Páginas

segunda-feira, 16 de maio de 2011

UMA LENDA CHINESA



Era uma vez uma jovem chamada Lin, que se casou e foi viver com o marido na casa da sogra. Depois de algum tempo, começou a ver que não se adaptava à sogra. Os temperamentos eram muito diferentes e Lin se irritava com os hábitos e costumes da sogra, que criticava cada vez mais com insistência.
Com o passar dos meses, as coisas foram piorando, a ponto de a vida se tornar insuportável. No entanto, segundo as tradições antigas da China, a nora tem que estar sempre a serviço da sogra e obedecer-lhe em tudo.
Mas Lin, não suportando por mais tempo a idéia de viver com a sogra, tomou a decisão de ir consultar um Mestre, velho amigo do seu pai.
Depois de ouvir a jovem, o Mestre Huang pegou num ramalhete de ervas medicinais e disse-lhe: Para te livrares da tua sogra, não as deves usar de uma só vez, pois isso poderia causar suspeitas. Vais misturá-las com a comida, pouco a pouco, dia após dia, e assim ela vai-se envenenando lentamente.
Mas, para teres a certeza de que, quando ela morrer, ninguém suspeitará de ti, deverás ter muito cuidado em tratá-la sempre com muita amizade. Não discutas e ajuda-a a resolver os seus problemas.
Lin respondeu: Obrigado, Mestre Huang, farei tudo o que me recomenda. Lin ficou muito contente e voltou entusiasmada com o projeto de assassinar a sogra.
Durante várias semanas Lin serviu, dia sim, dia não, uma refeição preparada especialmente para a sogra. E tinha sempre presente a recomendação de Mestre Huang para evitar suspeitas: controlava o temperamento, obedecia à sogra em tudo e tratava-a como se fosse a sua própria mãe.
Passados seis meses, toda a família estava mudada. Lin controlava bem o seu temperamento e quase nunca se aborrecia. Durantes estes meses, não teve uma única discussão com a sogra, que também se mostrava muito mais amável e mais fácil de tratar com ela.
As atitudes da sogra também mudaram e ambas passaram a tratar-se como mãe e filha. Certo dia, Lin foi procurar o Mestre Huang, para lhe pedir ajuda e disse-lhe: Mestre, por favor, ajude-me a evitar que o veneno venha a matar a minha sogra. É que ela transformou-se numa mulher agradável e gosto dela como se fosse a minha mãe. Não quero que ela morra por causa do veneno que lhe dou.
Mestre Huang sorriu e abanou a cabeça: Lin, não te preocupes. A tua sogra não mudou. Quem mudou foste tu. As ervas que te dei são vitaminas para melhorar a saúde. O veneno estava nas tuas atitudes, mas foi sendo substituído pelo amor e carinho que lhe começaste a dedicar.
Na China, há um provérbio que diz: A pessoa que ama os outros também será amada. E os árabes têm outro provérbio: O nosso inimigo não é aquele que nos odeia, mas aquele que nós odiamos.
As pessoas que mais nos dão dor de cabeça hoje poderão vir a ser as que mais nos darão alegrias no futuro. Invista elas, cative-as, ouça-as, cruze seu mundo com o mundo delas. Plante sementes. Não espere o resultado imediato. Colha com paciência.
Esse é o único investimento que jamais se perde. Se as pessoas não ganharem, você, pelo menos, ganhará: Paz interior, experiência e consciência de que fez o melhor.
Texto enviado por Roy Lacerda do blog MomentoBrasil e foi aqui postado por ser pertinente à proposta do Arca.

15 comentários:

* Verinha * disse...

Uma belíssima lição nos apresenta esta lenda Maria José!.. Com certeza, muitas vezes somos nós que temos que mudar nossas atitudes.

Beijocas super em seu coração..
Verinha

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Maria José
Sábia lenda, de grande ensinamento para todos nós. O ódio que as vezes carregados, só prejudica a nós mesmos, só recebe amor, quem dá amor.
Bjux

Maria Adeladia disse...

Querida amiga, esta lenda chinesa é muito linda! Situações vividas pela jovem Lin, é um exemplo de vida.

Realmente, o importante é fazermos o bem, plantarmos sementes saudáveis e produtivas, porque amanhã, teremos dádivas!

Com obras benígnas, só receberemos de volta a benigdade.

Tenha uma ótima noite, Maria José.
Beijos.

Meire disse...

UAU!!!!! Linda história. Realmente basta mudarmos com as pessoas, para que elas mudem conosco tbm. Adorei mesmo! um bjo grande pra ti com carinho ;)

diariodumapsi disse...

Uma bela reflexão e de lição de vida! Amor com amor se paga.
Gdbeijo

cidinha disse...

Olá amiga Maria!bela mensagem.muitas vezes, o problema está em nós mesmo. é uma grande verdade e nos ensina a reflexção, para que possamos viver melhor.bjs....

MARILENE disse...

Sempre gostei muito desse texto. É um grande alerta. As pessoas acabam refletindo nossos atos e sentimentos. Por isso, não devemos esperar, mas começar as mudanças.

Bjs.

Graça Pereira disse...

Já conhecia esta lenda e acho-a maravilhosa como lição de vida. Quando damos nós o primeiro passo, para mudar, tb os outros á nossa volta o farão. Amor, chama Amor!
Um beijo e boa semana.
Graça

falando.com (quem quiser ouvir) disse...

Olá Maria José,

Como seria bom se houvessem mais Mestres como os da lenda, capazes de fazer aflorar o que há de melhor em cada um nós através de sua sabedoria!
Mas é muito bom termos um blog como a Arca para nos trazer estes ensinamentos!

Abraços e boa semana,

Fernando C. Salgado.

Simplesmente Ana disse...

Sabedoria Chinesa, tolerância.
bjs

mariaclaudete disse...

Tolerância e paciência acima de tudo. Isso torna nosso dia-a-dia melhor. Adorei a mensagem. Espero que você esteja bem. Um abraço.

JOSÉ ROBERTO BALESTRA disse...

Fábula maravilhosa! De fato, pela via transversa a gente consegue mesmo se reeducar. Adorei. abs

ValériaC disse...

Esta lenda é fantástica...impressionante como na verdade tudo é reflexo de nós mesmos...tudo o que emanamos, recebemos...e quando mudamos, tudo muda.
Beijinhos...
Valéria

manuel marques disse...

Lenda muito bonita e elucidativa de vida.

Beijo.

Tempestade disse...

As coisas não mudam, o que muda é o jeito que olhamos pra elas...

um lindo texto

Nina

www.devaneios-fragmentos.blogspot.com