Páginas

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

VOCÊ SABE AMAR?


Eu estou aprendendo.
Estou aprendendo a aceitar as pessoas, mesmo quando elas me desapontam.
Quando fogem do ideal que tenho para elas, quando me ferem com palavras ásperas.
É difícil aceitar as pessoas assim como elas são, não como eu desejo que elas sejam.
É difícil, muito difícil, mas estou aprendendo.
Estou aprendendo a amar. Estou aprendendo a escutar, escutar com os olhos e ouvidos, escutar com a alma e com todos os sentidos.
Escutar o que diz o coração, o que dizem os ombros caídos, os olhos, as mãos irrequietas.
Escutar a mensagem que se esconde por entre as palavras corriqueiras, superficiais.
Descobrir a angústia disfarçada, a insegurança mascarada, a solidão encoberta.
Penetrar o sorriso fingido, a alegria simulada, a vanglória exagerada.
Descobrir a dor de cada coração.
Aos poucos, estou aprendendo a amar.
Estou aprendendo a perdoar.
Pois o amor perdoa, lança fora as mágoas, e apaga as cicatrizes que a incompreensão e a insensibilidade gravaram no coração ferido.
O amor não alimenta mágoas com pensamentos dolorosos.
Não cultiva ofensas com lástimas e autocomiseração.
O amor perdoa, esquece, extingue todos os traços de dor no coração.
Passo a passo, estou aprendendo a perdoar, a amar.
Estou aprendendo a descobrir o valor que se encontra dentro de cada vida, de todas as vidas.
Valor soterrado pela rejeição, pela falta de compreensão, carinho e aceitação, pelas experiências duras vividas ao longo dos anos.
Estou aprendendo a ver nas pessoas a sua alma e as possibilidades que Deus lhes deu.
Estou aprendendo...
Mas como é lenta a aprendizagem!!!
Como, é difícil amar, amar como Cristo amou!
Todavia, tropeçando, errando, estou aprendendo...
Aprendendo a pôr de lado as minhas próprias dores, meus interesses, minha ambição, meu orgulho, quando estes impedem o bem-estar e a felicidade de alguém! (Fênix Faustine)
O TESOURO MAIS PRECIOSO
Uma mulher velha e sábia fazia uma viagem através das montanhas quando, no leito de um rio, encontrou uma pedra preciosíssima.
No dia seguinte, continuando o seu caminho, deparou-se com um viajante que tinha fome. Para atender ao seu pedido de ajuda, a mulher abriu a bolsa para dividir com ele a comida.
O homem deslumbrou-se com a visão da pedra e pediu à mulher que lha desse de presente, o que ela fez sem hesitar.
O viajante se foi, rejubilando-se por sua sorte... Aquela pedra poderia garantir-lhe segurança e bem-estar por toda a sua vida.
Mas, alguns dias depois, ele voltou à procura da mulher... Ao encontrá-la entregou-lhe a pedra dizendo: “Pensei muito e sei bem o valor dessa pedra, mas venho devolvê-la. O que eu quero é algo muito mais precioso... Se for possível, me dê o que está dentro da senhora e que a fez capaz de entregar-me sem hesitação um tesouro como esse.”

COMENTÁRIO
Aprender a amar... Aprender a desapegar-se... Isso equivale a aprender a ser inteiro, ser livre. Mas são aprendizados muito difíceis, que requerem fé em Deus, fé na vida, confiança nas pessoas e no futuro.
Somente duas coisas podem nos ajudar nessa tarefa: o tempo, que nos amadurece, nos faz mais humildes e alunos de tudo; e a espiritualidade, que nos dá o conhecimento interior e, com ele, a certeza de não nos perdermos nos labirintos do caminho.
Uma boa viagem a todos pelas sendas do amor e do contínuo aprendizado.

5 comentários:

Marcia Bispo disse...

Muito lindo! É interessante como lá nas profundezas de nosso ser existem segredos que nós mesmos desconhecemos. Um mistério que tentanmos desvendar todos os dias.
Grande Beijo!

Valerie disse...

Olá querida Maria!

A frase 'preciso aprender a amar', tem sido quase um mantra prá mim. Preciso, precisamos, urgente.
É um processo doloroso, porque requer a renúncia do ego, o desprendimento, a poda de arestas cultivadas no nosso íntimo há tanto tempo e aquela fé que sabe...

É tão necessário e um aprendizado sublime quando nos dispomos a seguir por essa trilha. De certeza que é.

Um abraço carinhoso.

Maria José disse...

Este é um caminho doloroso, Valerie e Márcia, porque exige renúncias e formas diferentes de pensar e agir. Mas acho que vale a pena. Beijos.

magrelinha disse...

ESSE VOCÊ SABE AMAR, NÃO SERIA UMA POESIA DE ABRAHAM LINCOLN ? LEMBRA MUITO PELAS CARACTERÍSTICAS PELA FORMA DE EXPRESSÃO. PODEM ME CONFIRMAR ISSO?

magrelinha disse...

POR FAVOR ENVIE PARA O MEU E-MAIL ESSA RESPOSTA SE POSSÍVEL. GRATA