Páginas

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

A LIÇÃO DAS COISAS


Vamos ser iguais ao sol, que não possui lista de endereços para mandar os seus raios luminosos. Ele ilumina e aquece o bom e o mau, o americano, o italiano, o brasileiro.
No meu, no seu jardim ele faz com que as flores desabrochem. No meu, no teu pomar, adoça e amadurece os nossos frutos.
Ou vamos ser como a chuva, que não tem mapas, não tem limites e fronteiras para delimitar o campo a ser regado.
Vamos ser como a fonte, sempre ao alcance de qualquer um que estenda a mão ansiosa em concha, preta ou branca, velha ou jovem, pouco importa. A fonte é uma perene oferta borbulhante.
Ou vamos ser como a árvore, que não recolhe os galhos com seus frutos quando chega alguém faminto, ou seus ramos que oferta a qualquer ave que queira neles fazer um ninho, quer seja um canário de bom canto, quer seja um pardal barulhento.
Vamos ser como o mar, que acolhe no seu seio generoso grandes rios que têm nome nos mapas, e riachos anônimos, sem glória; as águas puras, transparentes das montanhas e os sórdidos esgotos das cidades.
Ou vamos ser como as estrelas, que não querem saber quem está lá embaixo antes de ornar o céu e de enfeitar a noite.
Vamos ser todos vida a fora, assim, gratuitamente, alegremente, eternamente: sol, chuva, terra, mar, árvore, estrela ou ave...
Que alguém possa dizer que foi feliz ao menos um segundo na vida porque passamos pelo seu caminho.
Fonte: Grupo Beth Norling Slides

5 comentários:

Ives disse...

Que texto maravilhoso, só pode ter vindo das estrelas! abraços

Crista disse...

Lindo texto!!!
Vai e curte bastante,mas volta,porque tu fazes falta...a gente sente que estás distante.
Beijão...

Paulo_Sotter disse...

Isso é dar sentido à vida. Ser, acima de tudo. Como sempre uma linda postagem. Abraços

Rô... disse...

oi minha amiga,

tão bom ler isso hoje,
veio de acordo com meu coração...
lindo demais!!!

beijinhos

Mariangela disse...

Nossa amiga que texto maravilhoso, me emocionou ver a gratuidade da generosidade de Deus, enquanto que muitos dos seus filhos, tão egoisticamente recolhem suas mãos para não ajudar o seu próximo!
Lindo!
Beijos,
Mariangela