Páginas

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

MÃES MORREM UM POUCO QUANDO PERDEM OS FILHOS


Pela vida vamos nos distanciando de pessoas que amamos. Trocamos de casa, de cidade e até de país. Os interesses que tínhamos em comum com os amigos da infância e juventude mudam, deixamos de compartilhá-los e seguimos por rumos diferentes. E, é claro, as pessoas morrem: pais, avós, amigos...
Algumas separações são naturais e dependem apenas dos caminhos que a vida toma. Há as esperadas, por mais que sejam dolorosas. Outras, porém, parecem não seguir qualquer lógica, como a morte de um filho.
Ao pensar em gerar uma criança a última coisa que se considera é que ela morrerá antes dos pais. Como se a lei natural fosse os pais partirem antes dos filhos. A criança é imaginada como algo próximo da perfeição: bela, saudável, inteligente, alegre e vivendo muitos e muitos anos. São praticamente imortais. Desejamos tudo de bom para os nossos descendentes que, de certa forma, vão garantir que continuemos nossa existência através deles. Afinal, são nossos frutos.
Só que a vida não é uma linha reta e previsível. E muito menos segue o trajeto dos nossos desejos. Tudo o que criamos em nossa mente sobre um filho nem sempre corresponde à realidade.
Às vezes, ele nem consegue ser gerado. Antes mesmo que tenha alguma forma ou possa ser sentido pela mãe em seu ventre, ele é expelido. Outros chegam a nascer mortos ou sobrevivem pouco tempo por algum problema de saúde. E que dor sentem essas mães. Já são seus filhos, mesmo que não tenham um rosto ainda.
Alguns nascem portadores de alguma síndrome. São crianças que não terão o mesmo curso de desenvolvimento da maioria.
Apesar de serem muito amadas, até por precisarem mais ainda de seus pais, quando chegaram ao mundo não correspondiam às idealizações deles – não eram o filho esperado.
Muitos outros, porém, nascem bem e se desenvolvem com saúde e alegria. Dão trabalho e dissabores como todos os filhos. Mas estão lá, trilhando o caminho da vida, até que algo de inesperado acontece e tudo muda. Seja por uma doença, overdose, acidente de carro, bala perdida, atropelamento ou tantas outras coisas que fazem com que aquele ser tão amado e desejado deixe de existir.
Vazio.
Se a morte de alguém querido causa uma dor profunda, no caso de um filho, só alguém que passou poderá dizer. Não dá para conceber tal idéia, principalmente para as mães que um dia foram uma unidade com seus pequenos – eram um só. Época em que a existência deles dependia exclusivamente delas. Sentimento que prossegue pela vida e que, em momentos como esses, algumas chegam a se perguntar o que fizeram de errado ou o que deixaram de fazer para que isso acontecesse.
Por mais que se diga a elas que não fizeram nada, ainda assim, de alguma forma, sentem-se responsáveis. E vazias. Vazias de um pedaço de si, de sua continuidade, de seu fruto, de seu grande amor. As mães morrem um pouco com eles. Não existe consolo. Só o tempo poderá ajudar, tendo a certeza de que essa era a história do filho querido.
Para os que as acompanham, como é difícil encará-las, pois ao fazerem isso, têm que encarar também seus temores diante da morte e da perda. E o que dizer a elas? Nada. Que ninguém ouse dizer que sabe o que elas estão sentindo. Ninguém sabe, só quem passou pela mesma dor. Que para cada um é única. Se for possível acolhê-las e ouvi-las, não é preciso mais nada.
Pessoa alguma deveria passar pelo que as mães e os pais que perderam seus filhos passam. Mas, como disse, a vida não é reta. Não temos poder sobre seus caminhos.

Enviado por Rosani Gomes do blog Fragmentos de Uma Alma Perfumada (
http://rosani22.blogspot.com/)
Fonte:
http://g1.globo.com/vestibular-e-educacao/noticia/2010/07/opiniao-maes-morrem-um-pouco-quando-perdem-os-filhos.htm

E por que estou postando esse texto sobre perda de filhos exatamente no dia do meu aniversário? Eu, que passei por essa experiência há 4 anos atrás? É para mostrar que apesar da dor, apesar do vazio, apesar da lágrima que insiste em rolar pela face, apesar do choro silencioso no canto, é possível continuar. Chega-se a ser possível ser feliz, talvez não da mesma forma ou com a mesma intensidade de antes, mas de um jeito diferente, com o fortalecimento da fé e a crença na vida após vida. É... a gente aposta na FÉ. Não estou sozinha, por mais que doa a solidão de sua partida. Sei que é por pouco tempo. Quem amou aqui, se reencontra no infinito. Marcela, você foi o meu mais lindo e perfeito presente do céu.

12 comentários:

Bloguinho da Zizi disse...

Querida Maria José
Você fala e tudo cala no fundo da nossa alma.
Receba o meu carinho, o meu afeto, o meu abraço bem apertado.
Neste dia, desejo que tua Fé seja inabalável até o momento do reencontro com o teu maior presente.
Zizi

" ESSÊNCIA ESTELAR MAYA " disse...

Olá Maria José, em tão pouco tempo que a conheço, já havia percebido a pessoa especial que és. Somente pessoas Espiritualizadas conseguem transmitir de uma forma tão consciente o seu sentimento. Acredito que no início não foi fácil, mas você soube direcionar suas Energias para propósitos maiores.
Desejo muita Luz e muita Força.
Um grande abraço!
Lú.

Antonio Carlos disse...

Querida irmã e amiga Maria José!
O texto é significativo, mas mais importante foi o seu testemunho de que apesar da dor e da saudade é possível continuar vivendo e se preparando para novas lutas e conquistas.
É por essas e outras razões que a considero uma amiga muito especial e se eu, que sou tão pequeno a considero assim, que podemos dizer do criador de todos e de todas as coisas, o Senhor nosso Deus? Para Ele você é ainda mais importante, porque Ele a conhece na intimidade do ser, não apenas quando você O busca, mas em todas as horas.
Que Ele, a expressão máxima do amor, continue te abençoando grandemente.
Novamente, Feliz aniversário.
Sempre juntos em Jesus.
Antonio Carlos, aprendiz de servo.

Vitor disse...

Que bem que se escreve por aqui...com sentimento!
Parabéns

P.S.-Do "outro lado" uma história similar

Bj*

ValériaC disse...

Maria Jose minha flor...te deixei uma mensagem de parabéns no post anterior...mas posso acrescentar que a admiro muito pela força, pela fé, pelo amor imenso que voce carrega dentro de si...amor tão grande que te sustenta em pé...vivendo a cada dia dando o seu melhor para todos nós, seus amigos...obrigada por existir amiga...Feliz aniversário!!!
Um abraço com todo meu carinho e beijos...
Valéria

Pelos caminhos da vida. disse...

Um Feliz Aniversário amiga.

Te admiro, tu és um exemplo de mulher forte.

beijooo.

Cláudia disse...

Maria José, conheci seu blog a menos de um mês, mas já pude sentir que você é uma pessoa especial e tem um espírito muito avançado. Parabéns pelo aniversário e que Jesus continue abençoando sempre a sua vida. Muita força, coragem e sobretudo fé para seguir em frente, nos encantando cada vez mais com esse blog maravilhoso.
Abraços

Celina disse...

Querida Maria José, lí o poste e tambem o seu comentário, e a pura realidade a dor da perda de um filho jamais será esquecida, mais com o tempo dá para voltar a viver só a a juda de Deus explicará o milagre. parabens querida pelo aniversário,um abraço carinhoso Celina.

alegria de viver disse...

Querida amiga FELIZ ANIVERSÁRIO

Este é o mais belo post, me refiro a sua declaração. Coloca sua alma em todas as letras, e mostra toda sua dor sem efeitos, na mais linda mensagem a todas as mães.

Que a vida seja leve e a caminhada um lindo jardim.

Com muito carinho BJS.

Cantinho She disse...

Minha querida Maria José vc me emociona tanto sempre que leio sobre a sua linda filha, eu acho impossível definir essa dor, por isso esse texto está belíssimo, perdi o meu neném ainda no ventre por conta da má formação, sem cérebro, que já falei algumas vezes, e foi tão difícil... fico imaginando o quanto impossível não seja perder um filho que nasceu, cresceu e estava construindo... coisas da vida que não entendemos, mas que tem um fundamento, deve ter... sei lá...
Pelo o que eu entendi hoje é o seu aniversário, então te desejo felicidades em sua vida, apesar disso tudo, te desejo alegrias, conquistas, amor, amizade, saúde... tudo de bom, minha querida, receba aí o meu beijo, beijo e um abraço apertado.
She

Gislene disse...

Maria José,
Sinta-se abraçada por mim!
Um grande beijo no teu coração,
Fique com Deus.

ⓣⓔⓡⓔⓢⓐ ⓒⓡⓘⓢⓣⓘⓝⓐ disse...

Parabéns!!
Só hj tive acesso a net bem rápido, mas é sempre tempo de desejar felicidades, a uma pessoa especial como vc!!
Que Deus te ilumine e q assim vc possa continuar compartilhando desta pessoa maravilhosa com tds nós.
Bjss no ♥