Páginas

quinta-feira, 8 de abril de 2010

NOS DIAS DIFÍCEIS


Quem é que, vivendo sobre a face da terra, pode dizer que jamais passou por um dia difícil?
Desde que estejamos gozando de perfeita lucidez, não poderemos negar que já superamos, não um só, mas muitos dias de dificuldades.
Portanto, nos dias amargos que se apresentam, lembremo-nos dos outros dias assim que já se foram.
Depois de superadas as lutas, que supúnhamos insuperáveis, não sabemos explicar a nós mesmos de que modo vencemos e de que fonte retiramos as forças necessárias para nos sustentar, durante e depois das dificuldades sofridas.
Vimos a doença no ente amado assumir gravidade estranha e, sem que lográssemos penetrar o fenômeno em todos os detalhes, surgiram a medicação e a providência ideais que o livraram da morte.
Experimentamos a visita do desânimo, à frente dos obstáculos que se agravaram à nossa frente, mas, sem que nos déssemos conta do amparo recebido, deixamos o desalento das trevas e regressamos à luz da esperança.

Crises do sentimento que pareciam invencíveis, pelo teor de angústia com que nos alcançaram a alma, desapareceram como por encanto sem que conseguíssemos definir a intervenção libertadora que nos restituiu à tranqüilidade.
Sofremos a ausência de seres imensamente queridos, chamados pela desencarnação para tarefas inadiáveis em outras faixas da experiência; no entanto, sem que despendêssemos qualquer esforço, outras almas abençoadas apareceram, nutrindo-nos o coração com edificante apoio afetivo.
Tudo isso, entretanto, aconteceu porque persistimos na fé aguardando e confiando, trabalhando e servindo, sem nos entregarmos à deserção ou à derrota, ofertando ensejo à bondade de Deus para agir em nosso benefício.
Nas dificuldades em andamento, consideremos aquelas já vividas e superadas, e compreenderemos que Deus, cujo infinito amor nos sustentou ontem, nos sustentará também hoje.
Para isso, porém, é imperioso permanecermos fiéis ao cumprimento de nossas obrigações com paciência, já que a paciência é dom de esperar por Deus, cooperando com Deus, sem atrapalhar.
Um dia, quando você puder vislumbrar, do alto, todos os caminhos percorridos durante a existência, perceberá que a maior parte do percurso estará marcada por dois pares de pegadas: as suas e as do Cristo, que caminha sempre ao seu lado, sustentando-lhes as forças.
E nos dias difíceis, naqueles em que as dores se fizeram mais cruéis, você notará apenas um par de pegadas e se perguntará: será que nos momentos difíceis Jesus me abandonou?
E Ele, o amigo fiel de todas as horas, certamente responderá: “não, meu filho, eu jamais o abandonei”.
“Se é verdade que nos dias mais ásperos da sua existência só há um par de pegadas no caminho, é porque naqueles momentos eu o carreguei nos braços...”

16 comentários:

Jorge disse...

Maria José

Paulo de Tarso nos trouxe o tríplice face da virtude que é a Fé, o Amor e a Esperança.
Da incipiente Fé surge a força do Amor que faz surgir a Esperança, esse sentimento que nos empurra para seguirmos a nossa caminhada, mesmo que às vezes, dolorosa.

Meu doce Anjo, um beijo,, com todo carinho,
Jorge

Glória Müller disse...

Umm alento muito consistente e relevante. ELE, é a força principal! Nos impulsiona, nos faz seguir adiante.
Beijos e boa noite.
Glória

cantinho she disse...

Muito bom!
Bjs!

*Teresa Cristina* disse...

Lindo...e se olharmos atentamente Ele praticamente nos segurou no colo na maior parte do tempo.
Bjss

Sônia Silvino disse...

Eu diria até que a maioria dos dias é difícil: num sentido ou noutro!
Bjkas, lindona!

João disse...

É no sofrimento suportado com paciência que o ser humano cresce. Na tribulação nossas raizes ficam mais profundas.

*Adriana disse...

Que linda mensagem, Maria José!

abçs
Adriana

Elaine disse...

Bom dia, obrigada por virar minha seguidora, amei seu Blog!!
Um excelente final de semana! Beijo!

Wilson Wilasan disse...

Olá Zezé,
cada vez que arrumo "un cadin" de tempo para navegar pela NET fico supreso com os mais diversos assuntos que me são ofertados... Parabéns pelo texto... pela mensagem.
Ótimo fim de semana!

GENINHA disse...

Um grande abraço para você, minha amiga brasileira.
Bem haja!

bom fim de semana

sua amiga portuguesa

b disse...

Que bonito, isso de regressarmos à luz da esperança.
Talvez porque reconheçamos nossa casa não é? E cada um sabe o endereço pessoal - o da própria esperança.
Obrigada por eu ter lido isso.

manuel marques disse...

Mais um lindo texto.

Beijo e bom fds.

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

superhomem só nas revistas em quadrinhos, mesmo assim há a Klipitonita...sempre pronta para mostrar ao superhomem que ele tem seu lado Klarc Kent( sic)

ONG ALERTA disse...

Sabemos muito bem...momentos difíceis de uma vida, aprendizado para um dia melhor, com muita sabedoria, paz.
Grande beijo Lisette.

Pelos caminhos da vida. disse...

A amizade é como um navio no horizonte.
Nós o vemos, cortando contra o céu,
e em seguida ele avança,
desaparece de vista,
mas isto não significa que não continuará.
Essa amizade é linear.
Ela se move em todas as direções,
nos ensinando sobre nós mesmos
e sobre cada um de nós.
É por isso que no transcurso de fortes amizades,
estaremos presentes um para o outro,
mesmo que, nem sempre,
estejamos visíveis.

( Shirley Maclane ).

Obrigada pela sua.

Fim de semana de luz.

beijooo.

Mari disse...

Maria José,
Que delícia este texto, cai como um bálsamo em minha alma...depois de ter atravessado nestes últimos dias, dias bem difíceis.
Bom domingo
Beijos