Páginas

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

A FÁBULA DO PORCO-ESPINHO


Durante a era glacial, muitos animais morriam por causa do frio.
Os porcos-espinhos, percebendo a situação, resolveram se juntar em grupos, assim se agasalhavam e se protegiam mutuamente, mas os espinhos de cada um feriam os companheiros mais próximos, justamente os que ofereciam mais calor.
Por isso decidiram se afastar uns dos outros e voltaram a morrer congelados. Então precisavam fazer uma escolha: ou desapareceriam da Terra ou aceitavam os espinhos dos companheiros.
Com sabedoria, decidiram voltar a ficar juntos.
Aprenderam assim a conviver com as pequenas feridas que a relação com uma pessoa muito próxima podia causar, já que o mais importante era o calor do outro.
E assim sobreviveram.

Moral da História
O melhor do relacionamento não é aquele que une pessoas perfeitas, mas aquele onde cada um aprende a conviver com os defeitos do outro e admirar suas qualidades.

22 comentários:

Maria de Fátima disse...

Olá Maria José, linda fábula.Todas as histórias têm a sua moral ou seja uma lição de vida a ser aprendida.Beijocas.

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga.

Uma pequena fábula alimentada por uma linda e profunda mensagem.
Bastava entendê-la para que a paz brotasse dos corações de modo pleno.

Fica com os sonhos sempre.

Elayne disse...

Amiga,
Primeiramente quero dizer que estou com muitas saudades. Óh a neve!
A fábula é linda mas o bebê espinhudinho é simplesmente um fofo, adorei!
Beijos

Graça Pereira disse...

Adorei esta história e a lição que se tira dela. Ninguém é perfeito e é preferível juntar as imperfeições e ganhar força na união.
Um bijo grande
Graça

Kelly disse...

Amo essa fábula, pura e verdadeira, exemplo simples do que é a realidade da nossa vida diária. beijos

[ rod ] ® disse...

A adaptabilidade é chave de tudo. Nos dias de hoje não a pecadores nem santos em sua definição. Conviver requer adaptabilidade! Bjs moça.

angela disse...

Maria José
Adorei a fábula, lindinha.
beijos

Sandokan disse...

Às vezes é preciso abanar a árvore da existência para caírem as folhas velhas. Talvez seja por isso que eu não quero saber quem pintou o céu de azul, mas eu quero é o resto da tinta, porque nós podemos matar o tempo, mas é sempre ele que nos enterra.
Gostei muito de vir aqui visitar o teu belo espaço. No carácter, na conduta, no estilo, em todas as coisas, a simplicidade é a suprema virtude. O destino une e separa pessoas. Mas nenhuma força é tão grande para fazer esquecer pessoas, que por algum motivo um dia nos fizeram feliz!
Nunca desistas dos teus sonhos… e nunca os deixes para trás. Encontra-os, torna-os próprios e durante toda a tua vida tem muito carinho por eles e nunca os deixes partir. Necessitas de muita dedicação para realizares os teus sonhos, porque eles não se realizam por magia dado que a magia é pura ilusão – o alimento dos perdedores - que nunca te vai tirar do lugar onde te encontras.
BOA SEMANA!

*Teresa Cristina* disse...

Já conhecia esta historinha...conheci na abertura de um trabalho assistencial do grupo onde trabalho, mas infelizmente as pessoas ouvem, e não escutam direito, não absorvem a mensagem na sua totalidade, são melindrosas.
Mas nd que o tempo e a maturidade não ensine.
Td de bom pra ti
bjss

Sônia Silvino disse...

Respeitar a diversidade é muito importante, mas é tão difícil para algumas pessoas, infelizmente!
Bjks, minha linda!

Angélica Lins disse...

Foto graciosa e uma fábula que nos faz pensar.
Muito bom!

Abraços...

Jorge disse...

Maria José, Anjo de luz!

Estou de volta, depois de um bom tempo longe (PC com problemas).
Um belo exemplo este conto sobre a aceitação das pessoas como elas são.

Minha doce amiga, deixo um beijo de saudade em teu coração,
Jorge

Bloguinho da Zizi disse...

Imagine só todos os seres deste planeta vivenciando o que a historia propõe.
Que benção.
Enquanto isso, vamos fazendo nossa parte.
Gratidão menina

JFS disse...

A inteligência do porco espinho é 100%, o homem através da sua mente dificilmente conseguia o que o porco espinho conseguiu na fábula, infelizmente. Pessimista? Não, realista! Maria José, gostei.

Cleiton Heredia disse...

Por que o porco-espinho não foi se aquecer com a tartaruga?

Ju Fuzetto disse...

Oi flor!!

Que fábula maravilhosa!


Adorei o blog!!!!

Parabéns!!

beijão

Crista disse...

Sem comentários...adorei!!!!
Verdade verdadeira!

RENATA PIRES disse...

Que coisa mais linda!!!!

Anônimo disse...

Oi Maria José adorei a sua postagem!!!!Bjs.Zen.

Carmem L Vilanova disse...

Linda Maria Jose,
Essa eu ja' conhecia ha' tempos, mas e' sempre bom relembrar, afinal de contas, faz-nos recordar da importancia do respeito pelas diferencas e afeto por aqueles que nao sao (porque jamais poderiam ser) iguais a nos!
Lindo, amiga! Muito lindo!
Beijos, flores e muitos sorrisos!

Fernando Christófaro Salgado disse...

Olá Maria José,

Infelizmente hoje vivemos em uma época onde muitas pessoas pautam seus relacionamentos nas aparências e na infidelidade.
Fica pra trás o sentimento verdadeiro do amor.
Conviver com outra pessoa requer o reconhecimento de que ela é diferente e por mais perfeita que pareça ser ela também possui seus defeitos. Suportar as divergências e os conflitos, pesando na balança todas as qualidades que a pessoa tem é o que determina a duração e a firmeza de um relacionamento.

Grande abraço,

Fernando C. Salgado.

cantinho she disse...

Ahhhh que graça de fábula! Adorei! :-)
Bjooo