Páginas

quarta-feira, 21 de março de 2012

CHAMA



“Há dentro de nós uma chama sagrada coberta pelas cinzas do consumismo, da busca de bens materiais, de uma vida distraída das coisas essenciais...” “É preciso remover tais cinzas e despertar a chama sagrada. E então irradiaremos. Seremos como um sol.” (Leonardo Boff)
O desafio de remover as cinzas de uma vida distraída das coisas essenciais, de modo a despertar a chama sagrada. Nesta efêmera existência terrena, o que vem a ser essencial, e o que vem a ser mera distração?
O sol da manhã que irrompe no quarto e nos convida para mais um dia. Que segredos terá para nos contar?
O que representam as 24 horas de um dia? O que significam os 80 anos de uma vida?
A frágil consistência dos sonhos que sonhamos; e no entanto quão pobre seria a vida não fossem os sonhos sonhados...
Diante do tempo cósmico, o tempo de nossa permanência neste mundo físico se assemelha a uma ligeira brisa que tão prontamente passa.
E no entanto este breve instante se mostra suficiente para empreendermos coisas eternas.
Todo velho ancião um dia foi uma criança pequenina. E toda criança pequenina pode ser que venha a chegar até a idade mais avançada.
As notícias dos jornais, e os sonhos dos corações. De todos os mistérios que nos envolvem, encantam e espantam, talvez o mais instigante seja o mistério da duração da vida terrena.
Enquanto uns não chegam aos 40, outros passam dos 80 anos de idade.
Ninguém há que saiba quanto tempo de vida ainda tem pela frente, quantas velas de aniversário ainda haverá de assoprar.
Não nos compete escolher a duração, mas quanto à profundidade do nosso existir, encontra-se em nossas mãos sua escolha.
Esta existência terrena é a infância da eternidade. Um tempo de crescimento, aprendizado e cuidado.
Cativar a via do silêncio dentro de nós, cultivar a dimensão amorosa do coração. Recordar que o tempo representa uma inestimável oportunidade de despertar.
As 24 horas de um novo dia, que lições terão para nos ensinar?
Existe o tempo afobado do mundo; e existe o tempo sem pressa dos poetas.
“A eternidade é um relógio sem ponteiros”, já o dizia nosso querido poeta, Quintana.
De certa forma estamos todos imersos na eternidade, desde o aqui e o agora.
Existe o tempo do mundo, e existe o tempo da alma.
O tempo dos relógios com ponteiros, e o tempo que relógios e ponteiros dispensa.
Cada novo dia pode ser um novo começo, a senda que conduz a uma nova vida.
“Que cada manhã seja melhor do que sua véspera, e cada novo dia mais rico do que o dia anterior.” (Bahá’u’lláh)

9 comentários:

*Verinha* disse...

Simplesmente fantástico esse texto Maria José!!.. É muito bom estar aqui presente em seu cantinho.. certeza sempre de momentos agradáveis!

Um grande beijo em seu coração..
Verinha

Ives disse...

A chama chama pela essência, em busca dos tempos perdidos, em efêmeras passagens aprendendo, a ser realmente grande! abraços

ValeriaC disse...

Que preciosas palavras neste texto minha querida.
Saber valorizar o tempo que temos aqui, buscarmos o evoluir, o crescimento interior, se faz necessário, porque cada instante deste tempo terreno nos oferece oportunidades de recomeços, de acertos de despertar. Busquemos manter acesas esta chama interior, tenhamos sabedoria de buscar o essência, ao invés do que nada nos acrescente.
Beijos,
Valéria

Cris Tarcia disse...

Que texto maravilhoso, o tempo de nossa permanencia neste mundo assemelha a uma brisa, lindo!

Beijos

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga.

Cada dia,
um novo capital
de amor nos é entregue.
Muitos não percebem,
e se perdem
na vida que busca
nas coisas sem vida,
a essência da esperança.


Desejo que a alegria
faça folia em sua vida.

Cidinha disse...

Olá, Maria. Maravilhoso texto e reflexção! Obrigada por nos proporcionar essas maravilhas. Bjo no seu coração!

NEUSINHA BROTTO disse...

Oi amiga!!!

Tem selinho pra vc lá no mundodaneusinha!

http://mundodaneusinhabrotto.blogspot.com.br/p/selinhos-para-voce.html

Espero que goste!!

Beijoos

Rita disse...

Gostei muito do texto,mas o final é
maravilhoso.

“Que cada manhã seja melhor do que sua véspera, e cada novo dia mais rico do que o dia anterior.” (Bahá’u’lláh)

Bjuss de boa tarde!

Rô... disse...

oi minha amiga,

e assim deve ser a nossa esperança
de vida,
o novo amanhecer,melhor,
muito melhor que o anterior,
aproveitar cada minutinho...

beijinhos