Páginas

segunda-feira, 25 de outubro de 2010


Dizem que em certa ocasião, uma mulher que levava uma criança nos braços, propôs a Gibran:
“Mestre, falemos dos filhos”.
E ele respondeu:
Seus filhos não são seus filhos. São os filhos e as filhas dos desejos que a vida tem de si mesma
Vêm através de vocês, mas não são de vocês e, ainda que vivam com vocês, não lhes pertencem.
Podem dar-lhes seu amor, mas não seus pensamentos, pois eles têm seus próprios pensamentos.
Podem abrigar seus corpos, mas não suas almas, porque suas almas moram na casa do amanhã, que nem mesmo em sonhos lhes será permitido visitar.
Podem empenhar-se para ser como eles, mas não tentem fazer como vocês fizeram, porque a vida não anda para trás, nem se detém no ontem.
Vocês são o arco por meio do qual seus filhos são disparados como flechas vivas.
O arqueiro vê o alvo sobre o caminho do infinito e dobra o arco com toda a força, a fim de que suas flechas partam velozes e para muito longe.
Que o fato de estarem nas mãos do arqueiro seja para suas felicidades, porque, assim como ele ama a flecha que dispara, ama também o arco que permanece firme.
Por isto vocês tiveram a liberdade de amar e a oportunidade de viver e fazerem suas vidas.
Deixem que seus filhos voem sós de seus ninhos quando chegar a hora e não lhes reclamem para que voltem.
Eles os quererão para sempre e terão também seus lares, nos quais, algum dia, ficarão sós, porém terão sido seus lares e suas vidas.
Deixem-nos livres.
Amem-nos com liberdade, não apaguem o fogo de suas vidas.
Vivam e deixem viver, assim eles os quererão sempre.

Enviado por Roy Lacerda do blog MomentoBrasil (
http://momentobrasilcom.blogspot.com/)

10 comentários:

diariodumapsi disse...

Ei Maria José!
Kalil Gibran está certíssimo! Mas diga isso para uma mãe com um bebê nos braços!
Boa semana
Gdbeijo

Carlos Varoli disse...

Oi amiga Maria José, que ótima matéria. Tempo chegará em que, além de amar, proteger e instruir, trataremos nossos filhos como irmãos, filhos de Deus.
Tenha uma bela semana, querida.
Beijos,
Carlos

TECA disse...

Ola Maria José
Texto bonito e difícil,pois é muito complexo para uma mãe desprender-se de seus filhos.
Olha querida,ofereço a você dois selinhos que estão em meu blog ,e uma indicação.
Está no Blog da Teca.
Beijos
Teca

MOMENTOBRASILCOM.blogspot.com disse...

MARIA JOSÉ: Apenas para complementar a postagem acima: o texto faz parte do livro 'O PROFETA'. BJS. Roy Lacerda.

Alma Aprendiz disse...

Realmente,os filhos não são nosso,criamos,amamos,cuidamos e educamos para o MUNDO!
Mas temos que ama-los!
Mostrar o caminho,fazer com muito amor a nossa parte.
E que sejam felizes!
Beijos

José Gonçalves disse...

Olá Maria José Rezende,

Belíssima ilustração do que são os relacionamentos Pais vs Filhos.

Só me resta concluir com uma citação também muito interessante.

"Depois da flecha largada do arco, jamais voltará ao mesmo, só o alvo será alcançado!"

Um abraço e até sempre,

José Gonçalves
(Guimarães)

Alma Inquieta disse...

Olá Maria José,

que lindo!
É verdade, nós apenas geramos os filhos... depois crescem e deixam de ser nossos... como me dói dizer isto!...:=)

Um beijo e que tenhas uma excelente semana.

Bloguinho da Zizi disse...

O apego de uma mãe por um filho só outra mãe pode entender.
É parte sua que se vai. O ar nos falta, o coração dispara, o medo toma conta. Nossos olhos buscam...mas onde?
No mesmo lugar onde fomos um dia, enquanto nossas mães em seus apegos nos buscavam.
Beijinho Maria José

Jussara Christina disse...

Olá! Estava navegando na blogosfera e me deparei com o blog.
Adorei! Adoro fazer novas amizades.
Já estou te seguindo...
Se puder visita meu blog.
Abraço!

*´¨)
¸.•´¸.•*´¨) ¸.•*¨)
(¸.•´ (¸.•` * ♥* Jussara Christina * ♥* ♥ * ♥ *

" ESSÊNCIA ESTELAR MAYA " disse...

Linda mensagem.
Sempre acreditei nestas palavras.
Não devemos nos apegar tanto em nossos filhos. Devemos sim: auxiliá-los para o crescimento interno e amadurecimento de suas atitudes perante a vida.
Eu particularmente tenho esta relação com meus filhos(8,10 e 12 anos) , os oriento sobre os acontecimentos do dia a dia, sempre passando a realidade dos fatos.
Sobre o meu ponto de vista e das Leis do Universo, procuro mostrar o que é positivo e negativo e suas conseqüências, mas, deixo sempre bem claro que na vida adulta eles é que irão tomar as decisões de acordo com suas consciências. E que na vida tudo tem um preço.
Temos uma relação que conversamos muito e o que procuro mesmo é sempre enfatizar a realidade Espiritual.
Sinto que estou no caminho certo e tenho minha alma tranqüila e ciente de que estou fazendo minha parte, e acredito que eles serão no futuro pessoas maravilhosas, que sempre respeitarão todos.
Gostei muito da sua mensagem.
Beijão enorme em seu coração querida!
Lú.