Páginas

domingo, 26 de dezembro de 2010

PARA SE GUARDAR UM AMOR



A gente nunca deveria se acostumar com o amor. Deveríamos ter sempre essa sensação de novo, novidade, como se, cada manhã, descobrindo o nascer do dia, nos extasiássemos diante do espetáculo como se ele jamais tivesse acontecido antes.
Falta cuidados com o amor, com a nobreza dele e é por isso que ele se apaga. O frio no estômago passa logo que o amor toma posse, o coração bate menos rápido com o decorrer dos dias, a saudade precisa de mais tempo para ser sentida e os hábitos se instalam.
A diferença básica entre homens e mulheres é que a primeira parte é mais racional, vê e ouve somente o que quer, se satisfaz com mais facilidade fisicamente, e a segunda... ah, a segunda!... essa é a guardadora dos sonhos que faz com que muitos relacionamentos continuem até depois que o sentimento acabou.
As mulheres trazem, quase sempre escondido no peito, a caixinha de promessas dos primeiros encontros, dos primeiros suspiros, primeiras palavras trocadas, elas guardam datas, tentam adivinhar os desejos, se especializam em surpresas e esperam secretamente ser adivinhadas.
Algo que aprendi com o tempo foi que o amor não é um conjunto de compatibilidades, mas a aceitação das incompatibilidades. Não amamos a outra pessoa quando ela tem algo que nos agrada, mas quando o que não nos agrada torna-se menos importante, mesmo se continua a existir. O amor está na diferença do contrapeso.
É preciso para se guardar um amor, ter-se a memória fraca para certas coisas e um coração desesperadamente atento para outras. É preciso conhecer certos detalhes e dar-lhes a devida importância, apreciar o pôr-do-sol como se fosse a primeira vez e se dar as mãos como se elas nunca se tivessem separado.

9 comentários:

Alma Inquieta disse...

Olá Maria José,

é verdade... é esse sentimento de novidade que nos permite ver magia em cada olhar que o ser amado nos dirige, em cada gesto de carinho, em cada palavra...

Um beijo.

Ahhh... passa pelo meu blog...

MOMENTOBRASILCOM.blogspot.com disse...

MARIA JOSÉ: Complementando teu post, "AMAR" é dar, sem esperar retorno; é renuncias incontidas: é querer ver sempre o outro feliz; Enfim: "amar é........AMAR! e isso ocorre conosco não é MEU AMOR? Bjs. Roy Lacerda.

Lucia Belo Horizonte / MG disse...

Para você eu desejo um final de ano de muita paz; que a serenidade preencha seu coração para entrar e permanecer durante todo o ano novo. Obrigado por compartilhar seus pensamentos e que possamos continuar transmitindo o brilho do amor a todos, sem distinção, como um Sol que distribui calor e energia, não importa onde estejamos. Que cada um durante sua caminhada, esteja pronto a reescrever a própria história. Um grande abraço, Lucia

LUCONI disse...

Querida Maria José quanta sabedoria neste seu texto, é sim assim que tem que ser, ou pelo menos deveria ser, que lindo coração você tem, um lindo inicio de ano e que seu jardim esteja sempre repleto de muitas flores, beijos Luconi

Jorge Magalhães disse...

Bonito e realista o texto. Bacana...boa sorte

Jorge Nectan disse...

Amar é sentir-se feliz.

Um doce beijo, Anjo!!!

CARLA FABIANE... disse...

Que 2011 seja um tempo de realizaçoes e superaçoes..... pq em algum momento de nossas vida virão obstá****s que podemos superar, basta crermos nisso e todo e qualquer obstá****, torna-se experiencia e crescimento!
FELIZ ANO NOVO!
bjus

josenaide coelho disse...

amar é ver detalhes onde nem se procura,os olhos
acham mesmo assim...amo,amo,amo...................

Unknown disse...

Nossa Maria, eu amei esse teu blog, estou compartilhando alguns dos seus textos, são muitos legais...Prabéns pelo blog...Bjss