Páginas

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

VIAGEM NECESSÁRIA


Fico preocupado toda vez que vejo uma pessoa ansiosa, visivelmente angustiada, falando que vai viajar em busca de um novo sentido para sua vida.
Estar consigo se tornou tão insuportável, que ela passa a transferir para os aeroportos e rodoviárias, todas as suas esperanças de paz e felicidade. Isso é o pior que pode acontecer a um ser humano.
Significa que ela está perdendo a confiança em si mesma, está transferindo para terceiros a responsabilidade sobre seu próprio bem-estar. Isso é a morte em dose homeopática.
O problema que está dentro não pode ser resolvido fora. Tudo que se buscar no mundo exterior, será um exercício inútil de fugir de si mesma.
Para uma pessoa angustiada, Paris ou Viena podem se transformar num inferno cheio de luzes. Um coração triste não enxerga a beleza.
Na Índia, conta-se a seguinte história.
Uma mulher foi surpreendida numa praça procurando algo. Curiosa, a vizinhança logo quis saber o que ela havia perdido: uma agulha, respondeu!
Todos se prontificaram a ajudá-la a achar a tal agulha. No final da tarde, já cansados da procura inútil, os vizinhos perguntaram: onde exatamente você perdeu a agulha?
Ao que a mulher responde: Dentro da minha casa, mas como aqui há mais claridade, achei que teria mais chances de encontrá-la.
Só faltaram bater na mulher: como você nos fazer perder tanto tempo procurando aqui fora algo que foi perdido lá dentro?
A mulher, que era na verdade uma monja, deu uma enorme gargalhada e disse: engraçado, vocês perdem a felicidade em seus corações e partem para buscá-la no mundo exterior. Fazem a mesma loucura que agora estranham em mim.
Esta tem sido a vida de vocês, que buscam fora o que perderam dentro.
Pois saibam que somente no silêncio de seus corações poderão encontrar a felicidade perdida.
Osho, o líder espiritual indiano, dizia: Esta é a situação do ser humano. Você é capaz de olhar para todos os lugares à sua volta, mas é incapaz de ver onde está e o que veio fazer neste planeta. É incapaz de fazer a pergunta fundamental: Quem sou eu?
Enquanto não tiver resposta para esta pergunta, cancele todas as passagens que reservou. Não há lugar para onde ir; estar aqui é glorioso e gratificante, que não há melhor local no mundo onde você possa se reencontrar.
Feche os olhos para poder ver a realidade do aqui. Lá é apenas uma ficção. Aqui e agora são as nossas únicas realidades.
Mergulhe para dentro de si. Tenha coragem de permanecer só e em silêncio. A mente quer levá-la para fora porque teme perder o controle da situação.
Seja mais forte, resista a todas as tentativas de buscar fora a felicidade que só pode ser encontrada dentro de você.
Medite. A mente e a meditação não podem coexistir. Não se pode ter ambas. Ou você fica com a mente ou com a meditação, pois a mente é pensar e meditação é silêncio.
A mente significa tatear no escuro. A meditação significa entrar na infinita beleza do seu próprio ser.
No começo o silêncio parece tristeza, porque você sempre foi uma pessoa ativa, ocupada, envolvida – e de repente, se foram todas as suas atividades, seus negócios produtivos, seus afazeres...
Dá a impressão que você perdeu tudo, toda a sua vida. Até os projetos profissionais parecem perder o sentido. É uma sensação de tristeza profunda.
Mas seja um pouco paciente, deixe essa tristeza se assentar. Esse é o começo do silêncio, o começo da paz.
Se você não levar a felicidade na sua bagagem, não vai encontrá-la em nenhuma parte do mundo. Lembre-se: o que você está procurando é você mesma.
Nada neste mundo faz sentido se não tocamos o coração das pessoas. Se a gente cresce com os golpes duros da vida, também podemos crescer com os toques suaves na alma.

Enviado por Roy Lacerda do blog MomentoBrasil (
http://momentobrasilcom.blogspot.com/

13 comentários:

Maria Adeladia disse...

Maria José,
Seu texto é maravilhoso!

Realmente, o correto é estarmos em paz conosco!

Pois não adianta fugir,viajar para outras localidades, se o problema está em nossas cabeças.

Boa noite, querida, e uma ótima semana à vc.

Abraços.

ELIANA-Coisas Boas da Vida disse...

A VELHA HISTÓRIA... OS PROBLEMAS E TRISTEZAS NÃO FICAM NA TAPERA QUANDO NOS MUDAMOS,ELES VÃO JUNTO CONOSCO!
LINDO TEXTO!
BEIJO

manuel marques disse...

A angústia é a disposição fundamental que nos coloca perante o nada ...


Beijo.

orvalho do ceu disse...

Oi, Maria José
Acabo de chegar agorinha da roça e por lá foi tudo lindo,como sempre por aqui também...
Desejo que vc tenha tido dias felizes...
Fique com Deus, tenha paz e amor!!!
Bjm

José Gonçalves disse...

Olá Maria José Rezende,

Mais um soberbo tema para uma análise introspectiva.

Uma viagem ao interior de nós mesmos é meio caminho andado para o alcance da harmonia.

E não há solidão maior que sentir-se só no meio da multidão!

Um abraço e até sempre,

José Gonçalves
(Guimarães)

Jeanne disse...

Olá, tem um selinho para ti lá no blog.
Beijos

Silvia disse...

Oi, Maria José
gostei de começar a semana com essa mensagem. Vamos mesmo valorizar mais o que temos hoje, ser feliz hoje também e não só planejar o futuro.
Abraço

JOSÉ ROBERTO BALESTRA disse...

Sublime!

abs

Maysa disse...

olá Maria Jose pois bem mas temos momentos difíceis em que não conseguimos superar este silêncio da alma,
uma boa semana
abraço
elisa

LAR DOCE LAR disse...

Quando estamos bem resolvidos e felizes quaisquer lugares ou situações são de fácil aceitação.
Grande texto!
Abraço
Malu - Também Infinito Particular

Sinais no Mundo... disse...

Passei por aqui...Deixo-vos a Paz e o Amor de Cristo.

Convido-vos a conhecer Chiara Luce e o seu Sim Incondicional a Deus...

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Maria José, o seu texto é espectacular....
Cumprimentos

Carmem L Vilanova disse...

Maria José, amiga querida!!!

"somente no silêncio de seus corações poderão encontrar a felicidade perdida"... quanta verdade há aqui... é impressionante como temos esta eterna mania de terceirizar problemas, soluções, até mesmo a nossa felicidade (ou a falta dela)... é muito mais fácil viver e aceitar que as coisas não dependem de nós mesmos... é muito mais fácil acreditar que não somos os responsáveis pelo que nos sucede... dói menos... mas também traz muito menos felicidade...
Quando procurarmos a alegria, a paz, a felicidade e o amor dentro de nós, a Vida será muito mais significativa...
Beijos, flores e muitos sorrisos!