Páginas

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

MUDANÇAS NÃO SÃO FÁCEIS


Seja a simples mudança de cargo, de casa, de escola, de bairro...
Toda mudança requer uma nova disposição, um novo pensamento.
E quase sempre a mudança nos pega de surpresa.
Imagine as mudanças pessoais, mudança repentina de relacionamento, um casamento de anos que termina, um namoro que tinha tudo para dar certo, um emprego que você jurava que era para sempre.
Para sempre!
Engraçado como todos nós temos esse conceito de eternidade dentro de nós. Tudo parece que é para sempre. Pelo menos, é o que desejamos, não é mesmo?
Mas não é bem assim.
Se observarmos à nossa volta, tudo está mudando e, se olharmos bem no espelho, nós mesmos já mudamos tanto.
E quase sempre, continuamos nos vendo como naquela velha foto que mantemos no orkut, na nossa página pessoal.
É assim que nos vemos, estacionados no tempo.
Pensar na morte então, nem pensar.
No nosso conceito, vamos virar sementes e os que amamos então, vão virar anjos na terra.
Tudo de ruim que assistimos na televisão ou lemos nos jornais, é sempre com os outros, na casa dos outros, no país dos outros. Na nossa vida, imaginamos flores.
Mas as mudanças chegam, por vezes, de maneira tão forte, tão repentina, que quando percebemos, já mudamos. E olha, que nem foi tão difícil.
Porém, há mudanças que acontecem só do lado de fora, que não refletem no nosso interior. Nós não aceitamos o que já mudou e continuamos nos enganando, vivendo uma fantasia para não aceitar o que já está feito, pronto e acabado.
Isso é viver pela metade, é uma doença, quase que sem cura, daquelas que só a dor ou um choque maior poderão resolver um dia.
Enquanto isso, a vida segue, as pessoas seguem seus caminhos e você precisa seguir o seu.
Vamos, o sol já apareceu, já choveu, já é quase noite e você não pode ficar aí com os olhos embaçados, perdidos no tempo que não volta.
É hora de reagir e ir, porque a vida na verdade, é uma grande experiência, uma aula cujos mestres amorosos aplicam lições práticas, tudo com a intenção de melhorar este ser apaixonante, que é você.
Enviado por Rosani do blog
http://rosani22.blogspot.com/

10 comentários:

angela disse...

É dificil aceitar a impermanencia das coisas e da vida.
beijos

Adelia Ester Maame Zimeo disse...

Maria José, o mais comum é a ilusão de contarmos com a permanência de tudo e de todos. Isto gera uma sensação de segurança. Porém, nosso universo denota a impermanência em tudo. Apesar de alguns já terem esta noção, quando não bem interiorizada, não atenua as sensações de desconforto perante as mudanças que ocorrem. Porém,a sabedoria da Vida nos cutuca continuamente com tantas mudanças, que passamos gradativamente a nos adaptar mais às alterações gerais internas e externas. Conseguimos perceber a relatividade da Vida em si. Beijos.

Adolfo Payés disse...

Te dejo mis mejores vibraciones de paz para estas fiestas..

Es un placer leerte..
Suerte en todo..

Un abrazo
Saludos fraternos..

alegria de viver disse...

Querida amiga
Quando somos jovens todas as mudanças são bem vindas, com o tempo nosso desejo é outro, principalmente sem mudanças, dizemos estar acostumados com nossas coisas, é como sentir uma segurança.
Mas nada disso adianta, toda a mudança é para nosso bem.
Com muito carinho BJS.

Kelly disse...

É que as vezes mudar, aceitar, nos tira da zona de conforto..por vezes é melhor ficar como está...beijos

Pelos caminhos da vida. disse...

Sou alérgica a mudança de casa(pois já me mudei demais), outras mudanças é sempre bem vinda.

Boa noite amiga.

beijooo.

Antonio Carlos disse...

Querida irmã Maria José!
É interessante observar o comportamento que muitos de nós temos quando se apresenta diante de nós a possibilidade de mudarmos o meio em que vivemos, principalmente quando recai sobre nós a incumbência de alterar o rumo das coisas que nos cercam.
Freqüentemente oferecemos resistências às inovações. O novo nos assusta!
Normalmente, quando ainda não passamos por determinadas experiências e temos que fazê-lo, preferimos nos omitir e temos sempre na ponta da língua a resposta para essas situações: dizemos que temos os pés no chão e por isso não nos aventuramos para não corrermos riscos desnecessários, mas no fundo sabemos que o que nos falta muitas vezes é a coragem necessária para enfrentarmos os desafios que a vida nos apresenta.
Beijos, sempre juntos em Jesus.
Antonio Carlos

Zininha disse...

Penso que enquanto achamos que somos eternos, vivemos melhor...
Quando temos certeza que estamos chegando ao fim...
ele chega mais rápido...

Viver é fantasiar também...
e porque não fantasiar que somos eternos?

Beijos...

*Teresa Cristina* disse...

Mudanças não são fáceis....mas sinceramente são sempre bem vindas pra nos tirar do nosso comodismo.
Bjss♥

JCesar disse...

Olá Marcia, obrigado por passar também no Iris. (é o selinho de papai noel que concedeu,não?)

Estou passando para dizer que há um mimozinho, simples, mas com muito carinho e coração. Seus espaços são fascinantes, e o problema do blogger é esse, rs,...pelo menos os blogs que sigo, são tão incríveis...e as vezes não dá tempo de ver e saborear a todos!

Mas...o selinho está lá para retira-lo. Receba-o com carinho.

Mudanças... bem, perto de completar 47...passei por algumas, brandas, outras bem pesadas.
De forma bem sucinta, publiquei um post Metamorfose.
Não é por acaso que borboletas rodeiam meu espaço...entre outro motivo.
Quero deixar-te essa poesia que fiz nessa semana:

Enquanto fui 'lagarta' o mundo era limitado...via injustiças, mas contornava fingindo, sem saber, que era feliz.

Das patas sobraram-me silueta
do corpo, sobraram-me as cores
do pensamento sobraram-me as asas
dos falsos amigos não sobraram nada.
Da tristeza fiz felicidade

hoje eu voo.
Julio Cesar

Um abraço
bjim
Julio Cesar