Páginas

domingo, 4 de outubro de 2009

EROS E PSIQUÊ


Conta a lenda que dormia
Uma princesa encantada
A quem só despertaria
Um infante, que viria
De além do muro da estrada.

Ele tinha que, tentado,
Vencer o mal e o bem,
Antes que, já libertado,
Deixasse o caminho errado
Por o que à Princesa vem.

A princesa adormecida,
Se espera, dormindo espera.
Sonha em morte a sua vida,
E orna-lhe a fronte esquecida,
Verde, uma grinalda de hera.

Longe o Infante, esforçado,
Sem saber que intuito tem,
Rompe o caminho fadado.
Ele dela é ignorado.
Ela pra ele é ninguém.

Mas cada um cumpre o Destino –
Ela dormindo encantada,
Ele buscando-a sem tino
Pelo processo divino
Que faz existir a estrada.

E, se bem que seja obscuro
Tudo pela estrada afora,
E falso, ele vem seguro,
E, vencendo estrada e muro,
Chega onde em sono ela mora.

E, inda tonto do que houvera,
A cabeça em maresia,
Ergue a mão, encontra a hera,
E vê que ele mesmo era
A Princesa que dormia.

8 comentários:

angela disse...

Fernando Pessoa é sempre tão magnifico.
beijos

Felix Casanova Briceño disse...

Muy bonito, precioso y magnifico. Me gusto mucho. Beijos

adriana disse...

Um dos mais belos poemas que conheço.
E essencialmente oportuno ao que vamos desvelando nestes momentos tão ricos e intensos.

Maria José,
Passando para deixar um beijo
Um linda lua cheia pra você!

Mara Virginia disse...

Fernando Pessoa além do grande talento, era espiritualizado, ele tinha heteronimos, criava personagem, eu acreditoque psicografava...

Lindo post Maria José, fique com Deus, paz e luz.

PCR disse...

Lindo!!!

Edson Carmo disse...

EROS E PSIQUÊ

Eros: energia criativa do corpo. Psiquê: energia criativa no corpo. Eros e Psiquê um excelente par.

Edson Carmo

Maria José disse...

Agradeço a cada um de vocês os comentários aqui deixados. Eles enriquecem o blog e trazem um ar de informalidade e amizade, que me agrada substancialmente. Estarei sempre em contato com cada um de vocês em seus espaços. Beijos a todos.

wellingto de oliveira moraes disse...

o feminino que esta oculto, submerso nas profundezas da consciencia patriarcal. Precisamos urgentemente resgata-lo antes que seja tarde demais.