Páginas

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015



A vida pode ser mais leve. Mais lúdica. Se eu não brincasse, enlouqueceria. Não posso nem sei ser essa imagem que tanta gente congelou a respeito do que é ser adulto. Passo longe desse freezer. Quero o calor da vida. Quero o sonho e a realidade melhor que ele puder gerar. Quero alguma inocência que não seja maculada. Quero descobrir coisas que não suspeito existirem e, que para minha surpresa, têm significado para o meu coração. Adulta, quero caminhar de mãos dadas, vida afora, com a criança que me habita: curiosa, arteira, espontânea.

3 comentários:

Maria Teresa Valente disse...

Oi Maria José, também quero, viver como uma criança - brincando, sem seriedade. Acho que agora consigo. Obrigada, abraços carinhosos
Maria Teresa

Denise disse...

Cultivar a nossa criança interna nos trás uma forma diferente e mais leve de encarar a vida. Muita paz!

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga

Há quanto tempo...

Além de recolher a inspiração
deste maravilhoso espaço
de sentimentos e reatar a amizade,
aproveito a visita para convidá-la
a partilhar a alegria,
de ouvir um poema de minha autoria
musicado em Minas Gerais.

O mesmo se encontra no meu blog
www.sonhosdeumprofessor.blogspot.com.br

e para mim,
ter este poema
escutado por pessoas
que fazem do mundo virtual,
um mundo melhor,
será um tributo a felicidade