessoas especiais passaram por nosso caminho e, como flores, adornaram e perfumaram nossa vida. Viver somente amaldiçoando o passado é apenas uma forma de perpetuar amarguras e revoltas.
Quando olhamos para trás com gratidão, percebemos o quanto as lágrimas, as provações e o sofrimento foram importantes para a construção do nosso presente.
Segundo: Olhar para os lados, com amor. A vida requer um exercício contínuo de solidariedade. Quando aprendemos a olhar ao nosso redor de forma diferente, motivados pelo amor, descobrimos que não estamos sozinhos.
Há sempre alguém sofrendo perto de nós. Às vezes mais perto do que imaginamos. Exercitar o amor, o companheirismo, nos torna mas humanos e menos egoístas, confere à nossa existência um novo sentido, uma nova dimensão.
Terceiro: Olhar para cima, com louvor. Quem aprende a olhar para cima, com louvor, liberta a sua alma das garras da murmuração e descobre o caminho da graça da sabedoria de um Deus que cuida do universo e de nós também.
Quem olha apenas para o chão, para o circundante, tem uma visão muito limitada pelas circunstâncias que o pressionam e ameaçam. O mundo fica pequeno demais. A dimensão transcendental é a única que não conhece limites.
Só quem está no fundo do poço, sabe que é de cima que virá o seu socorro. O louvor nos liberta e nos abre caminhos novos, até então encobertos pelo véu da nossa própria condição humana.
Quarto: Olhar para frente, com esperança. O combustível da vida é a esperança. Quando ela acaba, a vida perde os seus movimentos. Fica paralisada. Por maiores que sejam os obstáculos, não devemos manter nossos olhos presos às circunstâncias.
Toda caminhada pressupõe a possibilidade de lutas, dificuldades e frustrações. Contudo, viver é encarar desafios. É preciso olhar sempre para frente.
Afinal, nossos olhos dirigem os nossos passos. Nesta perspectiva, quatro formas diferentes de olhar a vida podem fazer uma profunda transformação em nossa existência.
Contemple a vida por meio de novos olhares. Novas possibilidades. Veja quanta felicidade está reservada para os que olham para seu passado com gratidão; olham ao seu redor cheios de amor; e já enxergam o seu futuro com as lentes da esperança. Certamente, vivem melhor!

10 comentários:

Anne Lieri disse...

Maria José,que texto perfeito!Um grande ensinamento!A forma de olhar pode nos transformar!Linda msg!Bjs,

Malu disse...

E devemos estar sempre atentos a esses novos olhares para que a nossa visão não se torne cortical...
Abraços, minha querida

MOMENTOBRASILCOM.COM disse...

MARIA JOSÉ;

As pessoas podem ter varios olhares. Mas, eu só tenhos e formas:
1- Olhar para tras apenas para medir a experiencia adquirida com os erros.
2- Olhar para os lados, e vendo as pessoas por outro ângulo.(EMPATIA) e,
3- Olhar para cima, agradecendo ao criador pela vida, amor. Bjs. Roy Lacerda.

Senhor da Vida disse...

Com certeza amiga, olhar pra frente sem deixar de agradecer por tudo que ficou pra trás, que nos moldou, que nos trouxe até aqui, nos faz viver melhor.
Quantos queriam ter seguido pelos nossos caminhos?
Grande beijo!

Meire disse...

Maria, minha flor, olhar para trás com gratidão fará nos sentir melhor para encarar o dia de hj. Vencer mágoas que ficaram no passado e caminhar com alma mais leve. O amor é essencial em nosso olhar, pois esse olhar pode ajudar quem menos esperamos. Louvar a Deus tbm é aitude de gratidão com Ele que nos deu a vida, saúde e tanta coisa boa nessa caminhada. E a esperança é o que nos move todos os dias!! Fazendo o exercício desses simples olhares podemos receber olhares voltados para nós com imensa alegria e isso é tudo de bom :)

bjokitas com todo meu carinho!!

(בן ברוך) Ben Baruch disse...

Muita paz querida irmã e amiga Maria José!
Essa reflexão me fez lembrar uma antiga narrativa sobre um homem muito rico que sempre tratava a todos com extrema cortesia e carinho. Esse homem saiu com seu funcionário para comprar mercadorias para o ano todo em uma distante cidade. No meio do caminho parou para admirar a paisagem e ao encurvar-se para olhar de cima de um grande monte, não percebeu que todo seu dinheiro havia caído e seguiu seu caminho. Quando chegou ao seu destino percebeu que não teria como comprar seus produtos e decidiu retornar pelo mesmo caminho por onde havia ido. Qual não foi sua surpresa quando ao chegar ao monte encontrou depositado ao pé de uma pedra todo o seu dinheiro. Ao pegá-lo chorou amargamente, o que causou certo espanto em seu funcionário. Depois desse acontecimento os negócios pioraram, pois não havia mercadorias para reposição, acabou abandonado pela família, teve que fechar seu estabelecimento e não demorou muito acabou vivendo como mendigo. Seu funcionário ao contrário, aproveitando a experiência adquirida montou o próprio negócio e prosperou muito. Por ocasião da comemoração de Rosh HaShaná, ano novo judaico, seu ex-funcionário, ao encontrá-lo na rua vivendo como indigente, resolveu convidá-lo para cear com sua família e para que pudesse comparecer a tão expressiva comemoração, levou-o a uma Micvê – piscina ritual, para se purificar como é costume entre o povo judeu. Ao entrar na piscina depositou suas poucas vestes em um canto do recinto. Um funcionário do local, pensando que alguém esquecera seus pertences, acabou levando-os embora. Quando o antigo e próspero comerciante saiu da piscina e não viu suas roupas começou a gargalhar. Seu antigo funcionário e os demais que estavam no local pensavam que estivesse enlouquecendo e pediram para que lhe trouxessem roupas para que pudesse se vestir e participar das festividades.
Quando chegou à casa de seu antigo funcionário este pediu permissão para lhe fazer uma pergunta e diante da autorização disse: “não compreendo o senhor; quando reencontrou seu dinheiro na estrada chorou amargamente, mas hoje ao perder suas únicas e surradas roupas se alegrou de forma acentuada, porque o senhor agiu assim?”
Ele respondeu: “quando reencontrei meu dinheiro chorei porque sabia que minha vida mudaria e que por não ter como repor minhas mercadorias passaria por muitas dificuldades, o que acabou acontecendo, mas quando perdi minhas únicas roupas me alegrei porque não havia mais nada para perder e a partir de então sabia que minha sorte mudaria e que D’us estava me dando uma nova oportunidade”.
Também creio que o futuro sempre nos reserva bênçãos maiores quando somos gratos a D”us por todas as situações que Ele permite que passemos.
É muito bom ser seu amigo!
Sempre juntos em Jesus.
Ben Baruch

cidinha disse...

Oi, Maria. Como é importante o nosso olhar.Olhar com amor, saber agradecer, mesmo as dificudades encontradas no passado que muito nos ensina a evoluir. Olhar para cima, agrdecer sempre a Deus pela vida, novas oportunidades. Amiga saudades de vc! Que tudo esteja bém contigo.. BJos e muita paz!!

LUCONI disse...

Verdade Maria José, a forma como olhamos é muito importante, pode mudar tudo beijos Luconi

Bloguinho da Zizi disse...

Maria José
Olhar com os olhos da nossa Essência é ver Luz em tudo que vemos.
Beijinhos

ValériaC disse...

Muito lindo...com certeza o nosso modo de olhar para tudo e todos faz um significativa diferença em como os sentimos e os percebemos. E sabe? Muitas vezes precisamos ajustar nossas lentes, não é mesmo?
Beijos...
Valéria