Páginas

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

O AMOR QUE SE ACABOU


Quando foi que o amor se acabou e o príncipe virou sapo e a princesa desencantou?
Provavelmente depois de tantos beijos não dados, de tantos momentos deixados pro lado, de tanto monólogo de ambas as partes.
Em geral o amor assiste a própria morte e resta silencioso.
Ou ele grita por socorro e as pessoas se fazem de surdas.
O mais difícil no fim de um relacionamento é admitir que tudo acabou.
Há pessoas que insistem simplesmente porque não querem admitir o fim.
E caminham, vagarosamente, pela vida, vivendo o dia-a-dia como se não houvesse o depois.
Mas a vida não acaba quando morre um amor.
Ela simplesmente passa por uma transição que, como todas, é frequentemente dolorida.
Tememos as mudanças porque tememos o desconhecido.
Mas o que é o desconhecido?
Mesmo o dia de amanhã, não podemos tocá-lo até que ele chegue a nós, não podemos sabê-lo até que chegue o momento em que, mergulhados, precisamos vivê-lo.
Aceitar a morte, qualquer que seja, é reconhecer nossa vulnerabilidade diante da vida.
E somo seres orgulhosos por demais para querer reconhecer nossa fragilidade ante o que não podemos controlar.
E a vida não se controla.
Ela se abate sobre nossas cabeças e tudo o que podemos fazer é vivê-la o mais intensamente possível com todos os riscos e perigos que ela nos impõe, com toas as surpresas, que ela nos reserva.
Precisamos é tirar o melhor partido do que está nas nossas mãos e reconhecer que pra todo fim há sempre um recomeço.
Uma perda é quase sempre um ganho, é muitas vezes, a válvula propulsora para uma nova vida, uma nova história, um novo amanhã.

18 comentários:

Reyel Angel disse...

É verdade. Nossa, como gostei desse seu texto. "Uma perda é quase sempre um ganho." Adorei!
Bjos na alma!

Elaine Barnes disse...

A Letícia foi precisa no texto. Obrigada amiga por trazê-lo a nós.Eu não mudaria nada, achei perfeito! As vezes criamos uma dependência seja ela em qualquer nível,que vamos empurrando algo que não dá mais em nome de não sei o quê. Medo de descobrir que a perda será realmente um ganho. Amei! bjão

angela disse...

Lindo e verdadeiro texto. Aprender a desapegar-se é uma das grandes tarefas da vida.
Obrigada pela partilha
beijos

Uman disse...

Maria José.
Me questiono quando se diz que o amor acaba. A paixão, sim, mas o Amor? Afinal é o sentimento por excelencia.
Será que o Amor acaba ou se transforma?

Não sei...

Um beijo, minha luz!
Jorge

cantinho she disse...

Oi minha querida!
Bela escolha de post! Nossa como é difícil dizer adeus a um possível grande amor...mas é preciso deixá-lo partir pq se quer partir é porque nunca foi meu de fato.
É doloroso demais, é preciso chorar e sofrer o luto para que quando passar...ah sim porque vai passar, tudo passa nessa vida,então para que qdo passar possamos deixar verdadeiramente ir embora e assim nos permitir, novamente, a viver novas experiências.
Amei vir aqui hoje, como sempre!
Beijooooooooooooooooo

Pelos caminhos da vida. disse...

Uma perda é quase sempre um ganho, é muitas vezes, a válvula propulsora para uma nova vida, uma nova história, um novo amanhã.

beijooo.

Sônia Silvino disse...

Maria José!
Mais uma linda postagem que nos faz refletir!
Acho que se o amor acabou é por que é hora de encontrar outro! Ou não! Ninguém é feliz amando sem ser amado, portanto... vire a página!
Fiquei feliz com a tua participação na minha "cozinha". Venha sempre!
Bjkas!

Diego S. Baldraco disse...

Este é um tema muitoooo complicado. Sempre sofri com isso, mas sempre entro de cabeça de volta...rs
Mas tudo é um aprendizado.
Desejo um ótimo 2010 e que possamos crescer todos juntos nesta vida!
Muita Paz!

Elizabeth disse...

Querida amiga,
Lindo esse texto, mas penso que o amor não acaba nunca e sim a paixão.
Beijo.

Branca de Neve disse...

Muito bonito o texto. Acho que é isso mesmo. Devemos viver sempre intensamente.

JFS disse...

O maior 'desconhecido' é o imenso que falta descobrir no nosso interior. Gostei.

Valerie disse...

Olá, alma linda!

Vim te desejar o melhor dos anos, a melhor das realizações, o maior dos amores e toda a felicidade que podemos ter nesse mundo.

Sobre o texto, me faz lembrar uma frase de Paulo Coelho que, de tanto que gosto, pus em toda parte por onde tenho conta, aqui na Net. Diz assim: "O amor jamais morre de morte natural. Geralmente morre de sede, porque nos esquecemos da fonte."

Que esse seja um ano em que possamos todos, zelar mais pela sementinha do amor, nutrindo-a com carinho, respeito, doação, entendimento...

Um abraço afetuoso.

GEEL - Grupo Espírita Esperança e Luz disse...

Amar faz com sejamos tanto fortes quanto vulneráveis. É o mais sublime sentimento que podemos demonstrar por alguém. Lindo texto.
Beijos.

Senhor da Vida disse...

Esse texto me fez lembrar uma musica linda cantada por Ana Carolina, mais ou menos assim:
"..mas é que se eu perder, eu perco sozinha, mas seu ganhar, ai é so eu quem ganho.."
As veses a gente tem que viver certos momentos sozinhos, porque tem lições que foram feitas so pra mim, e estar com alguem talvez me desvie de aprender, e acabo perdendo lições importantes que podem fazer falta, na presença de um outro alguem.
coisas da vida...bjkas!

Simone Anjos disse...

Olá Maria José,
Quando o amor acaba é porque as pessoas já viveram tudo o que deviam ter vivido daquela história. Se um insiste em manter ligado em algo que não proporciona bem-estar para os dois, na verdade quer continuar sofrendo. O melhor é aceitar que o amor acabou e abrir-se para o novo, somente não é facil, é um processo doloroso.
Amiga, estou lhe devendo várias visitas, mas ainda estou me curando das "lições" de 2009.
Beijos na sua linda alma iluminada

manuel marques disse...

O mal nunca está no amor ...


Beijo.

Alexandra disse...

ESTOU PASSANDO POR ESSA PERDA E SEI O QUANTO ELA É DOLORIDA É DIFICIL MAS SEI QUE VOU CONSEGUIR VIRAR A PAGINA AFINAL FORAM 50 ANOS,MAS TEXTOS E DEPOIMENTOS ASSIM ME DÃO MUITA FORÇA.

Mãe 24hs disse...

Também estou passando por essa dor. Faz um ano que meu marido deixou eu e meus dois filhos, de 3 e 6 anos. Dizia que não era feliz ao meu lado e já estava se relacionando com outra mulher. Hoje, mora com ela e com os filhos adolescentes dela. Dá pouca atenção para os nosso pequenos. Foi um golpe e tanto. Éramos uma família linda e não tínhamos qualquer problema irrecuperável. Sofri e ainda tenho recaídas. Não consigo entender a troca de uma história bonita, de uma esposa honesta, de filhos adoráveis por algo tão irracional. Acredito que o amor não é apenas um sentimento, mas também um compromisso e quando temos filhos temos que assumir essa missão tão linda que Deus nos deu. O inimigo número um do amor é o egoísmo. As pessoas buscam apenas a sua própria felicidade e não se importam mais com o sentimento dos outros. Vou caminhando e digerindo a decepção. Sei que as respostas deste desencontro virão mais pra frente. Obrigada pela força!