Páginas

sábado, 12 de setembro de 2009

O HOMEM E O ANIMAL


“Naquela noite, no meu saco de dormir, no chão da cabana, sonhei que um castor enorme subia na minha jaqueta-travesseiro. Isso me acordou e eu senti alguma coisa movendo no meu cabelo e depois se retirando pro chão. No feixe de luz da minha lanterna, havia uma pequena ratinha de patas brancas e em sua boca um grande chumaço do que parecia ser meu cabelo. Ela saiu correndo para um canto onde havia um braço de cadeira quebrado. Esperei no escuro e ela subiu de novo na minha cabeça e suas pequenas mãozinhas rosadas e seus dentes cortaram o comprimento necessário de cabelo para aquele ninho. Voltei a dormir pensando o quanto era bom saber que o homem, a única verdadeira praga na Natureza teve, por fim, uma utilidade, para ao menos, uma “pessoinha” naquele vasto deserto.”

Um comentário:

VIDA EM POEMAS disse...

Oi amiga, companheira de caminhada no plano Terreno, amei teu cantinho, como é bom saber que ainda há pessoas comprometidas com a paz e o bem ao próximo...lugar pra lá de especial que ficará em meu coração e em meus favoritos...amei ler você
Um suave beijo em tua alma
paz e luz em teu caminhar
com carinho
Rosane Silveira