Páginas

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

AINDA QUE EU FALASSE A LINGUAGEM DOS ANJOS


Uma das coisas mais difíceis no mundo é ter um coração puro. Podemos ter corações amáveis, gentis e abertos aos outros, mas puros e cheios de amor desinteressado...
Quanto trabalho ainda deve ser feito, quanta renúncia, quanta aceitação e quanta doação!
Não podemos negociar com Deus, fazer isso em troca daquilo, agir de uma certa forma para obter algum tipo de recompensa. O amor é gratuito e nossa dedicação a Deus ou aos outros não deve depender do que obtemos de volta.
Aquilo que sai da nossa alma e do nosso coração devem ser ofertas, livres de quaisquer condições. Deus nos dá em retorno? Certamente, porém não como paga, mas como resultado da confiança que depositamos n´Ele.
Não somo bons quando damos de nós aos outros, nem quando fazemos caridade, nem mesmo quando abandonamos nossa vida por alguém que carece da nossa ajuda.
Somos bons quando as coisas, gestos e palavras saem do nosso coração como uma flecha e não ficamos observando se ela vai voltar.

Somos bons quando não contamos que nosso irmão tem mais que nós e nos sentimos ofendidos, quando o bem e a felicidade do outro passam a ser nosso bem e felicidade também.
Erram as pessoas que se acham boas quando doam de si, isso é orgulho. Geralmente elas dão do que lhes sobra e seus objetivos são tornarem-se pessoas melhores. Fazem por si no fim das contas, não pelos outros.
O caminho para o Alto é muito longo e a porta de entrada é estreita. Os que acham que já estão na metade do caminho, certamente nem começaram ainda a subir.
É Deus quem nos eleva e precisamos dizer muitos “não” e muitos “sim” até que alcancemos um pedacinho do céu.
Amar demais aqui e odiar ali anula o amor, escolher os que perdoamos é o mesmo que não perdoar ninguém, pois nosso coração continua com manchas.
O amor tem olhos fechados e é o maior de todos os dons, distribuído a todos na face da terra. Mas segundo a Bíblia, há os que plantam, os que colhem, os que multiplicam e os que escondem.
Podemos fazer todos os bens do mundo, regar os jardins dos que precisam e oferecer-lhes nosso melhor sorriso, mas ainda assim não teremos começado nosso caminho se negamos a palavra a um irmão, se os ressentimentos corroem nosso coração, se contamos cada ato que realizamos.
Deus não precisa dos nossos gestos vazios. Ele apenas pede um coração sincero. Aquele que sabe e reconhece não ser perfeito, mas abre-se a cada dia ao próximo, ao distante e tem por meta fazer o bem.
Deus ama a todos indistintamente, mas os que aprenderam o que é compartilhar, compreenderam melhor os preceitos do Seu coração. E esses provam plenamente da Sua graça.

14 comentários:

Efigênia Coutinho disse...

Maria José
Grande postagem deveria ser lida por uma multidão, pois somente vem a somar na leitura deste texto, meus cumprimentos,
Efigênia Coutinho

angela disse...

Muito especial este texto que diferencia a intenção do coração nos nossos atos.
beijos

Pelos caminhos da vida. disse...

Que lindo post amiga.

Ótima sexta-feira.

beijooo.

Sônia Silvino disse...

Olá!!!
Como eu gosto dos teus textos!!!
Simples e profundos!
Adoooro!
Bjkas!!!

Maria Izabel Viégas disse...

Amada Minha,
Adoro ler tudo que escreves!
este texto é belíssimo, suas palavras saem desta alma linda e ecoam como sons divinos.
Abençoada sejas, querida!
Só alguém sensível assim sabe falar tão bem sobre amor , sobre o dar sem esperar a volta, mas entendendo que nesta doação é que se realiza o milagre de deus em nós!
perfeito!
beijos n'alma!

REGINA GOULART SANTOS disse...

Ainda que eu falasse a linguagem dos homens e dos anjos,...sem amor eu nada seria.
Belo texto minha querida amiga, Maria José.
Perdoar não é um ato tão fácil, mas, pelo menos, vale a pena tentar... com o tempo, tudo há de se tornar mais fácil.

Beijos iluminados

António Valério,sj disse...

Parabéns por esta reflexão. É cheia de liberdade, faz bem ler! Bom fim de semana ;)

Carmem L Vilanova disse...

Sem Amor Eu Nada Seria... :o)
E essa e' a minha realidade... respiro Amor, nao saberia viver sem ele, sob todos seus aspectos!
O post esta' lindissimo, amiga!

Beijos, flores e muitos sorrisos para um fim de semana feliz! :o)

Eu Sei Que Vou Te Amar
Viver Integral

IdoMind disse...

Eu sou das tais que acredita que somos bons por natureza.
O nosso primeiro impulso é para o bem. Mas depois vem o medo. Vêm as dores antigas. A cabeça a dizer que certas coisas não fazem sentido e acabamos por agir quase sempre condicionados pela experiência e da memória da mesma.

Eu diria, somos bons. Seremos melhores se deixarmos o Amor desinteressado comendar todas as nossas palavras e todos os nossos gestos.

belo post parabéns

Cris Tarcia disse...

LIndo texto, temos muito que caminhar ainda, aprender a amar.

Beijos e um lindo dia

Elizabeth disse...

Oi Maria José,
O caminho da evolução é longo, bem longo. A cada encarnação evoluimos bem pouco, mas nunca podemos desanimar. Voce já leu o último livro do Dr. Inácio, através do Baccelli - Estudando Nosso Lar?
Beijo.

Pelos caminhos da vida. disse...

Abraços significam amor para alguém com quem realmente nos importamos.....
para nossos avós ou nossos vizinhos, ou até mesmo para um ursinho amigo......

Um abraço é algo espantoso... é a forma perfeita de mostrar
o amor que sentimos, mas que palavras não podem dizer.

É engraçado como um simples abraço faz nos sentir bem...
em qualquer lugar ou língua...
É sempre compreendido...
E abraços não precisam de equipamentos, pilhas ou baterias especiais...
É só abrir os braços e o coração...

Guarde este abraço!

Bom fim de semana amiga.

beijooo.

Jorge disse...

Maria José,

Estamos ainda aprendendo a amar. É nas experiências muita vez dolorosa que vamos lapidando a nossa ignorância. Mas temos toda a imortaliidade para nos ajustarmos no Amor Divino. A diferença é que uns irão mais rápidos que outros.

Um beijo, meu anjo,
Jorge

Fabiano Mayrink disse...

Quanta sabedoria, sempre me faz refletir, adoro suas mensagens!