Páginas

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

EU, VOCÊ E O TEMPO (II)



Quando nos encontramos foi o máximo. Via em você os sonhos a realizar. Tínhamos carinho, prazer. Falávamos das nossas fantasias, dos desejos. Pedíamos e acreditávamos em uma união. De corpos, espíritos e alma começamos a construir o mundo idealizado.
No início as dificuldades surgiam e nós superávamos. Acreditávamos em nós, estávamos juntos. O tempo passa... o tempo corre... o tempo não para... E percebo que não acompanhamos o tempo. Que nos perdemos neste tempo. Eu e você.
Hoje estamos distantes dos nossos sonhos. Dos nossos ideais. E pergunto: “O que aconteceu?” E com certeza cada um tem a sua história. Cada um tem a sua desculpa. Cada um tem a sua culpa. E será que podemos resgatar, refazer a nossa história, reconstruir os nossos sonhos?
É mais difícil, pois teremos de esquecer as mágoas, os desafetos, as angústias sofridas, as rotinas vividas.
Buscar no baú de nossa alma, os sonhos, o amor, o carinho, o respeito. Terá de ser uma batalha conjunta... dia a dia.
Espanar da nossa vida o desânimo, o pessimismo, a falta de fé. Onde teremos de reconstruir... Eu e você... Um novo mundo onde seremos apenas nós.
Vamos tentar?

2 comentários:

Vieira Calado disse...

E... entretanto, desejo.lhe um bom fim de semana!

Beijinhos!

Maria Teresa Valente disse...

Maria José, depois de viver tantas tentativas de recomeço,tenho a absoluta certeza, que não vale a pena.
Para amar é preciso admirar, respeitar e confiar, quando se perde o "ARC", dificilmente esse amor será restaurado, nem adianta tentar!
Tenha um excelente final de semana, abraços carinhosos
Maria Teresa