Páginas

sábado, 30 de julho de 2011

AMPARO EM MEU DESERTO




"Deus sempre levanta uma pessoa para ajudar você"
Cada um de nós tem a sua maneira de lidar com situações problemáticas.
Devido a nossa individualidade, podemos enxergar de modo diferente um mesmo momento ruim em nossas vidas.
Mas todos nós, sem exceção, já vivemos um período que muitos chamam de “deserto”, um termo comum que significa uma fase de solidão em um caminho de dor.
“Quando passamos por um deserto não temos ajuda, não temos conselho, não temos amigos”.
A maioria descreve esse mesmo quadro:
“Ficamos abandonados, amargando nossas tragédias pessoais”.
Mas por que o “deserto” de cada um de nós tem que ser assim?
Não somos uma família, a família na qual o cabeça é Cristo?
Por que não nos ampararmos mutuamente?
Penso que as pessoas fogem dos problemas alheios.
Quando a dor é muito grande, as pessoas não sabem o que dizer, como ajudar, como ficar perto.
A maioria de nós prefere não se envolver.
Pensamos que na vida isso faz parte, e que logo a pessoa sairá e ficará bem.
Mas esquecemos que muitos demoram a ficar bem, alguns de fato ficam mais ou menos bem, trazendo para dentro de si a dor de um trauma que persiste, um trauma que pode durar uma vida toda.
E tem aqueles que realmente saem do “deserto” sozinhos, mas sofrem em demasia, sofrem porque não foram ajudados, não foram consolados, não foram amparados.
Que tipo de gente nós somos quando enxergamos a dor de um irmão e ficamos alheios a isso?
Por que essa palavra “deserto” tem ainda que estar em nosso meio?
Será mesmo que Deus, que é o Senhor de nossas vidas, abandona alguém, deixando-a à mercê de um momento ruim?
Eu não creio em um Deus assim.
Isso é contra a sua natureza.
Ele se entristece com tanta falta de amor e quando não ajudamos ao nosso próximo.
Enquanto nos fartamos em nossos instantes plenos de alegria, de motivação, de êxito, o nosso companheiro ao lado está vivendo um momento profundo de dissabor.
Sabe por que o “deserto” ainda existe?
Porque somos ausentes no que diz respeito ao problema de nosso irmão!
Somos imperceptíveis e gostamos de ser assim!
E se gostamos, precisamos mudar isso de uma vez!
O deserto de alguém pode chegar ao fim quando estendermos nossa mão, quando intercedermos em uma oração que pode fazer a diferença, quando caminharmos juntos, quando entendermos as lágrimas de nosso próximo.
No deserto, quantos já se desesperaram e buscaram ajuda em pessoas que não possuem o poder do Reino dos Céus, e tiveram que tomar direções errantes, tiveram que escutar conselhos que não cabem a um filho de Deus.
Foram humilhados, massacrados porque foram iludidos e esperaram demais por uma solução que nunca chegou.
Para aqueles que estão vivendo um momento de deserto, posso assegurar que vocês não estão sozinhos.
Não fiquem decepcionados com palavras que vocês não ouviram, com atitudes que vocês não viram acontecer; não entrem em autocomiseração.
Algumas pessoas dizem que foram nesses instantes que mais aprenderam o poder da consolação que o Espírito Santo tem.
E sempre existe alguém que está sensível à voz de Deus.
No meio de tanta gente que está aquém do que está vivendo, Deus sempre levanta uma pessoa para erguer você, para fazer a diferença em sua dor, para falar coisas edificantes que fazem você seguir em frente.
Eu não acredito em deserto, eu acredito em um vale, um vale onde existe, sim, caminhos difíceis, mas que existem também planícies verdejantes, águas tranqüilas e o frescor de uma brisa de paz, que nos acalma e nos ampara.

9 comentários:

Rô... disse...

oi minha amiga,

acho que eu precisava ler isso hoje,
as vezes quando quero me entristecer,
sempre aparece alguém e me diz coisas tão lindas,
como você hoje,aqui,
que enche e renova meu coração de amor...

obrigada por tanto carinho,e tanta sabedoria...

beijinhos

Meire disse...

Maria, minha doce amiga, seu último comentário no Crystal me deixou dando pulinhos de alegria, não imagina o quanto saber disso me deixa feliz!!! :)

É muito importante estendermos a mão quando uma pessoa está no meio do deserto. Até hoje nunca permaneci no deserto, sempre que me sentia perdida nele Deus me manda anjos que me estendem a mão e me dão paz. Acho que vc é um desses anjos, pois as mensagens que nos transmite através do seu blog nos enleva a alma, e se alguém chegar aqui no meio do deserto, as palavras vão ajudar a sair dele.

Que seu domingo seja iluminado,
bjokitas com mega carinho ;)

Micheli disse...

Oi querida!

Adorei a escolha do seu texto de hoje. Como sempre provoca reflexão sobre a vida!

Bjos

http://repensandoacoes.blogspot.com/

LUCONI disse...

Verdadeiro minha amiga, este deserto não existe, talvez as pessoas às vezes se fecham de tal forma que se recusam a olhar pra frente e não veem a mão que Deus estende para eles, mas a ajuda sempre estará ali, é só ter olhos para ver,é só prestar atenção nas bênçãos divinas e dar valor a pequenas coisas, beijos Luconi

Leandro Ruiz disse...

Deus sempre sabe o que é melhor para cada um de nós, muitas vezes nós não sabemos esperar o tempo certo de Deus, do seu agir!

Paz e bem!

www.lleandroaugustto.blogspot.com
www.eu-e-o-tempo.blogspot.com

Leandro Ruiz

Paula disse...

Eu sempre penso naquela mensagem Pegadas na Areia, sabe? Nos meus tempos de "deserto", Jesus me carrega nos braços...

Amei o post!

beijo e um fim de semana iluminado!

Maria Adeladia disse...

Maria José, boa tarde! Como vai vc?

Com certeza, Deus opera nas nossas vidas de todas as formas. É gratificante sabermos que existe uma força maior nos ajudando sempre!

Beijos!

Jorge disse...

Momentos de aridez acontecem, creio eu, por estarmos afastados do Cristo. E isso acontece também para que voltemos aos braços do Pai sendo o sofrimento, o caminho para isso.

Anjo amiga, um doce beijo e uma semana maravilhosa!!!

Cris Tarcia disse...

Lindo texto,chegou na hora. Bjs