Páginas

domingo, 31 de julho de 2011

COMO ERA A PESSOA DE JESUS CRISTO



O Governador da Judéia, Públius Lentulus, ao César Romano:
Soube ó César, que desejavas informações acerca desse homem virtuoso que se chama Jesus, que o povo considera um profeta, e seus discípulos, o filho de Deus, criador do céu e da terra.
Com efeito, César, todos os dias se ouvem contar dele coisas maravilhosas.
Numa palavra, ele ressuscita os mortos e cura os enfermos. É um homem de estatura regular, em cuja fisionomia se reflete tal doçura e tal dignidade que a gente sente obrigado a amá-lo e temê-lo ao mesmo tempo.
A sua cabeleira tem até as orelhas, a cor das nozes maduras e, daí aos ombros tingem-se de um louro claro e brilhante; divide-se uma risca ao meio, à moda nazareno. A sua barba, da mesma cor da cabeleira, e encaracolada, não longa e também repartida ao meio.
Os seu olhos severos têm o brilho de um raio de sol; ninguém o pode olhar em face.
Quando ele acusa ou verbera, inspira o temor, mas logo se põe a chorar. Até nos rigores é afável e benévolo.
Diz-se que nunca ninguém o viu rir, mas muitas vezes foi visto chorando.
As suas mãos são belas como seus traços, toda gente acha sua conversação agradável e sedutora.
Não é visto amiúde em público e, quando aparece, apresenta-se modestamente vestido.
O seu porte é muito distinto. É belo.
Sua mãe, aliás, é a mais bela das mulheres que já se viu neste país.
Se o queres conhecer, ó César, como uma vez me escreveste, repete a tua ordem e eu te o mandarei. Se bem que nunca houvesse estudado, esse homem conhece todas as ciências.
Anda descalço e de cabeça descoberta. Muitos riem, quando ao longe o enxergam; desde que, porém, se encontram face a face com ele, tremem e admiram-no.
Dizem os hebreus que nunca viram um homem semelhante, nem doutrinas iguais às suas. Muitos crêem que ele seja Deus, outros afirmam que é teu inimigo, ó César.
Diz-se ainda que ele nunca desgostou ninguém, antes se esforça para fazer toda gente venturosa.
Obs 1. Esta descrição foi traduzida de uma carta de Públius Lentulus a César Augusto, imperador de Roma. Públius Lentulus foi predecessor de Pôncio Pilatos como governador da Judéia, na época em que Jesus Cristo iniciou seu ministério. O texto original encontra-se na biblioteca do Vaticano. Comprovada sua autenticidade, tornou-se, fora da Bíblia, o documento mais importante sobre a pessoa do Senhor Jesus.
Obs 2. Sabemos também que após a crucificação de Cristo, Públius Lentulus tornou-se seu seguidor e, juntamente com sua filha Lívia, levava a palavra de Deus aos povos da época.

8 comentários:

MOMENTOBRASILCOM.COM disse...

MARIA JOSÉ:

vamos amor, prestar alguns esclarecimentos aos teus leitores, informando que dentre as diversas reenecarnaçoes do Publius Lentulus, foi Pe. Manoel da Nóbrega. Bjs. Roy Lacerda.

cidinha disse...

Olá, Amiga Maria! Bela postagem. Fico muito feliz por saber mais sobre Jesus. há sempre controvercía a respeito da história.Já li sobre Publius e Livia! È importante saber que foi PE.Manoel da Nóbrega! Linda tarde e bjs com carinho!Obrigada sempre pelo carinho das postagens.

ELIANA-Coisas Boas da Vida disse...

NOSSA QUE BELA DESCRIÇÃO DE JESUS GOSTEI MUITO DE LER ESSE TEXTO TÃO ESCLARECEDOR,SOMENTE VC MINHA QUERIDA PARA NOS TRAZER TÃO BELO POST!
OBRIGADO
BOA SEMANA

Ver de Vida disse...

Nunca havia lido um documento semelhante. Não há muito o que dizer.
São palavras que cercam o Cristo. Verdade e eloquência.

Felicidade em sua jornada.

Denise disse...

E pensar q, apesar de todas essas coisas boas ditas de Jesus, ele foi duramente cruxificado.
Na obra de Chico Xavier, temos a informação q Publius Lentulus foi uma das encarnações de Emmanuel, mentor espiritual do Chico. Muita paz!

Carlos Varoli disse...

Oi Maria José, amiga querida. Neste texto podemos observar que Emmanuel, quando senador romano, já era um espírito verdadeiro, justo e generoso pela descrição que fez de Jesus.
Informo a você querida amiga que Lívia era sua esposa, como consta no livro "Há Dois Mil Anos", psicografado por Chico Xavier.
Uma curiosidade: Foi por causa deste livro que eu me tornei espírita a algumas décadas atrás.
Tenha uma linda semana, minha amiga.
Beijos,
Carlos espírita

ValériaC disse...

Que sublime descrição não mesmo minha querida? Quando penso nele, não vejo uma face, mas sinto um imenso amor.
Boa semana querida...beijinhos
Valéria

Senhor da Vida disse...

Muito interessante essa descrição.grande beijo!