Páginas

domingo, 27 de setembro de 2009

COMO O PERFUME QUE AS FLORES EXALAM


Quem de vocês não percebe que seu poder de amar não tem limites?
Se nosso Deus conferiu à terra a arte de ser ninho para a semente, aparentemente morta, porque não deveria conferir ao coração do ser humano o poder de incutir a vida num outro coração aparentemente morto?
Não é também o tempo, assim como o amor, indivisível e infinito?
O que quer que a alma deseje ardentemente, o espírito conseguirá.
Sua verdade encontrará a minha no mundo que virá: eis que se fundirão uma à outra, como o perfume que as flores exalam, tornando-se uma só que em si tudo abarca, imortal na imortalidade de amor e de beleza.
O infinito conserva apenas o amor, porque apenas o amor é sua imagem.

2 comentários:

netuno artes disse...

Deveria ser assim não ? todos se amarem, e manter uma vibração saudável neste plateta, mas infelizmente penso que ainda não sabemos o grande significado desta palavra / deste sentimento.
bjs netunianos

ps>; estás sumida !

Maria José disse...

Netuno. Ainda não sabemos, mas acredito que o Planeta esteja se encaminhando para uma nova postura, ligada ao bem e ao amor. Beijos.