Páginas

quarta-feira, 9 de março de 2016

DISCERNIR



Discernir é entender a essência, é diferenciar
o ouro autêntico do falso.
Sempre que tiro alguma coisa de seu contexto,
deixo de entendê-la e começo a distorcê-la.
Todas as situações têm suas raízes históricas,
seus efeitos presentes e suas implicações futuras.
Discernir é considerar as inter-relações de
todos os ingredientes de uma situação.
Sem essa perspectiva sou impelido a proteger meus
interesses, sou consumido pelo calor do momento,
deixo de ver as consequências dos meus atos.

2 comentários:

Maria Teresa Valente disse...

É muito difícil, poucos conseguem!
Para discernir, é preciso se livrar das emoções,
nem sempre isso é fácil.
Mas é esse o caminho!
Obrigada, abraços carinhosos
Maria Teresa

Jorge disse...

Sem discernimento não há boas decisões.