Páginas

domingo, 15 de abril de 2012

QUANDO OS LÍRIOS VOLTAREM A FLORIR



Não apenas no homem, mas em todas as formas de vida, sejam elas do reino mineral, vegetal ou animal, tudo é cíclico, tudo é vivo, se refaz e se desfaz como as próprias partículas atômicas que compõem a estrutura molecular do grande universo que nos abriga, por ora.
O Espírito é uma jóia, um diamante raro, que reflete mais ou menos a luz criadora em função das escolhas que o livre-arbítrio faz durante as sucessivas possibilidades de aperfeiçoamento que o próprio universo concede.
Tal como a flor de lótus, o Espírito cresce da escuridão do lodo para a superfície da água, abrindo suas flores somente após ter-se erguido além da superfície, ficando imaculada de ambos, terra e água, que a nutriram.
Do mesmo modo, a mente expande suas verdadeiras qualidades após ter-se erguido dos fluidos turvos da paixão e da ignorância, e transforma o poder tenebroso da profundidade no puro néctar radiante da consciência iluminada.
Assim, o Espírito deve elevar-se, aprender e crescer além deste mundo e o ultrapassar, como a flor de lótus, que, apesar de suas raízes estarem na profundidade sombria deste mundo, floresce, pura, com as pétalas erguidas para a totalidade da luz.
O lótus é a síntese viva do mais profundo e do mais elevado, da escuridão e da luz, do material e do imaterial, das limitações da individualidade e da universalidade ilimitada, do formado e do sem forma.
Se o impulso para a luz não estivesse adormecido na semente profundamente escondida na escuridão da terra, o lótus não poderia se voltar em direção à luz.
Se o impulso para uma maior consciência e conhecimento não estivesse adormecido no Espírito, mesmo no estado da mais profunda ignorância, ou mesmo num estado de completa inconsciência, nunca poderia se erguer da escuridão.
O mundo continuará a se modificar; porém, as pessoas também precisarão da transformação no universo do espírito com uma conseqüente prática que lhe dê uma nova feição. Isso não significa tornar-se um super homem ou uma super mulher, mas um verdadeiro ser humano de fé e de compaixão, que desempenha, com afinco, suas atividades neste único e real momento.
O Espírito continuará sua jornada de aprendizado e de transformação para o bem; a semente da iluminação estará sempre presente no mundo, e do mesmo modo, os lírios voltarão a florir e se aperfeiçoar e poderão surgir em futuros ciclos, renascendo puros e iluminados a exemplo da flor de lótus.

8 comentários:

Santa Cruz disse...

Maria Jose. Lindo Texto os lirios todos os anos dão as suas flores, apenas temos que esperar a sua época de floração, amei.
Beijos
Santa Cruz

Paty Michele disse...

Gosto muito de vir aqui, ler os textos que vc publica. Sempre saio cheia de esperança e força para continuar cumprindo minha senda.

Um abraço.

Cidinha disse...

Olá, boa dia amiga. Belissimo Maria! Como os lírios temos uma época para florir. Grandes verdades! Que um dia possamos florir como os lírios. Obrigada pelo carinho e poder estar sempre aqui! Bjos. òtima semana.

Sandra Portugal disse...

Maria José, seus textos inspiradores e linkados com meus momentos me fizeram ousar reeditar no dia de hoje, com todos os direitos de autoria e citação a você e ao seu blog o belíssimo Borbolete-se lá no Projetando pessoas!
Agradeço a gentileza do compartilhar tanta energia positiva nos iluminando a todos!
bjs Sandra
http://projetandopessoas.blogspot.com//
PS:gostaria de convidá-la para uma entrevista no blog, se aceitar por favor me passe um email para que eu remeta as perguntas? projetandopessoas@hotmail.com

Fernando Santos (Chana) disse...

A vida sem amor é um livro sem letras, uma primavera sem flores, uma pintura sem cores.
(Yago Silva)

Cumprimentos

ValériaC disse...

Lindo texto minha querida...trabalhemos constantemente pelo elevar e florescer do nosso espírito e que assim seja, eternamente...
Beijos e feliz semana,
Valéria

marcela disse...

Oi Maria José, belíssima sua reflexão.
Parabéns
bjo

Emília Pinto e Hermínia Lopes disse...

Um verdadeiro Ser humano é isso que devemos ter em mente a cada segundo da nossa existência. A vida é uma roda viva e lá vai rodando no seu ritmo sem que se importe connosco; somos obrigados a rodar com ela e a cada rodada já nada é igual; tudo se transforma e com esse tudo nos transformamos nós; é bom que comecemos a ter a consciência de que cada mudança deve ser sempre com o intuito de nos transformarmos em pessoas com essência, pois
é essa essência que ficará eterna quando a nossa caminhada chegar ao fim. Um beijinho e excelente reflexão. Obrigada pela partilha. Uma bela semana
Um beijinho
Emília